Zaire (província)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a província de Angola. Para o país africano, veja Zaire.
Zaire
Localidade de Angola Angola
(Província)
Angola Provinces Zaire 250px.png

Província do Zaire
Dados gerais
Província Zaire
Município(s) M'Banza Kongo, Soyo, N'Zeto, Cuimba, Nóqui e Tomboco
Características geográficas
Área 40.130 km²
População 567.225 hab. (2014)
Densidade 15 hab./km²
Clima Tropical húmido e Semi-árido
Temperatura entre 24ºC e 26ºC

Dados adicionais
Prefixo telefónico +232
Sítio Governo Provincial do Zaire
Projecto Angola  • Portal de Angola

Zaire é uma província de Angola situada no extremo noroeste do país. Tem uma área de 40.130 km² e cerca de 600 mil habitantes. Faz fronteira a oeste com o Oceano Atlântico, a norte com a República Democrática do Congo, a leste com a província do Uíge, e a sul com a província do Bengo.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Reino do Kongo
Ver artigo principal: Povo Bakongo

O povo Bakongo ocupava o vale do rio Congo em meados do século XIII, e formava o Reino do Kongo. Este reino existiu desde 1390 até 1891 como um Estado independente, e de 1891 a 1914 como um Estado vassalo do Reino de Portugal.[2] Em 1914, a monarquia do Kongo foi abolida, na sequência da vitória portuguesa perante várias revoltas deste reino.[3]

Durante a Guerra Colonial Portuguesa, grande parte do povo Bakongo fugiu para o então Zaire, levando a uma considerável diminuição da presença desta etnia em solo angolano. No entanto, após a Independência de Angola, muitos refugiados (e os seus descendentes) retornaram a Angola.[2]

Monumentos[editar | editar código-fonte]

A província do Zaire tem um acervo histórico-cultural rico, nomeadamente:[4]

  • Museu Kulumbimbi: Antiga Casa do Rei em M'Banza Congo.
  • Yala Nkuw (Árvore da força ou do sangue)–: Local onde o rei do Kongo executava as sentenças.
  • Ruínas da Sé Catedral: Primeira Igreja de Angola, construída em 1491. Foi visitada pelo Papa João Paulo II.
  • Porto Rico e Porto do Pinda: Serviam de portos de exportação de escravos.
  • Ponta do Padrão: Primeiro porto que serviu aos portugueses em 1482 para a descoberta de Angola por Diogo Cão.

Geografia[editar | editar código-fonte]

São Salvador do Congo em 1745.

M'Banza Congo (antiga São Salvador do Congo) é a capital da província. A cidade dista cerca de 481 km de Luanda e 314 km do Uíge.

No total, a província do Zaire é constituída por 6 municípios:

E conta com 37 comunas.[5]

Geografia Física[editar | editar código-fonte]

A província do Zaire tem duas estações: de Novembro a Maio, a época das chuvas; e de Junho a Outubro, a época seca. Os tipos de clima predominantes na província são tropical húmido e semi-árido. A temperatura da região varia entre 24ºC e 26ºC.[6]

A Fauna e a Flora da região são muito variadas, com destaque para a savana e as florestas densas e húmidas.[7] Os rios principais da província do Zaire são: Congo, Mbridge, Lufunde, Zadi, Cuílo e Buenga.[8]

A região é muito plana, subindo suavemente para o interior. O fraco relevo, mamelonado, é um relevo de erosão condicionado pela vegetação, caracterizado por altitudes não superiores a 200 m.[9][10] Os Solos predominantes nesta região são o ferralítico e o paraferralítico.[11] A nível geológico, esta região é predominantemente constituída por rochas efusivas proterozóicas.[12]

Demografia[editar | editar código-fonte]

A língua nacional falada na província é o Kikongo e a etnia predominante da região é a Bakongo.[1]

A província do Zaire conta actualmente com 567 mil e 225 habitantes, que correspondem a 2,1 por cento da população angolana, segundo os dados preliminares do Censo Geral da População e Habitação realizado em Maio de 2014.[13] Na província, residem 285 mil e 333 mulheres e 281 mil e 892 homens, sendo que 26,1% dos habitantes vivem na área rural e, a maioria, 73,9% na área urbana. Os dados apontam ainda para uma densidade populacional de 15 pessoas por cada quilómetro quadrado.[14]

Política[editar | editar código-fonte]

O Governo Provincial do Zaire é constituído pelo Governador José Joana André, e 3 Vice-Governadores. Ângela Maria Botelho de Carvalho Diogo é a Vice-Governadora para as áreas dos Serviços Técnicos e Infra-estruturas; Alberto Maria Sabino é o Vice-Governador para a área do Sector Económico; e Rogério Eduardo Zabila é o Vice-Governador para as áreas do Sector Político e Social.[15]

Economia[editar | editar código-fonte]

O factor económico mais importante desta província assenta na exploração de petróleo. Outros dos principais recursos naturais da região são o fosfato, o cobre, o ouro, o zinco, o betume, o volfrâmio, o estanho, a mica, o chumbo, a magnetita, o vanádio e a madeira.[16] No Soyo, estão instaladas as principais empresas petrolíferas que sustentam a maioria da população.[1]

O sector agrário da província caracteriza-se por uma agricultura camponesa de subsistência. O clima da região é favorável a uma gama de culturas tropicais, como a mandioca, o amendoim, o gergelim, a batata, o feijão, a bananeira, a palmeira, o cajueiro, o café e os citrinos. A província do Zaire também é favorável em toda a sua extensão à criação de caprinos, suínos, galináceos e ovinos. A prática da pesca artesanal é outra das actividades económicas importantes para os rendimentos de uma parte da população, especialmente ao longo da costa marítima.[17]

O baixo nível de desenvolvimento da província, fora do sector petrolífero, faz com que a indústria manufactureira seja quase inexistente, sendo que a actividade se concentra nas áreas da pesca e dos materiais de construção.[18]

Cultura[editar | editar código-fonte]

As festas da Cidade ocorrem a 25 de Julho em M’'Banza Congo, e a 5 de Abril no Soyo.[1]

Os pratos típicos da província são a sacafolha (feito com folhas de mandioca), pratos feitos com peixe fresco e seco acompanhados de funge de bombó, e pratos com carne de caça.[1]

Turismo[editar | editar código-fonte]

A província do Zaire tem vários pontos naturais de interesse, nomeadamente:[1]

  • A Pedra do Feitiço, no Soyo.
  • Baía da Musserra, a 56 km do N'Zeto: serve para banhos e desportos náuticos.
  • Praia das Sereias, no Soyo.
  • Praia dos Pobres, localizada numa zona nobre da cidade do Soyo, na margem esquerda do Rio Zaire.
  • Foz do Rio Congo.
  • Quedas do Rio Mbridge, no Soyo: servem para canoagem e rafting.
  • Canal Pululu, no Kwanda.
  • Canal do Kimbumba, situado a 2 km a leste do Soyo.
  • Cavernas do Zau Evua, a 80 km de M'Banza Congo.
  • Grutas de Senga.

Referências

  1. a b c d e f «Província/Zaire». Welcome to Angola. 
  2. a b Carlos Alberto Jr. (20 de Agosto de 2008). «Quem são os Angolanos». Diário da África. 
  3. José Carlos de Oliveira (7 de Abril de 2014). «Factos e Documentos Históricos Relativos ao Reino do Kongo nos Primórdios do Século XX». Portal do Uíge e da Cultura Kongo. 
  4. «Zaire/Turismo/Monumentos». Info-Angola. 
  5. «Zaire». Info-Angola. 
  6. «Zaire/Recursos/Clima». Info-Angola. 
  7. «Zaire/Recursos/Vegetação». Info-Angola. 
  8. «Zaire/Recursos/Hidrografia». Info-Angola. 
  9. «Zaire/Recursos/Relevo». Info-Angola. 
  10. «Zaire/Recursos/Geomorfologia». Info-Angola. 
  11. «Zaire/Recursos/Solos». Info-Angola. 
  12. «Zaire/Recursos/Geologia». Info-Angola. 
  13. «Província conta com mais de 500 mil habitantes». Agência Angola Press. 21 de Outubro de 2014. 
  14. «Resultados Preliminares do Recenseamento Geral da População e da Habitação de Angola 2014» (PDF). Embajada de la República de Angola en el Reino de España. 13 de Outubro de 2014. 
  15. «Perfil do Titular da Pasta». Governo Provincial do Zaire. 
  16. «Zaire/Economia». Info-Angola. 
  17. «Zaire/Economia/Agropecuária». Info-Angola. 
  18. «Zaire/Economia/Indústria». Info-Angola. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]