Zenaldo Coutinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Zenaldo Coutinho
Foto: Leonardo Prado / Câmara dos Deputados
55.º Prefeito de Belém Bandeira belem.jpg
Período 1 de janeiro de 2013
até atualmente
Antecessor(a) Duciomar Costa
Deputado federal pelo Pará Pará
Período 1 de fevereiro de 1999
até 31 de dezembro de 2012
(4 mandatos consecutivos)
Deputado estadual do Pará Pará
Período 1 de fevereiro de 1991
até 31 de janeiro de 1999
(2 mandatos consecutivos)
Vereador de Belém Bandeira belem.jpg
Período 1º mandato: 1 de janeiro de 1984
até 1 de fevereiro de 1988
2º mandato: 1 de janeiro de 1988
até 1 de fevereiro de 1991
(2 mandatos consecutivos)
Vida
Nascimento 4 de fevereiro de 1961 (55 anos)
Belém, Pará
Dados pessoais
Alma mater Universidade Federal do Pará
Cônjuge Rosário Coutinho
Partido PSDB
Profissão Advogado

Zenaldo Rodrigues Coutinho Júnior (Belém, 4 de fevereiro de 1961) é um advogado e político brasileiro, atual prefeito da cidade de Belém do Pará.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Zenaldo Rodrigues Coutinho Junior nascido em Belém do Pará no dia 4 de fevereiro de 1961 e conhecido como Zenaldo Coutinho é casado com Rosário Coutinho, com quem tem duas filhas: Camila, de 18 anos e Beatriz, de 11. Seus pais são Zenaldo Rodrigues Coutinho (pai) e Maria Helena Neves Coutinho. É formado Bacharel em Direito pela UFPA e inscrito na seção paraense da Ordem dos Advogados do Brasil sob o número 5172.[1]

Aos 21 anos, foi eleito vereador da capital paraense, o mais jovem do Brasil, à época, sendo reeleito em 1988. Duas vezes deputado estadual, chegou à presidência da Assembleia Legislativa do Estado em 1995. Também ocupou o posto de líder do Governo na casa no ano de 1997. Dois anos depois, Zenaldo chegou à Câmara Federal, em Brasília, para cumprir seu primeiro mandato como deputado federal. No congresso, ele ocupou importantes cargos, como a vice-presidência da Comissão de Constituição e Justiça. Em sua quarta legislatura, Zenaldo Coutinho se licenciou das atividades como parlamentar para atender convite do Governador do Estado, Simão Jatene, e assumir a chefia da Casa Civil da Governadoria. Em agosto de 2011, ele deixou a Casa Civil para a Secretaria Especial de Proteção e Desenvolvimento Social (Seepds). Por causa do plebiscito, Zenaldo teve que deixar o órgão e retornar para suas atividades em Brasília, para seu cargo de deputado federal.

Plebiscito 2011[editar | editar código-fonte]

Em 2011, no Plebiscito sobre a divisão do estado do Pará Zenaldo deixou a secretaria para atuar na frente parlamentar contra a criação do estado de Carajás durante o plebiscito que consultou a população do Pará sobre a possibilidade da divisão do estado.[2] Os eleitores paraenses responderam a duas perguntas "Você é a favor da divisão do estado do Pará para a criação do estado de Carajás?" e "Você é a favor da divisão do estado do Pará para a criação do estado do Tapajós?". O número 77 correspondeu à resposta "sim" para qualquer uma das perguntas. E o número 55 foi usado para o "não". A frente da luta em defesa do Pará, contra a Criação do estado de Carajás. O resultado foi 66,60% de paraenses escolheram a NÃO divisão, sendo vitorioso nas urnas em dezembro de 2011; na capital Belém a união pelo Pará inteiro foi de 95% dos belenenses que disseram NÃO à divisão do Pará.

Emenda[editar | editar código-fonte]

Apresentou emenda ao Orçamento da União de 2012, destinando R$ 5,6 milhões ao Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-ad) do Pará.[3] Localizado no bairro da Marambaia, o Centro foi construído há seis anos, pelo governador Simão Jatene. Que se destaca por ser a única clínica pública de tratamento de dependentes químicos em Belém, sendo resultado de emenda parlamentar elaborada por Zenaldo Coutinho.

Eleições municipais em 2012[editar | editar código-fonte]

Deu continuidade com seus projetos e emendas parlamentares, se ausentando de seus trabalhos em junho, para concorrer à Prefeitura de Belém. Em 2012, Zenaldo Coutinho é candidato a prefeito de Belém pelo PSDB, cargo que já havia disputado em 2000, porém sem êxito. No primeiro turno recebeu 30,67% dos votos válidos, equivalente a escolha de 237.252 eleitores belenenses, indo para o segundo turno.

Recebeu apoio do candidato Jefferson Lima que ficou na 3ª colocação na disputa pela prefeitura de Belém no 1º turno.

No 2º turno das eleições municipais de 2012, realizadas em 28 de outubro de 2012, Zenaldo Coutinho foi eleito prefeito de Belém, com 56,61% dos votos válidos, equivalentes a 438 435 votos.

Nepotismo e Recorde de Assessores[editar | editar código-fonte]

Recém empossado prefeito já no dia 2 de janeiro de 2013 Zenaldo nomeou o próprio irmão, Augusto Cesar Neves Coutinho, como Secretário Municipal de Administração (Semad). [4]

Além disso, nomeou ainda, no mesmo Decreto nº 72.744: [5]

  • Heliana da Silva Jatene para a Fundação Cultural de Belém (Fumbel), ex-mulher de Simão Jatene, atual governador do estado do Pará e de seu mesmo partido, o PSDB;
  • Leonardo Maroja, filho do desembargador João José da Silva Maroja, para a Secretaria de Assuntos Jurídicos (Semaj).
  • Rosa Maria Chaves da Cunha, cunhada de Simão Jatene, para Presidente da Codem (Companhia de Desenvolvimento de Belém);
  • Tereza Cativo, ex-secretária especial do governador Jatene, indiciada em inquérito no Superior Tribunal de Justiça (STJ), por acusações de corrupção, no enroladíssimo Caso Cerpasa.

Em março de 2015, foi registrado que a Prefeitura de Belém, com seus 1.4 milhões de habitantes, possuia mais assessores (cargos públicos não concursados, indicados políticos do prefeito) que a Prefeitura de São Paulo, com 11.9 milhões de habitantes. A administração Zenaldo Coutinho (orçamento anual de R$ 2.8 bilhões) tinha 188 cargos de confiança, contra 102 de Fernando Haddad, prefeito da maior cidade das Américas (orçamento anual de R$ 50 bilhões). [6]

Referências


Precedido por
Duciomar Costa
Prefeito de Belém
2013 — atualidade
Sucedido por