Zermatt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Picto infobox map.png
Zermatt
Comuna da Suíça
3802 - Zermatt - Matterhorn viewed from Gornergratbahn.JPG
Administração
Cantão Valais
Distrito Visp
Localização(ões) Blatten, Findeln, Gornergrat, Ried, Schwarzsee, Z'mutt
Comunas
limítrofes
Alagna Valsesia (IT-VC), Ayas (IT-AO), Ayer, Bionaz (IT-AO), Evolène, Gressoney-La-Trinité (IT-AO), Macugnaga (IT-VB), Randa, Saas Almagell, Täsch, Valtournenche
Código postal 3920
Prefixo telefónico 027
Língua oficial alemão
Demografia
População 5625 hab.
Densidade 23 hab./km²
Geografia
Coordenadas 46° 01' N 7° 44' E
Altitude 1620 m
Área 242,67 km²
Website oficial www.zermatt.ch
Localização
Karte Gemeinde Zermatt.png

Zermatt é uma comuna da Suíça, no Cantão Valais, com cerca de 5625 habitantes. Conhecida internacionalmente pela presença da montanha Matterhorn demarcando sua paisagem,[1] esta municipalidade ocupa uma área de 242,67 km² e apresenta densidade populacional de 23 hab/km².[2] A língua oficial desta comuna é o alemão. Mas devido à forte presença de imigrantes portugueses, a língua portuguesa é o segundo idioma mais falado no local.[3]

Zermatt faz limite com as seguintes comunas: Alagna Valsesia (IT-VC), Ayas (IT-AO), Ayer, Bionaz (IT-AO), Evolène, Gressoney-La-Trinité (IT-AO), Macugnaga (IT-VB), Randa, Saas Almagell, Täsch, Valtournenche.

A partir desta localidade é possível iniciar a trilha para a escalada do Matterhorn ou Monte Cervino, famosa montanha alpina que foi conquistada no ano de 1865.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O Nome Zermatt tem origem na terminologia matten, palavra alemã que significa campos ou prados. Inicialmente a localidade era chamada de Zur Matte ("na pradaria", em alemão), se referindo à presença de campos alpinos no vale onde o vilarejo se situava. Posteriormente a denominação foi alterada para a forma atual, passando a ser escrita como Zermatt.[4][5]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Muito procurada por turistas e esportistas que se dirigem às estações de esqui nas proximidades, Zermatt é mundialmente conhecida pela proibição da circulação de automóveis nas suas ruas e pela impecável preservação do seu patrimônio histórico. Pode-se também desfrutar do centro comercial local, do tradicional Jägertee (chá dos caçadores) ou de restaurantes gastronômicos de alto nível.[6]

Como à cidade é fechada à carros de passeio, o acesso dos visitantes à cidade somente pode ser feito por meio de trens. Na estação ferroviária é possível utilizar pequenos carros elétricos oferecidos pelos hotéis locais à seus hóspedes.[7]

Zermatt é o ponto de partida de diversas trilhas nos alpes. Passeios de gôndolas ou teleféricos também são muito populares entre os turistas. A cidade também conta com museus, construções históricas e diversas atrações culturais.[1]

Outra localidade bastante procurada pelos turistas é o cemitério dos montanhistas.[8] Trata-se de um memorial onde estão sepultados diversos montanhistas que perderam suas vidas ao tentarem escalar as íngremes paredes das montanhas localizadas no entorno da cidade, sobretudo o Matterhorn, considerado por muitos como a mais desafiadora montanha do continente Europeu.[8]

Geografia[editar | editar código-fonte]

A cidade de Zermatt ocupa um vale alpino encaixado entre as montanhas, sendo cercada por diversas formações de elevada altitude, como o Monte Rosa, Dom, Weisshorn e Matterhorn.[9] Sua área central é cortada pelo principal rio deste vale, denominado Matter Vispa, o qual nasce à partir das geleiras que se espalham aos pés das montanhas que circundam a cidade.[10]

Clima[editar | editar código-fonte]

De acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger, Zermatt apresenta clima subártico (Dfc). Os verões são amenos com dias frescos e noites frias. O mês mais quente do ano é Julho, enquanto que Janeiro é o mais frio. Os invernos são bastante frios com nevadas intensas. O volume médio de queda de neve é de 325 centímetros ao ano.

Dados climáticos para Zermatt (Período de 1981–2010)
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Média alta °C (°F) 0.2
(32.4)
1.3
(34.3)
3.7
(38.7)
7.3
(45.1)
12.1
(53.8)
15.6
(60.1)
18.9
(66)
17.9
(64.2)
15.4
(59.7)
11.2
(52.2)
4.6
(40.3)
1.1
(34)
9.1
(48.4)
Média diária °C (°F) −4.8
(23.4)
−4.0
(24.8)
−1.5
(29.3)
2.0
(35.6)
6.7
(44.1)
10.0
(50)
12.5
(54.5)
11.7
(53.1)
9.0
(48.2)
4.8
(40.6)
−0.8
(30.6)
−3.8
(25.2)
3.5
(38.3)
Média baixa °C (°F) −8.4
(16.9)
−7.8
(18)
−5.5
(22.1)
−2.2
(28)
2.1
(35.8)
4.8
(40.6)
6.8
(44.2)
6.7
(44.1)
4.2
(39.6)
0.7
(33.3)
−4.0
(24.8)
−7.1
(19.2)
−0.8
(30.6)
Média precipitação mm (pol.) 43
(1.69)
46
(1.81)
49
(1.93)
50
(1.97)
61
(2.4)
56
(2.2)
47
(1.85)
60
(2.36)
41
(1.61)
55
(2.17)
55
(2.17)
48
(1.89)
611
(24.06)
Queda de neve média cm (pol.) 54.5
(21.46)
58.7
(23.11)
46.6
(18.35)
37.6
(14.8)
10.1
(3.98)
2.2
(0.87)
0.0
(0)
0.0
(0)
1.1
(0.43)
6.2
(2.44)
40.9
(16.1)
66.8
(26.3)
324.7
(127.83)
Média de dias de precipitação (≥ 1.0 mm) 6.6 6.3 7.7 6.7 10.0 8.6 8.9 9.9 6.9 6.7 7.0 6.7 92.0
Média de dias ensolarados (≥ 1.0 cm) 8.0 7.0 5.4 4.1 1.3 0.1 0.0 0.0 0.1 1.5 5.4 7.2 45.3
Média umidade relativa (%) 65 66 65 66 67 68 65 70 70 67 67 66 67
Média mensal horas de sol 85 103 135 146 159 175 200 185 166 139 93 81 1 666
Por cento luz do sol possível 54 58 56 58 56 60 68 68 69 65 58 55 61
Fonte: MeteoSwiss[11]

Geologia[editar | editar código-fonte]

A região dos alpes ocidentais, onde se localiza Zermatt apresenta afloramentos de rochas formadoras da plataforma continental europeia, expondo evidências das colisões tectônicas que levaram à formação dos Alpes.[12] Observa-se a presença de ofiolitos, rochas de origem oceânica com alto grau de metamorfismo, além de se notar a presença de grandes dobramentos rochosos. Isso evidencia a enorme força com que se deu a orogênese do local.

A presença de feições glaciais, tais como vales escavados por geleiras, morenas e depósitos de sedimentos indica a grande influência do clima frio na modelagem da paisagem, principalmente nas áreas mais próximas aos pés das montanhas e fundos dos vales.[12]

Vista panorâmica dos picos no entorno de Zermatt

Fauna e Flora[editar | editar código-fonte]

A singularidade das condições climáticas, aliada ao isolamento geográfico proporcionado pelas elevadas montanhas existentes no entorno da região, faz com que Zermatt registre a presença de diversas plantas endêmicas.[13] A presença desses raros espécimes vegetais atrai pesquisadores de diversas localidades para estudá-los diretamente em seu habitat natural. [14]

Devido ao lento crescimento da maioria dos espécimes vegetais ali presentes, tais ecossistemas são muito vulneráveis à ação humana, de modo que os administradores locais recomendam cuidados durante a visitação, de modo a minimizar eventuais impactos decorrentes da circulação de pessoas.[13]

Quanto à fauna de Zermatt, é possível observar diversos animais selvagens nas proximidades das trilhas que circundam a cidade, com destaque para ibex, águias, camurças, cervos, marmotas, linces, esquilos e raposas.[14][15] Adicionalmente, existem relatos de raras aparições de lobos nas montanhas.[15]

No passado também haviam ursos nas proximidades, contudo, o último animal registrado foi morto por um caçador em 1904, sendo considerado extinto do local desde então.[15]

Referências

  1. a b «Zermatt». Viagem e Turismo. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  2. «Burgergemeinde Zermatt | Willkommen». www.burgergemeindezermatt.ch (em alemão). Consultado em 28 de setembro de 2021 
  3. www.swissinfo.ch. «O vilarejo suíço em que se fala português». 2012-02-07. Consultado em 16 de novembro de 2020 
  4. The names of Zermatt, W. A. B. Coolidge
  5. Rey, Guido, The Matterhorn, p. 290
  6. El País (6 de Fevereiro de 2017). «Los pueblos más bonitos de Suiza». Consultado em 8 de Fevereiro de 2017 
  7. «Chegando em Zermatt». Zermatt, Portuguese. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  8. a b «Mountaineers' cemetery». Zermatt, Portuguese. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  9. «Top 10 Highest Peaks in the Alps | All Above 4000 Meters». www.alpenwild.com. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  10. McClanahan, Paige (5 de março de 2020). «36 Hours in Zermatt». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  11. «Climate Normals Zermatt 1981–2010». Zürich-Flughafen, Switzerland: Swiss Federal Office of Meteorology and Climatology - MeteoSwiss. 25 de abril de 2016. Consultado em 8 de outubro de 2016. Arquivado do original (PDF) em 9 de outubro de 2016 
  12. a b Bucher, Kurt; Weisenberger, Tobias Björn; Weber, Sebastian; Klemm, Oliver; Corfu, Fernando (17 de fevereiro de 2020). «The Theodul Glacier Unit, a slab of pre-Alpine rocks in the Alpine meta-ophiolite of Zermatt-Saas, Western Alps». Swiss Journal of Geosciences (1). 1 páginas. ISSN 1661-8734. doi:10.1186/s00015-020-00354-6. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  13. a b «Zermatt flora». Zermatt, Switzerland. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  14. a b «Easily discovered plants and animals in Zermatt». Zermatt, Switzerland. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  15. a b c «Alps Wildlife | Wildlife Tours | Swiss Animals». www.alpenwild.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Zermatt