Zilka Salaberry

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde Novembro de 2012).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Zilka Salaberry
As atrizes Zilka Salaberry (1917-2005) e Jacira Sampaio (1922-1998), caracterizadas como as personagens Dona Benta e Tia Nastácia do Sítio do Pica-Pau Amarelo
Nome completo Zilka Nazareth de Carvalho
Nascimento 31 de maio de 1917
Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileira
Morte 10 de março de 2005 (87 anos)
Rio de Janeiro
Ocupação Atriz
Cônjuge Mário Sallaberry
IMDb: (inglês)

Zilka Sallaberry, nascida Zilka Nazareth de Carvalho (Rio de Janeiro, 31 de maio de 1917Rio de Janeiro, 10 de março de 2005) foi uma atriz brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Obteve grande sucesso com personagens de telenovelas, como a Sinhana de Irmãos Coragem, Donana Medrado de O Bem Amado e a Dona Benta do Sítio do Pica-Pau Amarelo, papel que mais marcaria sua carreira. Devido à sua atuação neste seriado infantil, Zilka passou a fazer parte da infância de várias gerações de brasileiros, sendo sempre reconhecida pelo público como a Vovó Benta.

De família de artistas, era filha da atriz e radialista, Luísa Nazareth, e irmã das atrizes, Alair Nazareth e Lourdes Mayer. Foi casada com o ator Mario Sallaberry.

Formada em Economia, não exerceu a profissão. Após seu casamento com Mario Sallaberry, que era ator, ela foi para o teatro, adotando o sobrenome Sallaberry. Estreou no Teatro Municipal de Niterói, com um pequenino papel. Gostou e se emocionou muito. Depois, ingressou na Companhia de Procópio Ferreira; a seguir, na Companhia de Dulcina de Morais. Seus papéis foram melhorando, fazendo importantes peças, sempre mais comédias do que dramas. Trabalhou também com Alda Garrido e com Dercy Gonçalves.

Estreou como atriz profissional no filme Cidade-mulher (1936), de Humberto Mauro. Transgressora dos costumes, foi a primeira a tirar a roupa no teatro, em 1950, na peça A Copa do Mundo. Quando ela tirava o maiô, as luzes se apagavam.

Na televisão, estreou em 1956 na extinta TV Tupi do Rio de Janeiro, no programa Câmera Um. No ano seguinte atuou na telenovela A canção de Bernadete.

Durante dez anos, participou do Teatrinho Trol, programa que adaptava contos infantis: cabia a Zilka sempre o papel de bruxa.

Depois de passar pela TV Rio e voltar à TV Tupi, Zilka chegou à TV Globo em 1967, estreando na telenovela A Rainha Louca. Nesta emissora, realizou seus trabalhos mais importantes, como Irmãos Coragem, O Bem-amado, O Casarão, Que Rei Sou Eu?, O Primo Basílio e Vale Tudo.

Seu último papel na TV foi em Esperança (2002), de Benedito Ruy Barbosa, ano em que também atuou no filme Xuxa e os Duendes 2.

No cinema[1][editar | editar código-fonte]

Filmes
Ano Título Papel
1936 Cidade-Mulher
1940 Direito de Pecar
1945 No Trampolim da Vida
1958 Aguenta o Rojão
Matemática zero, Amor dez
1959 Maria 38 Eugênia
1965 Society em Baby-Doll[2]
1967 Na Mira do Assassino
1970 Uma Garota em Maus Lençóis
1971 O Barão Otelo no Barato dos Bilhões Bruxa
2001 Xuxa e os Duendes Cléo
2002 Xuxa e os Duendes 2 - No Caminho das Fadas Cléo

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Telenovelas[editar | editar código-fonte]

Minisséries[editar | editar código-fonte]

Seriados[editar | editar código-fonte]

Participações Especiais[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • 1950 - Na Copa do Mundo
  • 1956 - Os Dois Maridos de Madame
  • 1957 - Adorável Júlia
  • 1959 - O Mambembe
  • 1959 - O Cristo Proclamado
  • 1960 - Com a Pulga Atrás da Orelha
  • 1960 - O Velho Ciumento
  • 1961 - O Médico Volante
  • 1961 - Os Possessos
  • 1961 - Os Ciúmes de Um Pedestre
  • 1962 - Beijo no Asfalto
  • 1964 - O Homem, a Besta e a Virtude
  • 1970 - A Preguiça
  • 1970 - Fim de Jogo [3]
  • 1971 - O Camarada Miussov
  • 1971 - A Rainha do Fundo do Mar

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]