Zizi Lambrino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Joana "Zizi" Lambrino
Zizi Lambrino ao lado de Carlos II.
Cônjuge Carlos II da Romênia
Descendência Carlos Lambrino
Nome completo
Joana Maria Valentina "Zizi" Lambrino
Nascimento 3 de outubro de 1898
  Roman, Reino da Romênia
Morte 11 de março de 1953 (54 anos)
  Paris, França
Pai Constantin Lambrino
Mãe Euphrosine Alcaz

Joana Maria Valentina "Zizi" Lambrino (em romeno: Ioana Marioara Valentina "Zizi" Lambrino) (Roman, 3 de outubro de 1898Paris, 11 de março de 1953), foi a primeira esposa do príncipe Carlos da Romênia (mais tarde Carlos II).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida na antiga família imperial bizantina Rangabe-Lambrino[1], Zizi era filha do coronel romeno (mais tarde general) Constantin Lambrino e de Euphrosine Alcaz. Ela conheceu o príncipe Carlos da Romênia, filho do rei Fernando I e da rainha Maria, durante a Primeira Guerra Mundial, em 1918, quando a corte real romena transferiu-se de Bucareste para Iași para resguardar-se da iminente invasão alemã.[2] Carlos apaixonou-se pela jovem plebeia e os dois iniciaram um namoro, apesar da óbvia desaprovação da corte real.[3] Mesmo assim, Zizi Lambrino e Carlos foram fotografados juntos várias vezes nas residências da família real e, inclusive, junto a outros membros da família real romena. Lulu, irmão de Zizi, era um dos melhores amigos de Carlos e eles se corresponderam por toda a vida.

Como a união não tinha o consentimento real, Carlos desertou do regimento que comandava e, em segredo, atravessou com Zizi a fronteira russa, indo casar-se na Catedral Ortodoxa de Odessa, na Ucrânia, em 31 de agosto de 1918, na presença de testemunhas.[4] Os pais de Carlos ficaram furiosos. O rei ordenou que ele fosse mantido em confinamento no Monastério de Bistrița por 75 dias.[5] O primeiro-ministro Ion I. C. Brătianu praticamente acusou Carlos de traição. O príncipe ameaçou renunciar aos seus direitos de sucessão real, fato que foi consumado em 1919, quando a Alta Corte de Cassação e Justiça declarou o casamento inconstitucional e ilegal, anulando-o.[5] A partir daí, conforme descreveu o escritor A. L. Easterman, "intrigueiros... astuciosamente... [jogaram] outras mulheres jovens e atraentes sob suas vistas e na sociedade" e, finalmente, "corroeram suas relações com a esposa..."[6]

Carlos e Zizi Lambrino tiveram um filho, Mircea Gregório Carlos Lambrino, nascido após a anulação do casamento. Os pais de Carlos, então, decidiram enviá-lo em uma viagem ao redor do mundo, para esquecer Zizi.[7] Durante essa viagem, acertou-se o seu casamento com a princesa Helena da Grécia e Dinamarca. Um acordo posterior entre Zizi e a Casa Real da Romênia, garantiu a ela uma renda semestral de 11 mil francos, desde que deixasse definitivamente o país com seu filho.[8]

Zizi Lambrino morreu em Paris, França, em 11 de março de 1953. Uma semana depois, Carlos II morreu no exílio, em Estoril, Portugal.[7]

Descendência[editar | editar código-fonte]

Zizi com o filho Mircea (1930).

Seu filho foi nomeado em memória do príncipe Mircea da Romênia (1913-1916), irmão mais novo de Carlos II que havia morrido quatro anos antes de seu nascimento. Mais tarde, ele passou a ser chamado de Carlos ao invés de Mircea, casou-se três vezes e teve dois filhos.[9]

Em 2012, em resposta a uma ação movida por Paulo Hohenzollern, a Alta Corte de Cassação e Justiça da Romênia reconheceu oficialmente seu pai (Mircea, falecido em 2006) como filho legítimo de Carlos II. Entretanto, em comunicado, a Casa Real da Romênia declarou que "esta decisão não cria qualquer direito ou associação dinástica da pessoa acima mencionada, hoje falecida, à Família Real. Isso também se aplica aos seus descendentes, sejam eles quem forem. Em sua posição de chefe da Família Real da Romênia, Sua Majestade o Rei Miguel I é o único que pode decidir sobre as questões de sucessão. Nem Sua Majestade o Rei Miguel I da Romênia, nem os ex-chefes da Família Real da Romênia - o rei Fernando I e o Rei Carlos II - reconheceram ou concederam qualquer título a Mircea Gregório Lambrino ou seus descendentes. O uso em qualquer contexto, público ou privado, do título de Príncipe da Romênia, ou da denominação de Alteza Real continua a ser prerrogativa exclusiva dos membros da Família Real listados acima".[10]

Referências

  1. «Printul Paul de Romania: Numele Paul Lambrino nu exista». Curierul National (em romeno). 12 de fevereiro de 2003. Consultado em 20 de Agosto de 2015. Arquivado do original em 23 de setembro de 2015 
  2. Arachelian, Vartan (26 de novembro de 2005). «Istorie romantata - Iubire si destin: Carol al II-lea si Zizi Lambrino». Jurnalul National (em romeno). Consultado em 20 de Agosto de 2015 
  3. Easterman 1942, p. 33.
  4. Bulei, Ion (14 de maio de 2009). «Printul Carol se casatoreste cu Zizi Lambrino». Ziarul Financiar (em romeno). Consultado em 20 de Agosto de 2015 
  5. a b Andreescu, Crişan (11 de agosto de 2015). «Casa Regală a României și crizele dinastice care au măcinat-o». DC News (em romeno). Consultado em 20 de Agosto de 2015 
  6. Easterman 1942, p. 34.
  7. a b Tănasea, Stelian (13 de abril de 2013). «Prinţul Carol Fugi cu Zizi Lambrino». Stelian Tănasea (em romeno). Consultado em 21 de Agosto de 2015 
  8. «Prinţul Carol şi Zizi Lambrino, divorţ regal cu iz de tabloid». Adevărul (em romeno). 19 de outubro de 2010. Consultado em 21 de agosto de 2015 
  9. Constantinoiu, Marina (21 de março de 2006). «Prinţul congelat». Jurnalul (em romeno). Consultado em 21 de Agosto de 2015 
  10. Burlă, Virgil; Şt. Vasilcoiu, Cristian (14 de fevereiro de 2012). «Decizie Istorică: Prinţul Paul este moștenitorul Regelui Carol al II-lea». Evenimentul Zilei (em romeno). Consultado em 21 de agosto de 2015