Região Administrativa Norte (Natal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Zona Norte de Natal)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mapa de Natal com a divisão entre bairros. Os bairros da Zona Norte estão em vermelho escuro.
Praia da Redinha e bairro homônimo.

A Região Administrativa Norte, conhecida pela população como Zona Norte, é uma das quatro zonas administrativas da cidade do Natal no estado do Rio Grande do Norte e a maior, tanto em extensão territorial, quanto em população. Foi criada por meio da Lei Ordinária nº 03878/89 e atualmente se constitui de sete bairros: Igapó, Salinas, Potengi, Nossa Senhora da Apresentação, Lagoa Azul, Pajuçara e Redinha.

Esta região tem limites bem definidos já que se encontra separada do restante da cidade pelo Rio Potengi ao norte deste, sendo que o seu principal acesso se dá por duas pontes: Igapó e mais recentemente pela Newton Navarro. Limita-se ao Norte e Oeste com o município de Extremoz, ao Sul com o Rio Potengi e a leste com esse rio e o Oceano Atlântico

Av. Moema Tinôco, Pajuçara

Em 2008, a região possuia 302.333 habitantes, que ocupavam 77.205 domicílios[1] e cuja renda média mensal, a terceira maior da cidade, era de 2,94 salários mínimos.

É atualmente a região que mais cresce na cidade, por anos esquecida, esta zona está sofrendo um intenso crescimento econômico.[2] Seus habitantes são em sua maioria de classe média baixa e classe baixa e esta zona possui dois traçados urbano bem definidos, conjuntos regulamentados possuem infra-estrutura básica, enquanto que aqueles não regulamentados sofrem com a desordenação urbana.

Como parte da revitalização da região, o poder executivo municipal pretende construir o novo Centro Administrativo Municipal, que engloba a nova sede da Prefeitura, secretarias e a Câmara Municipal, no bairro da Redinha, próximo a Ponte Newton Navarro, no terreno entre a rotatória da ponte e o Rio Doce, afluente do Rio Potengi.[3]

A Zona Norte de Natal é a única região da cidade impedida de construir prédios acima de 7,5 metros.[4] Tal fato se deve ao Plano Diretor da capital, que alega que a região não possui saneamento básico em sua totalidade, e principalmente a questão do adensamento do solo que não suportaria empreendimentos de tamanha magnitude. Atualmente, a Zona Norte possui um cenário imobiliário quase que totalmente horizontal, além de inúmeras áreas livres, permitindo uma melhor qualidade de vida à população. Lá, 99,13% das pessoas vivem em casas, e apenas 0,71% em apartamentos.[5]

Bairros[editar | editar código-fonte]

A Zona Norte é composta por sete bairros e alguns bairros são divididos em conjuntos e loteamentos. São eles:

Obs: Alguns nomes conjuntos e loteamentos se repetem.

  • Potengi
    • Conjuntos
    • Panorama I e II
    • Panatis I, II e III
    • Potengi
    • Santa Catarina
    • Santarém
    • Soledade I e II
  • Redinha
    • Conjuntos
    • Jardim das Flores
    • Habitacional do EPRECON
    • Raio de Sol
    • Niterói
    • Casa Nova
    • Loteamentos
    • Caiana
    • Parque Floresta
    • Santo Antônio
    • Miramar
    • Para Desabrigados
    • Parque Deolindo Lima
  • Igapó
    • Conjuntos
    • Igapó
    • Nova Igapó
    • Manoel Leopoldo
    • Cidade do Sol
    • Loteamentos
    • Parque Monte Líbano
    • Santa Rita - 2
    • Amazonas
    • Paraíso
    • Gancho
    • Nova Aldeia
    • Aldeia Velha
    • Vila Paraíso
    • Cidade do Sol
  • Pajuçara
  • Conjuntos
    • Pajuçara (I e II)
    • Novo Horizonte
    • Parque das Dunas (I ao VI)
    • Vila Verde (I e II)
    • Morada Alvorada
    • Nova República
    • Vista Verde
    • Brasil Novo
    • Além Potengi
    • João Paulo
    • Loteamentos
    • Parque Floresta
    • Bela Vista
    • Dom Pedro I
    • Itamarati
    • Parque Floresta
    • Espacial
    • Caiana
    • Dois Irmãos
    • KI
    • Novo Horizonte
    • Riomar
    • Jardim Brasil
    • Santa Cécilia
  • Nossa Senhora da Apresentação
    • Conjuntos
    • Alameda das Fronteiras
    • Parque dos Coqueiros
    • Alvorada IV
    • Icapuí
    • IPE
    • Planície das Mangueiras
    • Loteamentos
    • Acirell - II
    • Jocasa (Lot. 79 e 136)
    • Aliança
    • Boa Sorte II
    • Aliança (Q - 4)
    • Boa Sorte
    • Libanês
    • Santarém
    • Alvorada
    • Vale Dourado
    • Vale Dourado
    • Parque Ponte Nova
    • Bom Jesus
    • Boa Sorte
  • Lagoa Azul
  • Conjuntos
    • Eldorado
    • Cidade Praia
    • Gramoré
    • Nova Natal
    • Loteamentos
    • Lagoa Azul
    • José Sarney
    • Boa Esperança
    • Câmara Cascudo
    • Nordelândia
    • Sítio Gramoré(Gramorezinho
    • Santa Emília
  • Salinas
    • Loteamentos
    • Conjunto Residencial Jardim das Flores
    • Bosque do Rio

Transporte[editar | editar código-fonte]

O transporte público nesta parte da cidade é bem deficitário, com a exceção de alguns conjuntos. Ele é feito principalmente por ônibus, mas também há atuação de transportes alternativos e do metrô, sendo atendia pela linha Norte (que estende-se até o município de Ceará-Mirim) e conta com 5 estações nessa região (Igapó, Santa Catarina, Soledade, Nova Natal e Nordelândia). As empresas de ônibus que atuam com linhas partindo da zona norte são há Guanabara (atende quase todos os bairros), Reunidas, Riograndense, Cidade do Natal e Via Sul. Já as empresas que atuam com linhas partindo para a zona norte são há Via Sul, Nossa Senhora da Conceição e a Trampolim da Vitória. As empresas que tem linhas circulando só dentro da zona norte são há Guanabara, Reunidas, Cidade do Natal e Nossa Senhora da Conceição.

Linha de trem[editar | editar código-fonte]

  • Linha Norte - Natal (bairro da Ribeira)/Município de Ceará-Mirim
    • Estações: Natal, Alecrim I, Quintas, Igapó, Santa Catarina, Soledade, Nova Natal, Nordelândia, Estela do Mar, Extremoz, Massangana, Lagoa Grande e Ceará-Mirim.

Obs.: As estações em negrito são as que estão localizadas na zona norte

Índice de Qualidade de Vida[editar | editar código-fonte]

Nota: Não confudir IQV (Índice de Qualidade de Vida) com IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).

A Zona Norte (juntamente com a Zona Oeste de Natal) é uma região mais deprimida socialmente e economicamente. O bairro que apresenta o maior Índice de Qualidade de Vida (IQV) da região é Potengi com um índice de 0,55, nomeado médio. Já o que apresenta menor qualidade de vida é Salinas com um índice de 0,18, nomeado baixo.

O Índice de Qualidade de Vida (IQV) em 2003 dos bairros da região Norte são[6]:

Posição Bairro IQV
Índice de qualidade de vida médio
1 Potengi 0,55
Índice de qualidade de vida baixo
2 Pajuçara 0,47
3 Igapó 0,46
4 Lagoa Azul 0,40
5 Nossa Senhora da Apresentação 0,34
6 Redinha 0,31
7 Salinas 0,18

Principais construções[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.