Zona condutora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A zona condutora ou zona de condução,[1] em fisiologia e no estudo do sistema respiratório, é uma das três zonas funcionais do pulmão responsável por transportar e distribuir ar e sangue às unidades periféricas.[2]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A zona condutora é composta pelo nariz, a nasofaringe, a laringe, a traqueia, os brônquios, os bronquíolos e os bronquíolos terminais.[1]

Mecanismo[editar | editar código-fonte]

Ao ser inspirado, o gás é aquecido a 37o, umidificado até 100% de umidade relativa e passa por uma limpeza que elimina a maioria do material particulado encontrado no ar; sua composição molecular se modifica apenas pela adição de vapor d'água, isso acontece porque as vias aéreas da zona de condução são muitos espessas para que a difusão molecular de O2 e CO2 seja significativa entre o ar inspirado e o sangue arterial pulmonar que segue pelos capilares alveolares.[3] A zona condutora, não contêm alvéolos e, assim sendo, são anatomicamente incapazes de realizar a troca gasosa com o sangue venoso.[4][5]

Referências

  1. a b Linda Costanzo. Fisiologia. Elsevier Health Sciences Brazil; 27 December 2011. ISBN 978-85-352-5503-4. p. 646.
  2. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Jornal Brasileiro de Pneumologia. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia; p. 227.
  3. Nigel Slack; Stuart Chambers; Robert Johnston. Pulmões: Uma Abordagem Integrada à Doença. ISBN 978-85-8055-223-2. p. 33.
  4. Michael G. Levitzky. Fisiologia Pulmonar. McGraw Hill Brasil; ISBN 978-85-63308-40-5. p. 7.
  5. Maria Buratto Souto. Reanimação cardiorrespiratória pediátrica: Uma abordagem multidisciplinar. Artmed; ISBN 978-85-363-1554-6. p. 17.