Zorro nos quadrinhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estréia do Zorro no romance The Curse of Capistrano, publicado em capítulos na revista All-Story Weekly (1919).

Zorro nos quadrinhos refere-se às contribuições, nas histórias em quadrinhos, à história do personagem, oriundo dos pulps. A principal e mais duradoura influência foi dada pela série de televisão bem-sucedida, produzida pela Disney. O artista americano Alex Toth, desenhou várias histórias com os personagens da série pela Dell Comics/Western Publishing. No Brasil, artistas contratados pela Editora Abril, tais como os roteiristas Primaggio Mantovi e Ivan Saidenberg e os desenhistas Rodolfo Zalla e Walmir Amaral.[1]

Em anos mais recentes, a editora americana Dynamite Entertainment voltou a publicar histórias do personagem.

História[editar | editar código-fonte]

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Zorro na capa de Hit Comics #55, arte de Pete Riss

Em Hit Comics #55 publicada pela Quality Comics em novembro de 1948, Zorro é invocado por Kid Eternidade. Nessa versão ele usa apenas um chicote, sem máscara.[2]

A Dell Comics publicou Zorro em sete edições da revista Four Color: #228 (1949), #425 (1952), #497 (1953), #538 (1954), #574 (1954), #617 (1955) e #732 (1957). Estas histórias tiveram roteiro de Gaylord Du Bois e desenhos de Everett Raymond Kinstler (497, 538, e 574), Bob Fujitani, Bob Correa e Alberto Giolitti.[3]


Em fevereiro de 1958, a revista Four Color #882 trouxe os desenhos de Alex Toth para histórias com os personagens da série de TV de Walt Disney. O Zorro ganhou sua própria revista americana em 1959, com sete exemplares. Ele também começou a aparecer em Walt Disney's Comics and Stories (também da Dell) de #275 a #278. A Gold Key Comics iniciou uma série do Zorro em 1966, mas, como a do Lone Ranger, continham apenas material republicado. Terminou em 1968, após nove números. De 1965 a 1974, a própria Disney produziu histórias para o mercado externo.[4]

O personagem ficou sem ser publicado nos Estados Unidos por décadas, até que em 1990, a Marvel Comics publicou uma série de 12 edições, baseada na série de TV Zorro, estrelada por Duncan Regehr. Muitas dessas revistas tiveram capas de Alex Toth.

Em 1993, a Topps Comics publicou a minissérie em 2 edição Drácula Versus Zorro,[5] seguida por uma série Zorro de 11 edições. Topps publicou duas minisséries de Lady Rawhide, um spin-off das histórias Zorro criado pelo escritor Don McGregor e artista Mike Mayhew. McGregor posteriormente roteirizou uma quadrinização do filme A Máscara do Zorro, ilustrada por Ron Wagner e publicada em 4 edições pela Image Comics.[6]

Tiras diárias e pranchas dominicais também foram publicados no final da década de 1990. Roteirizada por McGregor e ilustrada por por Tom Yeates.[7] Em 2002, a AC Comics republicou duas histórias publicadas pela Dell: Hand of Zorro e The Sword of Zorro, ambas ilustradas por Everettt Raymond Kinstler.[8][9]

Em 2005, editora Papercutz, publicou uma série escrita por Don McGregor e ilustrado no estilo mangá pelo brasileiro Sidney Lima[10]

A Dynamite Entertainment relançou o personagem em 2008, iniciando por uma série roteirizada por Matt Wagner, baseada no romance de Isabel Allende antes de escrever suas próprias histórias. A editora também lançou uma série inédita, "Matanzas", roteirizada por Don McGregor e ilustrada por Mike Mayhew.[11][12] Zorro também aparece em 2013 na minissérie Masks, ao lado de O Besouro Verde, Kato, O Sombra, The Spider, Miss Fury, Black Bat, Green Lama e Black Terror. Escrita por Chris Roberson e arte de Alex Ross e Dennis Calero, a trama é baseada em histórias de The Spider, escritas por Norvell Page na década de 1930.[13] Em 2011, publicou um crossover de Zorro com o Lone Ranger, escrita por Ande Parks. Curiosamente, o personagem Lone Ranger ficou conhecido como Zorro no Brasil durante muitos anos[14] e com quem Zorro dividiu um bloco de animações produzidas pela Filmation na década de 1980.[15]

Em 2013, a Dynamite resgatou a Lady Rawhide em série própria,[11] no ano seguinte, lança um novo spin-off: Lady Zorro[16]

Em 18 de junho de 2014, Dynamite Entertainment anunciou que Quentin Tarantino iria co-escrever uma série em parceria com Matt Wagner, um crossover de Zorro com o personagem de Tarantino, Django Freeman do filme Django Livre. Anteriormente, Django teve quadrinhos pela Vertigo, um selo adulto da DC Comics.[17] A Sony Pictures cogitou produzir um filme com os dois personagens.[18]


Em 2016, Classic Heroes anunciou a republicação das tiras diárias.[19] Ao longo dos anos, algumas histórias foram republicadas em volumes encadernados:

  • Zorro In Old California Eclipse Books ISBN 978-0-913035-12-2
  • Zorro The Complete Classic Adventures By Alex Toth. Volume One Image Comics 1988. ISBN 978-1-58240-014-3
  • Zorro The Dailies – The First Year By Don McGregor, Thomas Yeates. Image Comics 2001. ISBN 1-58240-239-6
  • Alex Toth's Zorro: The Complete Dell Comics Adventures. Hermes Press 2013. ISBN 978-1613450314
  • Zorro: The Complete Dell Pre-Code Comics. Hermes Press 2014. ISBN 9781613450666
  • Zorro Vol. 1 : Year One: Trail of the Fox. Dynamite Entertainment. (208 páginas, reunindo as histórias de Zorro #1–8) ISBN 978-1-60690-013-0
  • Zorro Vol. 2: Clashing Blades. Dynamite Entertainment. (152 páginas, reunindo as histórias de Zorro #9-14) ISBN 9781606901168
  • Zorro Vol. 3: Tales of the Fox. Dynamite Entertainment. (160 páginas, reunindo as histórias de Zorro #15-20) ISBN 978-1-60690-236-3
  • Zorro: Matanzas. Dynamite Entertainment. (112 páginas, reunindo as histórias de Zorro Matanzas #1-4) ISBN 978-1-60690-147-2
  • Zorro Rides Again Vol. 1. Dynamite Entertainment. (144 páginas, reunindo as histórias de Zorro Rides Again #1-6) ISBN 978-1606902714
  • Zorro Rides Again Vol. 2. Dynamite Entertainment. (152 páginas, reunindo as histórias de Zorro Rides Again #7) ISBN 978-1-60690-454-1
  • The Lone Ranger: Death of Zorro Dynamite Entertainment. (128 páginas, reunindo as histórias de The Lone Ranger: Death of Zorro#1-5)

França[editar | editar código-fonte]

Pôster do seriado Zorro's Fighting Legion (1938).

O personagem de Zorro foi adaptado em quadrinhos na França, em 1939, na revista Jumbo, ilustrado por Tori e Gal.[20] Em 1947, André Oulié produziu histórias do Zorro para a Zorro-Jeudi Magazine, para Zig Zag produziu Zorro nouvelle formule e por fim Zorro l'invincible, publicado de 1947 a 1953. Bob Dan (desenho) e George Fronval (roteto), produziram histórias do Zorro para o periódico L'Intrépide.[21]:

  1. Le Vengeur masqué, 1948.
  2. Le Protégé de Zorro, 1949.

Em 1949, Fronval e o ilustrador Eugène Gire adaptaram o seriado Zorro's Fighting Legion para a revista Collection Hurrah!.[22]

A partir de 1958, as história da Dell baseadas na série da Disney foram publicadas no Le Journal de Mickey, após, o termino delas, a revista publicou histórias produzidas pelos estúdios Disney para o mercado externo e histórias de autores locais.[23]

Em 1968, foi ilustrado por Jean Pape.[24]

Espanha[editar | editar código-fonte]

Em 1956, a Editorial Ferma publicou a revista "El Zorro",[25] ilustrada por Joan Rafart.[26]

Portugal[editar | editar código-fonte]

Em 1949, a revista Diabrete publicou uma adaptação de The Curse of Capistrano/The Mark of Zorro como O Sinal do Zorro, ilustrada por Fernando Bento, em 1962, surge a revista "Zorro", publicando não apenas o herói mascarado, como outras histórias em quadrinhos, entre elas, Asterix.

Brasil[editar | editar código-fonte]

Clayton Moore como o herói Lone Ranger, que também foi chamado de Zorro no Brasil

No Brasil, Zorro foi primeiro publicado na revista Edição Maravilhosa da Ebal, que trazia as adaptações da Dell,[27] em 1954, a editora lança a revista Zorro, trazendo histórias do popular Lone Ranger, que desde de 1938, quando O Globo Juvenil iniciou a publicação das tiras diárias do cowboy, esse era chamado de Zorro.[15] Mas, tirando a máscara, o Cavaleiro Solitário possui poucas semelhanças com o real Zorro - o cenário é os Estados Unidos, nos tempos dos vaqueiros ("cowboys") que lutavam contra os donos originais da terra, os índios. Aliás, o fiel companheiro e amigo do Zorro, que monta no cavalo branco que atende pelo nome de Silver ("prata", em inglês) é o índio Tonto.[28]O nome pode ter sido mantido por uma série de coincidências envolvendo produções da Republic Pictures: A produtora tinha um seriado onde a história do Zorro é transformada em um faroeste, o herói tem um cavalo branco igual ao do Lone Ranger: Zorro's Fighting Legion (1939),[29] Zorro também apareceria com um cavalo branco chamado Fantasma na série de TV da Disney de 1957[30] e no desenho japonês Kaiketsu Zorro de 1996, aparece com um cavalo branco chamado Viento.[31] Dois atores interpretaram ambos os personagens em produções da Republic: Robert Livingston interpretou Zorro no filme The Bold Caballero (1936) e Lone Ranger no seriado The Lone Ranger Rides Again e Clayton Moore interpretou um descendente de Dom Diego que assume o manto do Zorro no seriado Ghost of Zorro (1949) e o Lone Ranger na série de TV The Lone Ranger.[15] O estúdio também produziu Zorro Rides Again (1937) e Son of Zorro (1947), outros dois seriados de faroeste sobre descendentes do Zorro original, o primeiro na década de 1930 e o segundo após a Guerra de Secessão .[30]

O seriado Zorro's Black Whip de 1944 foi estrelado por uma mulher, a The Black Whip interpretada por Linda Stirling e, apesar de levar o nome de Zorro no título, o personagem Zorro não aparece em nenhum momento no seriado e nem ao menos é citado. Os seriados Don Daredevil Rides Again, de 1951, e Man with the Steel Whip de 1954, traziam dois heróis mascarados: Don Daredevil e El Latigo e utilizaram cenas de arquivo de Zorro's Black Whip .[32] As histórias de Alex Toth circularam nos anos de 1960 e 1970, principalmente na revista "Almanaque do Tio Patinhas". Durante os anos de 1970, artistas brasileiros produziram para a Estúdios Abril diversas aventuras baseadas na série de TV,[33] com destaque para as batalhas contra o Capitão Monasterio e o conspirador Águia. O personagem ganhou algumas revistas especiais com histórias exclusivas, as chamadas "Edições Extras da revista Mickey"[34]

Na primeira Edição Extra lançada com o Zorro,[35] o de número 57 de maio de 1974, foi publicada a primeira história do Zorro baseada na série de TV (originalmente lançada na revista Four Color # 882 de fevereiro de 1958) com o título de "O Nascimento do Zorro". desenhada por Alex Toth. Teve também o primeiro confronto com o Águia (que aparece na capa, desenhada por Rodolfo Zalla), uma história produzida pelos artistas brasileiros Ivan Saidenberg (roteiro) e Walmir Amaral (desenhos).


EmOperação P.I. 1820, escrita por Primaggio Mantovi, o herói se encontrou com Mickey Mouse e o Pateta, Rodolfo Zalla ilustrou os personagens realistas e Moacir Rodrigues Soares, os personagens cartunescos.[36]

Além da Editora Abril houve as revistas da EBAL, que traziam o nome de Zorro, Capa & Espada, enquanto o da primeira era chamado de Zorro, o verdadeiro. Esses títulos complementares eram para diferenciar do caubói Lone Ranger.[37][38]

O roteirista Ivan Saidenberg resolveu homenagear o personagem transformando Huguinho, Zezinho e Luizinho nos Zorrinhos, porém, de acordo com Júlio de Andrade, sua inspiração foi uma história americana onde a fantasia de Zorrinho aparece.[39] Em Walt Disney's Comics and Stories 224 (1959), Donald e os sobrinhos aparecem vestidos com roupas parecidas com a do herói[40]

Em 1979, Franco de Rosa,[37] Arthur Garcia[41] e Sebastião Seabra produzem "Zorro, Capa & Espada" para a EBAL.[42]


Na década de 1980, Franco de Rosa lança Zorro pela editora Maciota/Press.[37]

Em 1991, a L&PM publicou uma coletânea de histórias produzidas por Alex Toth para a Dell.[43]

Em 1993, a Editora Escala publicou Drácula x Zorro da editora Topps.[5]

Em 1998, a Metal Pesado publicou a quadrinização do filme A Máscara do Zorro, estrelado por Antonio Bandeiras.[44]

Em 2006, a Panini Comics publicou Zorro: Fugitivos, mini-série da editora americana Papercutz, escrita por Don McGregor e ilustrada no estilo mangá por Sidney Lima, na versão da Panini, as capas foram assinadas por Daniel HDR.[10] um quadrinista que desenhada tanto no estilo americano quanto no estilo japonês.[45]

Em 2015, a Mythos Editora publicou uma edição encadernada da minissérie Masks, com o título traduzido para Máscaras.[46]

Zorro: Fugitivos[editar | editar código-fonte]

Minissérie em quadrinhos, originalmente publicada pela Zorro Productions, e traduzido no Brasil pela Panini Comics em 4 volumes com o título de capa Zorro em 2006.[10]

A minissérie narra uma aventura de Zorro, que foge do Comandante Enrique Monasterio, passando por diferentes lugares. Ele vem acompanhando de uma bela jovem chamada Eulália,[10] que se encontra amargurada por uma cicatriz no rosto que recebeu do Comandante. Conforme viajam, ajudam a si mesmos e pessoas que encontram no caminho.

O desenho ainda possui um traço que pode lembrar certos leitores de arte de mangás.


Créditos[editar | editar código-fonte]

Baseado no personagem criado por Johnston McCulley, a minissérie conta com:

Referências

  1. .Inducks
  2. «Hit Comics #55». Comic Book Plus 
  3. Zorro: The Complete Dell Pre-Code Comics no Google Livros
  4. «Disney Studios». Inducks 
  5. a b A trajetória das HQs de terror no Brasil
  6. «Bibliography». donmcgregor.com 
  7. Fabricio Grellet (6 de Agosto de 2001). «Zorro em lançamentos da Image Comics». Omelete 
  8. «Hand of Zorro 1». AC Comics 
  9. «The Sword of Zorro 1». AC Comics 
  10. a b c d Carlos Costa (20 de março de 2006). «Zorro retorna ao Brasil pela Panini». HQManiacs 
  11. a b Rich Johnston (5 de Maio de 2013). «The Return Of Lady Rawhide». Bleeding Cool 
  12. «Lady Rawhide». An International Catalougue of Superheroes 
  13. Leonardo Vicente Di Sessa (12 de julho de 2012). «Masks: uma reunião de heróis pulps». HQManiacs 
  14. Leonardo Vicente Di Sessa (15 de dezembro de 2010). «Crossover entre Zorro e Cavaleiro Solitário». HQManiacs 
  15. a b c Nano Souza (8 de agosto de 2013). «Zorro e Cavaleiro Solitário - Uma Confusão à Brasileira». HQManiacs 
  16. «Preview: Lady Zorro #1». Comic Book Resources. 13 de julho de 2014 
  17. «Tarantino revela detalhes de história em quadrinhos com Django e Zorro». O Globo. 28 de julho de 2014 
  18. Kirsten Acuna (15 de dezembro de 2014). «Sony Is Apparently Working On A 'Django Unchained'/'Zorro' Crossover Movie With Quentin Tarantino». Business Insider 
  19. Zorro em coletânea de tiras contemporâneas
  20. Jean-Jacques Gabut (2004). 'âge d'or de la BD: Les journaux illustrés 1934-1944. [S.l.]: Herscher. 138 páginas. 9782733503683 
  21. Le Rocambole: bulletin de l'Association des amis du roman populaire, Edições 34-37. [S.l.]: A.A.R.P. 2006. 170 páginas 
  22. Collection Hurrah! Bedetheque
  23. «Zorro (France)». Inducks 
  24. Zorro, toujours jeune, a gardé ses fans
  25. El Zorro
  26. Raf, el dandi que creó a Sir Tim O'Theo
  27. «Edição Maravilhosa». Gibi Raro 
  28. The Lone Ranger – Now and Forever
  29. Toni Rodrigues (31 de março de 2005). «Ebal 60 anos: uma celebração». Universo HQ 
  30. a b Mitzi M. Brunsdale (2010). Icons of Mystery and Crime Detection: From Sleuths to Superheroes. [S.l.]: ABC-CLIO. pp. 741 A 746. 9780313345302 
  31. «The Legend of Zorro». MondoTv.it 
  32. Stedman, Raymond William. «4.». Serials: Suspense and Drama By Installment. [S.l.]: University of Oklahoma Press. 108 páginas. ISBN 978-0-8061-0927-5 
  33. Marcus Ramone (18 de setembro de 2015). «Os implacáveis quadrinhos de faroeste». Universo HQ 
  34. «Zorro». Inducks. Consultado em 23 de dezembro de 2009 
  35. «Edição Extra». Inducks. Consultado em 30 de janeiro de 2010 
  36. A Produção de história dos quadrinhos Disney no Brasil
  37. a b c Marcio Baraldi (12 de junho de 2009). «Entrevista: Franco de Rosa». Bigorna.net 
  38. André Craveiro. «The Lone Ranger:Now & Forever - (Dynamite Entertainment) - Edição especial». Universo HQ 
  39. «Curiosidades Disney». César Brito 
  40. «Zorro Duck». Inducks 
  41. Roberto Guedes (31 de maio de 2004). «Você não pode perder Nosferatus». Anime Pró 
  42. «Sebastião Seabra». Bigorna.net. 3 de outubro de 2005 
  43. «Zorro Alex Toth». lpm.com.br 
  44. «Bate-Papo com Eloyr Pacheco». UOL. 2 de setembro de 1998 
  45. Érico Assis (25 de Agosto de 2003). «Omelete entrevista: Daniel HDR». Omelete 
  46. Máscaras

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Zorro BD Nostalgia - Database Comics Portugal
Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.