Zweites Buch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Zweites Buch (pronunciado [ˈtsvaɪ̯təs buːχ], "Segundo Livro"), publicado extraoficialmente em inglês como Hitler's Secret Book ("O Livro Secreto de Hitler") e depois oficialmente como Hitler's Second Book ("O Segundo Livro de Hitler"),[1] é uma transcrição autobiográfica coeditada com as reflexões de Adolf Hitler sobre a política externa, escrito em 1928, com 197 páginas. Foi feita depois de Mein Kampf e não foi publicado durante a vida do autor. O Zweites Buch não foi publicado em 1928 porque Mein Kampf não vendeu bem naquela época e a editora Franz-Eher-Verlag disse a ele que um segundo livro iria dificultar as vendas ainda mais.[2]

Zweites Buch e Mein Kampf[editar | editar código-fonte]

Há uma série de semelhanças e diferenças entre Zweites Buch e Mein Kampf. Como no Mein Kampf, Hitler declarou que os judeus eram o seu eterno e mais perigoso adversário. Como no Mein Kampf, Hitler descreveu que o historiador alemão Andreas Hillgruber chamou de Stufenplan ("plano passo-a-passo"). Hitler em si nunca usou o termo Stufenplan, que foi cunhado por Hillgruber em seu livro de 1965 Hitler Strategie. Resumindo, o Stufenplan reconhecia três estágios. No primeiro, haveria uma enorme formação militar, a derrubada das medidas do Tratado de Versalhes, e a formação de alianças com a Itália Fascista e o Império Britânico. O segundo seria de uma série de rápidas, "guerras-relâmpagos" em conjunto com a Itália e a Grã-Bretanha contra a França e qualquer um de seus aliados da Europa Oriental, como a Tchecoslováquia, Polônia, Romênia e Iugoslávia, que escolhessem apoiá-la. O terceiro seria uma guerra para destruir o que Hitler considerava ser o Regime "Judaico-Bolchevique" na União Soviética.

Em contraste com o Mein Kampf, no Zweites Buch Hitler adicionou um quarto estágio para o Stufenplan. Ele insinuou que, num futuro distante, uma luta pela dominação do mundo pode ter lugar entre os Estados Unidos e a aliança Europeia formada por uma nova associação de nações, que consistiriam de estados individuais com alto valor nacional.[3] Zweites Buch também oferece uma perspectiva diferente sobre os EUA em relação ao Mein Kampf. Neste último, Hitler declarou que o mais perigoso adversário da Alemanha no cenário internacional era a União Soviética; no Zweites Buch, Hitler declarou que, para fins imediatos, a União Soviética ainda era o mais perigoso adversário, mas que, a longo prazo, o mais perigoso adversário em potencial seriam os Estados Unidos.[4]

História da publicação em inglês[editar | editar código-fonte]

O livro foi pirateado, mal traduzido em inglês e extraoficialmente publicado como Hitler's Secret Book, em 1962. Mais de quarenta anos depois, ele foi relançado oficialmente em 2003, como Hitler's Second Book com a mais recente tradução pelo historiador teuto-americano Gerhard Weinberg.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «HITLER'S SECOND BOOK: The Unpublished Sequel to Mein Kampf». Publishers Weekly (PW) 
  2. Cf. Adam Tooze (2007): The Wages of Destruction: The Making and Breaking of the Nazi Economy. London. p. 13.
  3. Hitler, Adolf; Weinberg, Gerhard L. (editor) (2003). Hitler's second book: the unpublished sequel to Mein Kampf, p. 227. Enigma.
  4. Hillgruber, Andreas Germany and the Two World Wars, Harvard University Press: Cambridge, 1981 páginas 50–51
  5. Crayton, Cherry. «A Light in History's Dark Houses». Endeavors