Aliança Democrática (Portugal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aliança Democrática
Líder Francisco Sá Carneiro (1979-1980)
Francisco Pinto Balsemão (1981-1983)
Fundação 1979
Dissolução 1983
Sede  Portugal
Ideologia Social-democracia portuguesa
Democracia cristã
Conservadorismo liberal
Reformismo
Espectro político Centro-direita
Afiliação nacional PSD
CDS
PPM
Reformadores
Cores Azul e Laranja
Bandeira do AD.

Aliança Democrática (AD) foi uma coligação de centro-direita, formada em Portugal 1979 pelo Partido Social-Democrata (PPD/PSD), pelo Centro Democrático Social (CDS) e pelo Partido Popular Monárquico (PPM) e reformadores.[1] Teve como grande impulsionador o líder histórico do PSD, Francisco Sá Carneiro bem como os líderes do CDS, Diogo Freitas do Amaral e do PPM, Gonçalo Ribeiro Teles.

A AD concorreu às eleições legislativas intercalares de 1979 e às eleições legislativas gerais de 1980, obtendo os seguintes resultados:

  • 1979: 45,26% (128 deputados em 250)
  • 1980: 47,59% (134 deputados em 250)

Com base nestes resultados, a AD foi convidada a formar Governo, tendo o mesmo tomado posse a 3 de janeiro de 1980, liderado por Francisco Sá Carneiro. No entanto, este primeiro Governo viria a cair, devido à morte do Primeiro-Ministro num acidente de aviação ainda hoje por explicar, na noite de 4 de dezembro de 1980.

Posteriormente, a AD foi convidada a formar mais dois governos, que seriam liderados, até 1983, por Francisco Pinto Balsemão, que substituiu Sá Carneiro à frente do PSD.

Em 1982 a coligação atravessava já uma grave crise e acabou por se desfazer, tendo os partidos que a constituíam concorrido separados às eleições legislativas de 25 de abril de 1983, ganhas pelo Partido Socialista.

Já mais recentemente, em finais da década de 1990, foi feita uma tentativa de recriar a AD, apenas com o PSD e o CDS; no entanto o projecto viria a fracassar devido a desentendimentos entre os líderes dos dois partidos, Marcelo Rebelo de Sousa e Paulo Portas.

Na sequência das eleições para a Assembleia da República de 2002, o partido mais votado, o PSD, liderado por Durão Barroso, aliou-se ao Partido Popular de Paulo Portas por forma a assegurar uma maioria parlamentar e formar novo Governo.

Resultados eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data Votos % +/- Deputados +/- Status Notas
1979 2 719 208 45,3 (1.º)
128 / 250
Governo PSD(80), CDS(43), PPM(5)
1980 2 868 076 47,6 (1.º) Aumento2,3
134 / 250
Aumento6 Governo PSD(82), CDS(46), PPM(6)

Eleições autárquicas[editar | editar código-fonte]

Data Votos % +/- Presidentes CM +/- Vereadores +/-
1979 1 272 058 25,5 (2.º)
73 / 305
426 / 1 900
1982 1 004 065 19,6 (3.º) Baixa5,9
49 / 305
Baixa24
322 / 1 909
Baixa104

Eleições presidenciais[editar | editar código-fonte]

Data Candidato
apoiado
1.ª Volta 2.ª Volta
Votos % Votos %
1980 António Soares Carneiro 2 325 481 40,23 (2.º)

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências




Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.