Massacre de Salsipuedes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Batalha de Salsipuedes)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Placa alusiva ao massacre

A Matança de Salsipuedes ocorreu em 11 de abril de 1831, na região conhecida como Salsipuedes.

Alguns a chamam massacre de Salsipuedes, ou Genocídio de Salsipuedes.

Foi a primeira de uma série de ações em uma campanha de extermínio dos charruas nos primórdios da República Oriental do Uruguai.

Fructuoso Rivera

O próprio Juan Lavalleja, da campanha libertadora dos 33 Orientales, já havia recomendado por carta (datada de fevereiro de 1830) a Fructuoso Rivera, presidente da recém-criada república, que adotasse as providencias “mais ativas e eficazes” para a segurança dos habitantes e a garantia das propriedades afetadas pelos charruas: malvados, não conhecem freio algum que os contenha, e não se poderia deixá-los livres às suas inclinações naturais.

Foi realizada por Fructuoso Rivera e seu sobrinho Bernabé Rivera, segundo se relata, em forma de embuste.[1] Os caciques haviam sido convidados a um encontro para organizar a defesa das fronteiras do novo país. Os índios que compareceram foram mortos ou aprisionados e enviados a Montevidéu como escravos em boa parte. Outros tantos conseguem escapar da emboscada, entre eles o Cacique Sepé, quem seria o diretor do justicamento ao que foi submetido Bernabé Rivera posteriormente, encontrando assim a morte, a mãos de um grupo dos Charrúas sobreviventes.[2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referencias[editar | editar código-fonte]

  1. CORTE, Jose Ignacio (6 de maio de 2019). «EM BUSCA DA MEMÓRIA E DA IDENTIDADE: A RESISTÊNCIA DO POVO CHARRUA NO URUGUAI.». web.archive.org. UNIRIO/RJ. p. 15. Consultado em 8 de maio de 2019 
  2. ACOSTA Y LARA, Eduardo (1989). LA GUERRA DE LOS CHARRÚAS (PDF). Montevideo: LIBRERIA LINARDI Y RISSO. Consultado em 8 de maio de 2019