Atlético Clube de Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Carcavelinhos)
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Atlético
Logo Atlético de Portugal.png
Nome Atlético Clube de Portugal
Alcunhas Alcantarenses
Carroceiros
Fundação 18 de setembro de 1942 (74 anos)
Estádio Estádio da Tapadinha
Capacidade 4.400 pessoas
Localização Lisboa, Portugal
Presidente Portugal Armando Hipólito[1]
Treinador Canadá Nilton Terroso
Material esportivo Itália Givova
Competição Portugal Segunda Liga
Portugal Taça de Portugal
Portugal Taça da Liga
Website atleticocp.pt
Temporada atual
editar

O Atlético Clube de Portugal OC é um clube português, localizado na cidade de Lisboa, mais exactamente na freguesia de Alcântara. Foi fundado em 18 de Setembro de 1942 devido à fusão de 2 clubes de Alcântara (Carcavelinhos Football Clube) e Santo Amaro (União Foot-Ball Lisboa). Além do Futebol, o clube possui ainda seções de Futsal, Basquetebol, Natação, Ginástica e Hóquei em Campo.

História[editar | editar código-fonte]

Fundado a 18 de Setembro de 1942, fruto da fusão entre o Carcavelinhos Football Club e o União Foot-ball Lisboa, desde logo o Atlético Clube de Portugal passou a integrar as competições desportivas da época. Num Portugal cinzento e dominado pelos clubes de sempre, o Atlético foi uma lufada de ar fresco e sempre incómodo para os chamados “grandes”.

Em 1951, por efeito da obra cultural e desportiva do Atlético, face aos esforços desenvolvidos em prol do prestígio do Desporto Nacional, foi atribuído ao Clube o grau de Oficial da Ordem Militar de Cristo.

Em 1981 foi concedido ao Atlético Clube de Portugal o estatuto de Instituição de Utilidade Pública.

Finalmente, em 1992, por altura das comemorações do cinquentenário da fundação do Atlético, a Câmara Municipal de Lisboa deliberou atribuir ao Clube a Medalha de Mérito Municipal, grau Ouro, enquanto que o Governo da República decidiu galardoá-lo com a Medalha de Bons Serviços desportivos.[2]

Década de 1940-49[editar | editar código-fonte]

Logo na época da sua fundação, 1942/43, o Basquetebol do Atlético conquistaria o primeiro de muitos títulos. O Campeonato de Lisboa ficaria na posse do novel clube. Na temporada seguinte, 1943/44, mais dois títulos. À conquista da 2ª Divisão Nacional juntar-se-ia a Taça de Portugal.

No Futebol, em 1944/45, o Atlético conquistaria a 2ª Divisão Nacional, após um sexto lugar no Campeonato de Lisboa e presença nos quartos-de-final da Taça de Portugal. Seria nesta década que o clube alcançaria duas finais da Taça de Portugal, em 1943 e 1946. Além de meritórias prestações na 1ª Divisão, como o 3º lugar em 1943/44.

O Rugby viria a conquistar dois campeonatos de Lisboa em 1943/44 e 1945/46.

Década de 1950-59[editar | editar código-fonte]

A 23 de Outubro de 1950 foi feito Oficial da Ordem Militar de Cristo.[3]

Pela primeira vez um título nas camadas jovens, com os Juniores do Futebol a conquistarem a Taça de Honra da Associação de Futebol de Lisboa, em 1951/52. Já os seniores, venceriam, novamente, a 2ª Divisão Nacional em 1958/59. Esta foi uma década onde alguns dos nomes que povoam o nosso imaginário envergaram a camisola do Atlético. Ernesto, Germano, Ben David, Avelino, Baptista ou José Lopes tiveram brilhantes actuações na Divisão maior do Futebol português, obtendo um 3º lugar em 1949/50, e um 4º em 1950/51.

O Basquetebol voltou a conquistar a Taça de Portugal, em 1953/54.

Década de 1960-69[editar | editar código-fonte]

O Futebol voltou a conquistar um título nacional, numa década escassa em troféus. Em 1967/68 o Atlético voltava a inscrever o seu nome na lista de vencedores da 2ª Divisão Nacional.

Década de 1970-79[editar | editar código-fonte]

Uma década marcada pelas conquistas das modalidades, com o Basquetebol a conquistar o Campeonato Nacional de Juvenis em dois anos consecutivos, 73/74 e 74/75, conquistas que tiveram seguimento no Campeonato Nacional de Juniores em 75/76 e na 2ª Divisão Nacional em 76/77. O Andebol conquistou a 2ª Divisão Nacional em 1971/72.

Estas conquistas vieram provar que a decisão de construir o Pavilhão Engº Santos e Castro foi acertada, já que jogando em casa o Atlético demonstrou-se imbatível, e uma equipa temida nas suas modalidades de pavilhão em todo o território nacional.

A década de 70 fica marcada pela última presença do Atlético na 1ª Divisão de Futebol, na época de 1976/77.

Década de 1980-89[editar | editar código-fonte]

Uma das décadas mais proveitosas em termos de títulos para o Atlético. O Futebol venceu a Taça de Honra da 3ª Divisão em 80/81 e a Taça de Honra da 2ª Divisão em 87/88, enquanto que os juniores venciam a mesma competição em 84/85 e 87/88. O Futebol feminino vencia a Taça de honra em 81/82.

As modalidades de pavilhão também dariam títulos, neste caso nacionais. O basquetebol veria os juvenis vencerem o Campeonato Nacional em 87/88, e os Juniores em 89/90.

O Voleibol feminino conquistaria a Taça de Portugal por três épocas consecutivas, 81/82, 82/83 e 83/84, tendo representado o Atlético além fronteiras, na Taça dos Vencedores das Taças.

Década de 1990-99[editar | editar código-fonte]

No futebol os juniores voltaram a conquistar a 2ª Divisão da Taça de Honra, em 91/92.

Esta década fica marcada pelo aparecimento de uma nova modalidade no clube. O Futsal, que veio substituir o Futebol de Salão e o Futebol 5, desde o início que foi uma das mais fortes equipas a nível nacional, com vários jogadores internacionais a passar pelo Pavilhão Engº Santos e Castro. A nível de conquistas, as vitórias na 1ª Divisão da Taça de Honra em 90/91 e 91/92, e a Taça de Honra da Comunicação Social em 90/91, complementam as boas prestações no Campeonato Nacional, onde o Atlético participou em várias fases finais, tendo alcançado o segundo lugar em 93/94.

Década de 2000-09[editar | editar código-fonte]

O Futebol voltou às conquistas, com a 3ª Divisão Nacioanl em 03/4 e 05/06, e a subida da equipa de juniores aos Nacionais, com a conquista da Divisão de Honra da Associação de Futebol de Lisboa em 05/06.

O Basquetebol veria a sua formação dar frutos, ao conquistar a Taça Nacional de Sub-20 em 2006/07.

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

O futebol fica marcado pela subida à Segunda Liga em 2010/11, num regresso às competições profissionais. Além disso, o título inédito nos juniores, que conquistaram a 2ª Divisão Nacional em 2012/13.

Destaque também para o Basquetebol, que conquistou o Campeonato Nacional da 1ª Divisão, terceiro escalão do Basquetebol nacional, numa final frente ao Vasco da Gama, em 2013/14, que devolveu o clube à Proliga

O Futsal viveu também momentos de glória, com a conquista da Divisão de Honra da Associação de Futebol de Lisboa, em 2012/13. Na temporada seguinte, nova promoção, com o clube a regressar à 2ª Divisão Nacional, oito anos depois.

O Hóquei em Campo, modalidade regressada ao clube em 2015, viria a vencer o Campeonato Nacional de Hóquei Indoor, na temporada 2015/16.

Emblema[editar | editar código-fonte]

O emblema é encimado pela coroa acastelada de cinco torres, herdada dos emblemas quer do União Foot-Ball Lisboa quer do Carcavelinhos Football Clube. A coroa pode ainda ser ornamentada, ou não, na sua base, com 2 rubis e 3 esmeraldas.

Este é unido à coroa pelas extremidades desta, sendo o espaço originado entre os dois elementos, preenchido a vermelho. O corpo do emblema é constituído por um triângulo isósceles invertido.

Tal como a coroa, o corpo do emblema é bordejado por um filete a oiro. Sobre o lado esquerdo, em posição inclinada, acompanhando a aresta do triângulo, estão três faixas de largura idêntica, por esta ordem, da esquerda para a direita: Amarela Vermelha e Azul. Cores do União(Amarela e Vermelha) e do Carcavelinhos (Vermelho e Azul).

No resto do emblema, em fundo branco e em letras que poderão ser negras ou doiradas, por extenso, no topo, em caixa alta, a palavra "Atlético", e por baixo, acompanhando de forma harmoniosa a moldura, as letras "C" e "P", significando "Clube" e "Portugal", respectivamente.[4]

Palmarés[editar | editar código-fonte]

Futebol[5]

  • Campeonato Nacional da 2ª Divisão (1944/45, 1958/59 e 1967/68)
  • Campeonato Nacional da 3ª Divisão (2003/04 e 2005/06)
  • Taça de Honra AF Lisboa – 2ª Divisão (1987/88)
  • Taça de Honra AF Lisboa – 3ª Divisão (1980/81)
  • Campeonato Nacional da 2ª Divisão de Juniores (2012/13)
  • Divisão de Honra AF Lisboa de Juniores (2005/06)

Futebol Feminino[6]

  • Taça de Honra AF Lisboa (1981/82)

Basquetebol[7]

  • Taça de Portugal (1943/44 e 1953/54)
  • Taça Nacional de Sub-20 (2006/07)
  • Campeonato Nacional da 2ª Divisão (1943/44 e 1976/77)
  • Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Seniores (2013/14)
  • Campeonato de Lisboa (1942/43)
  • Campeonato Nacional de Juniores (1975/76 e 1989/90)
  • Campeonato Nacional de Juvenis (1973/74, 1974/75 e 1987/88)

Voleibol Feminino[8]

  • Taça de Portugal (1981/82, 1982/83 e 1983/84)

Rugby[9]

  • Campeonato de Lisboa (1943/44 e 1945/46)

Andebol[10]

  • Campeonato Nacional da 2ª Divisão (1971/72)

Hóquei em Campo[11]

  • Campeonato Nacional de Hóquei Indoor (2015/16)

Futsal[12]

  • Taça de Honra da 1ª Divisão AF Lisboa (1990/91 e 1991/92)
  • Taça de Honra da Comunicação Social AF Lisboa (1990/91)
  • Divisão de Honra AF Lisboa (2012/13)

Infraestruturas[editar | editar código-fonte]

Desde o estabelecimento do clube em 1942, o clube jogou no Campo da Tapadinha, que a 23 de Setembro de 1945 passou a designar-se de Estádio da Tapadinha, após obras de melhoramento e ampliação [13]. O estádio tem uma capacidade de 4400 lugares.

As modalidades de pavilhão (Futsal e Basquetebol) disputam os seus jogos no Pavilhão Engenheiro Santos e Castro, construído nos anos 70.


Plantel Profissional de Futebol 2015/16[editar | editar código-fonte]

No. Posição Jogador
1 Portugal G Bernardo Francisco
2 Brasil D Lucas Rocha
3 Brasil D Jefferson (Emprestado pela Itália Sampdoria)
4 Portugal D Duarte Machado Captain sports.svg
6 Portugal M Diogo Pires
7 Colômbia A Palacios
8 Guiné-Bissau M Forbs
9 Costa do Marfim A Vouho
13 China M Dongyang Liu
14 Mali M Mamadou Djikiné
16 Portugal D Jorge Ribeiro
17 Portugal D Luís Veloso
18 Cabo Verde M Celestino
19 Cabo Verde A Joazimar Stehb
20 Portugal M Hélio Cruz
Posição Jogador
21 República Democrática do Congo D Pieter Mbemba
22 Portugal D Pedro Almeida
23 Guatemala A Minor López
24 Coreia do Sul M Jun-Heong Park
25 Argentina G Danilo Lerda
28 Portugal M Paulo Regula
31 Suíça A Cephas Malele (Emprestado pelo Itália Palermo)
33 Brasil A Nádson
35 Gana M Edmund Hottor (Emprestado pelo ItáliaInter de Milão)
55 Itália D Gerevini (Emprestado pelo Itália Bolonha)
58 Portugal M Manuel Curto
61 Portugal G Mickaël Meira
70 Venezuela D Grenddy Perozo
77 Portugal D Bruno Simão
91 França A Chris Gadi

Escalões[editar | editar código-fonte]


Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O Atlético eliminou surpreendentemente o Futebol Clube do Porto da Taça de Portugal 2007, por 0-1 em jogo disputado no Estádio do Dragão. Na altura o Atlético disputava a II Divisão - Zona Sul. David marcou o golo aos 59 minutos.[14]
  • O Atlético foi a última equipa da metrópole(como então se designava a capital do Império Português) a visitar uma equipa das ex-colónias para uma competição da FPF. Foi num jogo a contar para a Taça de Portugal, contra o Textáfrica de Moçambique. O Atlético venceu por 0-1, golo de Clésio, no Campo do Soalpo, em Vila Pery, a 7 de Abril de 1974.[15]
  • Eusébio estreou-se pelo Benfica num amigável contra o Atlético. Foi a 23 de Maio de 1961, no Estádio da Luz, com o Benfica a vencer por 4-2. Eusébio marcou 3 golos(1 de penalty) e Mendes fez o outro golo do Benfica. Para o Atlético marcaram Angeja e Pedro Silva.[16]

Constituição da Sociedade Desportiva[editar | editar código-fonte]

A 19 de Abril de 2013, os sócios do Atlético em Assembleia Geral, mandataram a direcção para que inicie os trâmites necessários à constituição de uma sociedade desportiva para gerir o futebol profissional. [17]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]