Fronteira Botswana–Zimbabwe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Fronteira Botswana-Zimbabwe)
Fronteira Botswana–Zimbabwe
Localização de Botswana (em laranja) e Zimbábue (em verde)
Delimita: Botswana
 Zimbabwe
Comprimento: 813 km
Posição: 103
Mapa da fronteira entre o Botswana e o Zimbábue (na época chamada Rodésia do Sul).

A fronteira entre Botswana e Zimbabwe é a linha que limita os territórios de Botswana e Zimbabwe (ex-Rodésia).

Diferença económica[editar | editar código-fonte]

Um dos últimos países africanos sob domínio dos brancos, a Rodésia foi colónia britânica até 1970, e após isso foi liderada pela minoria branca, sob o governo de Ian Smith. Em 1980, a União Nacional Africana do Zimbabué (ZANU) e o seu líder, Robert Mugabe, venceram as eleições após anos de conflito, e a nova nação negra tornou-se o Zimbabwe.

Os últimos anos assistiram a um conflito interno no Zimbabwe, particularmente sobre a posse de terra. A minoria branca (menos de um por cento) detinha parte das terras cultiváveis do país, e em 2000, Mugabe instituiu uma política racista de reforma agrária que resultou na apreensão de propriedades agrícolas dos brancos. Com os proprietários rurais a sair e nenhum sistema operacional produtivo local, a produção de alimentos caiu drasticamente e a indústria agrícola vacilou, e o Zimbabué sofreu uma crise económica gravíssima. Ao mesmo tempo, a economia do Botswana, o seu vizinho a oeste, é relativamente forte. Desesperadamente os zimbabuenses inundam o Botswana em busca de trabalho, mas eles são aí oficialmente indesejáveis, pois com o desemprego acima dos 20 por cento, o Botswana não quer que seus cidadãos percam empregos para estrangeiros.

Disputas[editar | editar código-fonte]

Em 2003, começou a construir-se uma cerca elétrica de 300 milhas de comprimento ao longo da fronteira. A razão oficial para a vedação é para parar a propagação da febre aftosa, doença que ataca o gado (em 2003 o Botswana perdeu 13 000 bovinos com a doença). O governo do Botswana alega que foi trazida do outro lado da fronteira do Zimbabwe por bovinos infetados. Os zimbabuenses argumentam que a altura da vedação - inicialmente fixada em 4 m e só depois reduzida para 2,4 m - é claramente destinada a manter as pessoas apartadas. O Botswana tem respondido que a vedação é projetada para impedir a entrada de bovinos, e para assegurar que quem cruze a fronteira tenha os seus sapatos desinfetados na passagem pelas fronteiras legais. O Botsuana alega também que o governo continua a incentivar a circulação legal no país. A barreira continua a ser uma fonte de tensão entre as duas nações.[1][2]

Referências

  1. Margarida Santos Lopes (4 de Maio de 2007). «O medo constrói cada vez mais muros». Público 
  2. Elia Zureik, Mark Salter Global Surveillance and Policing, p. 184
Ícone de esboço Este artigo sobre fronteiras é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.