Neophoca cinerea

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Leão-marinho-australiano)
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaNeophoca cinerea[1]
Indivíduo na ilha North Neptune.

Indivíduo na ilha North Neptune.
Estado de conservação
Status iucn3.1 EN pt.svg
Em perigo (IUCN 3.1) [2]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Otariidae
Subfamília: Otariinae
Género: Neophoca
Gray, 1866
Espécie: N. cinerea
Nome binomial
Neophoca cinerea
(Péron, 1816)
Distribuição geográfica
Distribuição do leão-marinho-australiano
Distribuição do leão-marinho-australiano

Neophoca cinerea, popularmente conhecida como leão-marinho-australiano, é uma espécie de mamífero marinho da família Otariidae. É a única espécie descrita para o gênero Neophoca.[1] Endêmica da Austrália.

Distribuição geográfica e habitat[editar | editar código-fonte]

A espécie é endêmica da Austrália, ocorrendo das ilhas Pages e ilha Kangaroo na Austrália Meridional ate o Abrolhos Houtman na Austrália Ocidental.[2]

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Uma família de leões-marinhos-australianos

O ciclo reprodutivo do leão-marinho-australiano é incomum dentro do grupo dos pinípedes. É um ciclo de 18 meses e não é sincronizada entre as colônias. A duração da época de reprodução pode variar de cinco a sete meses e foi registrada por até nove meses, em Seal Bay na ilha Kangaroo.

Machos não estabelecem territórios durante a época de reprodução, entretanto, lutam com outros machos a partir de uma idade muito jovem, para estabelecerem suas posições individuais na hierarquia masculina e durante a época de reprodução, os machos dominantes defendem suas fêmeas e lutam pelo direito de acasalar com elas, somente quando elas entram no cio. A fêmea entra no cio por cerca de 24 horas, dentro de 7 a 10 dias depois que deu à luz. Ela só vai cuidar do filhote novo, que geralmente disputa com filhote da temporada anterior, se ele continuar a mamar nela. Leões-marinhos-australianos machos também são conhecidos por matar machos jovens, como um ato de defesa para impor sua autoridade.

A espécie também pratica o cuidado aloparental, em que um adulto pode tomar o filhote ou cuidar dos filhotes de outro leão-marinho. Isso pode acontecer se os pais originais morrerem ou por algum motivo abandonarem seus filhotes. Este comportamento é comum e é visto em muitas outras espécies de animais como elefantes e em algumas aves.[3]

Conservação[editar | editar código-fonte]

Leões-marinhos-australianos no Seal Bay Conservation Park, na ilha Kangaroo.
Leão-marinho-australiano nadando na ilha Pearson.

A União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN) classifica a espécie como "em perigo" de extinção devido a distribuição geográfica restrita e a redução do tamanho populacional.[2] Na Austrália, o Environment Protection and Biodiversity Conservation Act 1999 (EPBC) de 14 de fevereiro de 2005 considera a espécie como vulnerável.[4] A Austrália Meridional considera o animal vulnerável e sob proteção pelo National Parks and Wildlife Act 1972 de 16 de maio de 2013,[5] e a Austrália Ocidental como parte da "fauna sob proteção especial" através do Wildlife Conservation Act 1950 de 4 de dezembro de 2014.[6]

Em 11 de junho de 2013, o Minister for Sustainability, Environment, Water, Population and Communities adotou o Recovery Plan for the Australian Sea Lion (Neophoca cinerea). O plano considera as necessidades de conservação da espécie em toda sua distribuição e identifica as ações a serem tomadas para garantir a sua viabilidade a longo prazo na natureza e as partes que irão realizar essas ações.[7]

A Australian Fisheries Management Authority Commission (AFMA) também finalizou o Australian Sea Lion Management Strategy, que entrou em vigor em 30 de junho de 2010 e estabelece o isolamento das águas ao redor das colônias, paradas sazonais na atividade pesqueira, monitoramento da atividade dos leões-marinhos e pesquisa de técnicas e equipamentos da atividade pesqueira que tragam menos risco a espécie. A estratégia foi concebida para satisfazer as obrigações do Fisheries Management Act 1991 e Environment Protection and Biodiversity Conservation Act 1999. A ação irá reduzir significativamente o impacto da pesca na área de ocorrência dos leões-marinhos e permitir a recuperação da espécie, incluindo todas as subpopulações existentes na costa australiana.[8]

Referências

  1. a b Wozencraft, W.C.. Order Carnivora. In: Wilson, D.E.; Reeder, D.M. (eds.). Mammal Species of the World. 3 ed. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005. 532–628 p. ISBN 978-0-8018-8221-0 OCLC 62265494
  2. a b c Goldsworthy, S.D. (2015). Neophoca cinerea (em Inglês). IUCN 2015. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN de 2015 Versão 2. Página visitada em 23 de junho de 2015.
  3. Riedman, Marianne L. (1982). “The Evolution of Alloparental Care in Mammals and Birds”. The Quarterly Review of Biology 57 (4): 405-435
  4. EPBC Act List of Threatened Fauna Department of the Environment. Visitado em 23 de junho de 2015.
  5. National Parks and Wildlife Act 1972 Government of Soth Australia (16 de maio de 2013). Visitado em 23 de junho de 2015.
  6. Threatened and Priority Fauna Rankings Department of Parks and Wildlife (4 de dezembro de 2014). Visitado em 23 de junho de 2015.
  7. Recovery Plan for the Australian Sea Lion Minister for Sustainability, Environment, Water, Population and Communities (2013). Visitado em 23 de juhno de 2015.
  8. Australian Sea Lion Management Strategy Australian Fisheries Management Authority. Visitado em 23 de junho de 2015.
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Neophoca cinerea
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Neophoca cinerea


Ícone de esboço Este artigo sobre mamíferos é um esboço relacionado ao Projeto Mamíferos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.