O Direito à Preguiça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Le Droit à la paresse)
Ir para: navegação, pesquisa
Le Droit à la paresse
O Direito à Preguiça (BR)
O Direito à Preguiça.jpg
Autor(es) Paul Lafargue
País  França
Lançamento 1880
Edição brasileira
Editora Claridade[1]
Páginas 96
ISBN 85-88386-08-9

O Direito à Preguiça (em francês: Le Droit à la Paresse) é um panfleto político escrito por Paul Lafargue que polemiza com as visões liberais, conservadores e até marxistas do trabalho. Foi publicado no jornal socialista L'Égalité em 1880.

À época, em Paris, a jornada de trabalho superavam as 12 horas diárias (por vezes estendendo-se até 17 horas). Tal coisa ocorria pois seguia-se a doutrina que dizia que o trabalho era algo dignificante e benéfico.

O panfleto é polêmico pois discute um pecado capital como direito, escolhido de forma propositada como forma de discutir a dominação através da religião, assumindo o trabalhador como uma figura ligada a Deus. Contra essa convicção muito difundida por diversos escritores, Lafargue denuncia a "santificação" do trabalho debochando dele como um "dogma desastroso".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Nova Alexandria. «Direito à preguiça». Consultado em 11 de dezembro de 2012 
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.