The Prisoner of Zenda (livro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Prisoner of Zenda
O Prisioneiro de Zenda
Capa da segunda edição
Autor(es) Anthony Hope
Idioma inglês
País  Reino Unido
Editora J. W. Arrowsmith
Lançamento 1894
Páginas 310
Edição portuguesa
Tradução Maria Auta de Barros
Editora Editorial Publica
Lançamento 1986
Páginas 81
Edição brasileira
Tradução Stella Leonardos
Editora Ediouro
Lançamento 1976
Páginas 160
Cronologia
The Heart of Princess Osra
Rupert of Hentzau

O Prisioneiro de Zenda (em inglês, The Prisoner of Zenda) é um romance de aventura de Anthony Hope, publicado em 1894. O Rei da Ruritânia é drogado na véspera de sua coroação e, portanto, não pode comparecer à cerimônia. As forças políticas dentro do reino são tais que, para que o rei retenha a coroa, sua coroação deve prosseguir. Por sorte, um cavalheiro inglês de férias em Ruritânia, que se assemelha ao monarca, é persuadido a agir como seu engodo político em um esforço para salvar a situação política instável do interregno.

O nome do vilão em O Prisioneiro de Zenda, Rupert de Hentzau, é o título de uma continuação, o romance, Rupert de Hentzau (1898), publicado quatro anos depois, e é incluído em algumas edições de O Prisioneiro de Zenda. A popularidade dos romances inspirou o gênero "romance ruritano", presente na literatura, cinema e teatro que apresenta histórias ambientadas em um país fictício, geralmente na Europa Central e Europa Oriental, como Ruritânia, o reino da Europa Central que deu nome ao gênero,[1] que inclui os romances de Graustark por George Barr McCutcheon.

Resumo do enredo[editar | editar código-fonte]

Na noite da coroação do rei Rudolf V da Ruritânia, seu meio-irmão mais novo Michael, Duque de Strelsau, o drogou. Em uma tentativa desesperada de negar a Michael a desculpa para reivindicar o trono, o coronel Sapt e Fritz von Tarlenheim, assistentes do rei, convencem seu primo distante Rudolf Rassendyll, um visitante inglês, a personificar o rei na coroação.

O rei inconsciente é sequestrado e aprisionado em um castelo na pequena cidade de Zenda. Há complicações, enredos e contra-esquemas, entre os quais os esquemas da amante de Michael, Antoinette de Mauban e de seu arrojado mas capanga vilão, o Conde Rupert de Hentzau.

Rassendyll se apaixona pela Princesa Flavia, a prometida do rei, mas não pode lhe dizer a verdade. Ele decide resgatar o rei e lidera uma tentativa de entrar no castelo de Zenda. O rei é resgatado e é restaurado ao seu trono, mas os amantes, obrigados, devem se separar.

Referências

  1. John Clute and John Grant, The Encyclopedia of Fantasy, p. 826 ISBN 978-0-312-19869-5
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.