Pândita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Pandit)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Um pândita[1] ou pandita[2] (em sânscrito: पण्डित; IAST: paṇḍita; em inglês: pandit ou pundit) é um estudioso, um professor, em especial um profundo conhecedor de sânscrito, da lei, música de filosofia hindus. A palavra pundit ("especialista") deriva desse termo indiano. A designação pode aparecer também como a abreviatura Pt. Os termos pandit ou pundit são também usados para designar os supervisores indianos que exploravam regiões do norte da Índia para os britânicos no século XIX.

O uso original da palavra "pândita" se refere a um hinduísta, quase sempre um brâmane, que memorizou uma significativa parte dos “Vedas” junto com os correspondentes ritmos e melodias, cantando e entoando os mesmos.

Religião[editar | editar código-fonte]

Pânditas ou pujaris são contratados para cantar versos védicos nos rituais “yagya”s e outros eventos, tanto públicos como privados. Os cânticos são supostos para serem ouvidos em estado de mente calma e quieta, visando desenvolvimento espiritual para o ouvinte e também vivificação de toda atmosfera do evento. Todos Pandits são completamente lactovegetarianos por razões espirituais e eles devem se manter puros de corpo e de espírito.

Sobrenome Pandit[editar | editar código-fonte]

O sobrenome Pandit é encontrado em toda Índia até hoje, sendo mais abundante entre os caxemires. Quase todos (99%) os que têm sobrenome “Pandit” são hindus, mas há casos raros de muçulmanos com esse nome de família. Os pânditas caxemires são chamados "Kumhar", “Bhat”, “Purohit” e “Rajpurohit” em hindi.

Usos do nome[editar | editar código-fonte]

Na Índia de hoje, Pandit é um tratamento honorífico conferido a um especialista em qualquer assunto ou campo de conhecimento, especialmente música clássica indiana. Usa-se o termo somente para homens hindus, mas homens músicos muçulmanos recebem o título de “Ustad”. As mulheres expoentes nesse campo são chamadas 'Vidushi' e 'Begum' quando são respectivamente Hinduístas ou Muçulmanas.

A palavra 'Pandit' (sempre com letra maiúscula) precede sempre o nome da pessoa. Exemplos são Pandit Nehru, Pandit Ravi Shankar, Pandit D. V. Paluskar, Pandit Bhimsen Joshi, Pandit Jasraj e Pandit Mallikarjun Mansur.

Pânditas, ou notáveis locais citados no Dharmasastra, foram utilizados como conselheiros da corte britânica no país nos séculos XVIII e XIX, pois os juízes britânicos tinham pouco conhecimento dos costumes Hindus e de suas tradições orais, precisando assim de informações vindas desses Pandits. A Suprema Corte da Índia tinha um oficial legislativo no estilo de um Pundit, que informava os juízes britânicos acerca de pontos das leis hindus. A prática foi abandonada em 1864, quando os juízes já acreditavam ter suficiente experiência para lidar com as leis da colônia. Aplicavam esse conhecimento aos cada vez mais numerosos casos a serem julgados e, além disso, a instituição de das “High Courts” dois anos antes (em 1862) já havia diminuído bem a importância do apoio Pundit.

Referências

  1. «pândita». Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. www.infopedia.pt 
  2. «pandita». Dicionário Caldas Aulete da Língua Portuguesa. aulete.uol.com.br