Ramiro III de Leão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ramiro III)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ramiro III de Leão
Rei de Leão
Representação de Ramiro III.
Reinado 966-985
Dinastia Asturleonesa
Nascimento 961
Morte 26 de junho de 985 (24 anos)
  Astorga
Pai Sancho I de Leão
Mãe Teresa Ansúrez

Ramiro III de Leão (961- Astorga, 26 de junho de 985), foi rei de Leão desde 966 até à sua morte. Filho e herdeiro de Sancho I de Leão, por ser menor aquando da morte de seu pai, foi confiado à tutela da sua tia Elvira, que conseguiu impor-se aos grandes do reino graças à ajuda do clero. Durante esse período, não obstante, os condados de Castela, Galiza e Portucale desfrutaram de uma quase independência, atuando nominalmente à margem da autoridade real.

Os muçulmanos do califa de Córdova Aláqueme II, 2.º califa de Córdova, infligiram-lhe pesadas derrotas em Gormaz (975) e Rueda (981), o que levou os condes galego-portugueses a colocarem-se às ordens de Bermudo II de Leão, que se julga que fosse filho de Ordonho III; Ramiro foi vencido pelos apoiantes de Ordonho, cujas tropas entraram em Leão em 984; no ano seguinte morria Ramiro[1][2][3][4] [5].

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho do rei Sancho I de Leão, "o Grasso" ou "o Gordo" (?-966), rei de Leão e de Teresa Ansúrez (c. 943 - Oviedo, 25 de abril de 997), filha de Ansur Fernandez (943 - ?) Gontroda Nuñez. Casou antes de 18 de outubro de 980 com D. Sancha Gomes (? - 983), filha de Gomez Diaz de Saldanha[6][7]. (? - 987) e de Muniadona Fernández, de quem teve:

  1. Ordonho Ramirez "o Cego" (c. 981 - antes de 1024), casou-se cerca de 1010 com a infanta Cristina Bermudes, filha de Bermudo II de Leão e da sua primeira esposa a rainha Velasquita Ramires.

Referências

  1. Ceballos-Escalera, Alfonso. La Olmeda. ed. Reyes de Leon: Ordoño III (951-956), Sancho I(956-966), Ordoño IV (958-959), Ramiro III (966-985), Vermudo II (982-999). Burgos. ISBN 84-89915-11-3.
  2. Elorza, Juan C.; Lourdes Vaquero, Belén Castillo, Marta Negro (1990). Junta de Castilla y León. Consejería de Cultura y Bienestar Social. ed. El Panteón Real de las Huelgas de Burgos. Los enterramientos de los reyes de León y de Castilla (2ª edición). Editorial Evergráficas S.A.. ISBN 84-241-9999-5.
  3. Viñayo González, Antonio (1998). Real Colegiata de San Isidoro: Historia, Arte y Vida. León: Edilesa. ISBN 84-8012-201-3.
  4. Del Arco y Garay, Ricardo. Instituto Jerónimo Zurita. Consejo Superior de Investigaciones Científicas.. ed. Sepulcros de la Casa Real de Castilla. Madrid.
  5. Prada, María Encina: Estudio antropológico del Panteón Real de San Isidoro de León 1998 ProMonumenta, número II
  6. Gayo, Manuel José da Costa Felgueiras, Nobiliário de Famílias de Portugal, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989. vol. IV-pg. 237.
  7. Actas do 17º Congresso Internacional de Ciências Genealógica e Heráldica, Instituto Português de Heráldica, Lisboa, 1986. Tab. II-pg. 317.
Precedido por
Sancho I
Armas do reino de Leão
Rei de Leão

966 - 985
Sucedido por
Bermudo II
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.