Zaidan el-Nasir

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Zaidan el-Nasir ou Moulay Zidane, foi um rei de Marrocos da Dinastia Saadi, reinou entre 1613 e 1628. Foi antecedido no trono por Abdul Abdallah Mohammed III, e foi seguido no trono por Abd al-Malik II.[1] [2]

Guerra Civil[editar | editar código-fonte]

Durante o reinado de Zaidan, depois da morte de Mulay al-Mansur em 1603, O Marrocos progressivamente entrou em um estado de anarquia, e o Sultão perdeu sua autoridade.[1]  Salé se tornou um tipo de república independente.[1]  O Marrocos estava em um estado de guerra civil com senhores da guerra adquirindo territórios de Zidan, como as Ahmed ibn Abi Mahalli no sul e Sidi al-Ayachi no norte.[2] Os espanhóis também aproveitou a oportunidade para capturar as cidades de Larache em 1610 e depois al-Ma'mura.[2]

Relações Exteriores[editar | editar código-fonte]

Mulay Zidan estabilizou relações amigáveis com os Países Baixos, com a ajuda de Samuel Pallache, e a partir de 1609, ele estabilizou um tratado de amizade. Ele enviou muitos diplomatas para os países baixos, tais como, Muhammad Alguazir, Al-Hajari e Yusuf Biscaino.[3]

James I da Inglaterra enviou John Harrison para Muley Zaydan no Marrocos em 1610 e novamente em 1613 e 1615 para libertar cativos ingleses.[4]

Devido as circunstâncias estranhas para a guerra civil o sultão Zidan Abu Maali teve sua coleção completa transferida para um navio. O comandante do navio o "roubou" e o levou para Espanha, onde a coleção foi levada para o El Escorial.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências