Écran táctil capacitativo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Nos anos 70 construía-se o SPS e teria de se utilizar centenas de botões, interruptores e osciloscópios para gerir o acelerador, o que era irrealista devido à complexidade do acelerador. Levantou-se a ideia de construir um sistema "inteligente" unicamente com três terminais para gerir todos esses botões, interruptores, etc.

O écran táctil capacitativo[editar | editar código-fonte]

Uma invenção que hoje começa a ser comum como o écran táctil[1] de alguns telefones portáveis foi inventada para a sala de controlo do SPS do CERN em… 1973.

Era constituído por:

  • um écran táctil com um nove teclas programáveis
  • um rato (track ball) para ser usado como apontador no écran de controlo
  • um série de botões programáveis.

Esse sistema, tal qual, continuou em serviço até ao final da utilização da sala de controlo do SPS mais de 20 anos depois!

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

Num écran táctil capacitativo , a zona sensível ao tocar dos dedos - o botão - faz parte de um circuito eléctrico. Quando o utilizador toca o botão modifica a dieléctrica do condensador, o que provoca uma modificação do potencial elétrico. O logiciário (software) calcula as diferenças de capacitatividade em relação às zonas do écran que não são tocadas e analisa em que ponto do écran se produziu a modificação. A informação é transmitida ao logiciário que executa a operação desejada.

Track ball[editar | editar código-fonte]

O track ball é um mecanismo que pode identificar o movimentos em x-y rolando uma bola o que faz mover o apontador no écran, o rato dos computadores que só foi "inventado"no Cern nos fins do anos 60.

Ver artigo principal: Trackball

Com a invenção do rato e do écran táctil, é quase lógico que a WWW também tenha sido inventada no CERN!

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]