Aço Hadfield

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O aço manganês austenítico foi inventado por Sir Robert Abbott Hadfield, em 1882. Foram adicionados 7 a 20% de manganês ao aço carbono com o intuito de aumentar a resistência ao desgaste dos aços convencionais. Os aços ao Mn apresentam elevadas propriedades mecânicas de impacto e resistência à abrasão.[1][2] O Manganês atua como estabilizador da fase austenita em aços, reduzindo a temperatura de início da transformação martensítica (Ms), e atrasando ou evitando a reação de decomposição da austenita durante o resfriamento do aço. O Mn também diminui a energia de falha de empilhamento na austenita, aumentando a distância entre as discordâncias parciais, dificultando o escorregamento cruzado (cross-slip) das discordâncias e favorecendo o mecanismo de maclação, implicando num aumento significativo da taxa de encruamento destes aços.[3]

Os aços ao Mn contêm 0,7 -1,45% de C, e 11-15% de Mn, com composição química especificada pela Norma ASTM A128. Apresentam elevada capacidade de endurecimento em serviço pela deformação plástica da austenita, implicando num aumento significativo da taxa de encruamento destes aços. A dureza típica é de 200HB, mas o encruamento eleva a dureza superficial destes aços para valores acima de 650HB, aumentando ainda mais a sua resistência à abrasão, com manutenção da elevada tenacidade do material [2]. A dureza típica é de 200HB, mas o encruamento eleva a dureza superficial destes aços para valores acima de 650HB, aumentando ainda mais a sua resistência à abrasão, com manutenção da elevada tenacidade do material.

Estes materiais são usados na indústria de mineração, em aplicações como mandíbulas e giratórios na britagem primária de minérios; e martelos de fragmentação de minérios e de sucatas, desvios e cruzamentos ferroviários.[4]

  • Tratamento térmico

As microestruturas de aços Hadfield no estado bruto de fundição são constituídas por austenita com carbonetos eutéticos intergranulares do tipo M3C, sendo que a presença de carbonetos contínuos do tipo M3C em contornos de grãos é o principal fator limitador da tenacidade destes aços.  O tratamento térmico utilizado em aços Hadfield é a solubilização dos carbonetos presentes na microestrutura bruta de fundição, que consiste em elevar a temperatura até uma condição totalmente austenítica seguida de rápida têmpera em água com agitação.[5]

  • Processamento do aço Hadfield

As propriedades do aço fundido com elevados teores de Mn são influenciadas pela temperatura de vazamento, tratamento térmico, composição química do aço e espessura da peça fundida. A temperatura liquidus dos aços Hadfield é localizada próxima de 1400°C, sendo utilizadas temperaturas de vazamento em torno de 1430-1450°C dependendo da espessura da peça. O uso de altas temperaturas de vazamento implica em elevado tamanho de grão e na segregação intergranular de P, Cr e C, que são prejudiciais para a resistência mecânica e ductilidade destes aços. Altas temperaturas de vazamento propiciam baixa taxa de resfriamento da peça fundida, promovendo a precipitação de carbonetos contínuos e descontínuos (perlita) nos contornos de grão da austenita.

Referências

  1. AGUNSOYE J. (2013). Wear of Hadfield Austenitic Manganese Steel Casting (University of Ottawa, Canada [s.n.]). 
  2. Fuocco, R; Holanda (2007). Processo de produção de componentes em aços ao manganês austeníticos do tipo hadfield (Congresso e Feira Latino-Americana de fundição- CONAF/FENAF [s.n.]). 
  3. Strain hardening and heterogeneous deformation during twinning in Hadfield steel (Cornell University, Mechanical and Aerospace Engineering [s.n.]). 2010.  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (Ajuda)
  4. An Overview of Hadfield’s Steel for Rail Network and Allied Structural Applications (Ahmadu Bello University, Zaria. Nigeria [s.n.]). 2010.  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (Ajuda)
  5. «Microsoft PowerPoint - Austenitic Manganese Steel Compatibility Mode 2». Scribd. Consultado em 2016-06-22. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Soldagem, Processos e Metalurgia, editora: Edgard Blucher LTDA
  • ASM Handbook Volume 6 "welding, Brazing, and Soldering.