Abu Maomé Adil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Abu Maomé Adil
Dinar de Abu Maomé Adil
Califa almóada
Reinado 1224-1227
Antecessor(a) Abde Aluaide Almaclu
Sucessor(a) Iáia Almotácime
 
Dinastia almóada
Morte 05 de outubro de 1227
  Marraquexe
Pai Abu Iúçufe Iacube Almançor
Religião Islamismo

Abu Maomé Abdalá Adil (Abu Muhammad Abdallah al-Adil), melhor conhecido como Abu Maomé Adil, califa almóada entre 1224 e 1227. Foi antecedido no trono por Abde Aluaide Almaclu (r. 1224) e sucedido por Iáia Almotácime (r. 1227–1229).

Vida[editar | editar código-fonte]

Adil era filho do califa Abu Iúçufe Iacube Almançor (r. 1184–1199). Em 1224, contestou a ascensão de Abde Aluaide Almaclu (r. 1224) e se elevou como califa. Em poucos meses expulsou e matou Almaclu, mas sua acensão não foi reconhecida por Abu Zaide, Abdalá e Abu Dabus ibne Maomé, todos descendentes de Abu Hafes Omar ibne Abde Almumine e sediados em Valência, no Alandalus.[1] Nesse tempo as várias linhagens mumínidas (descendentes de Abde Almumine) guerrearam entre si apoiadas por diferentes facções da elite. Alguns inclusive procuraram assistência com os reinos cristãos do Alandalus como Abdalá ibne Maomé que, em reposta a ascensão de Adil, partiu para Baeza buscando proteção do rei Fernando III (r. 1217–1252) e talvez se converteu ao cristianismo.[2]

A Ifríquia, então parte do Califado Almóada, estava à época sob controle do haféssida Abu Zaide Abdul Ramane. Zaide foi confrontado por Iáia ibne Gania e os locais, que ressentiam sua rigidez, obrigando Adil a substituí-lo por outro haféssida, Abu Maomé Abdalá. Ele chegou em Túnis, capital da Ifríquia, em novembro de 1226, mas seu irmão Abu Zacarias Iáia chegou antes dele e começou a pacificar as tribos locais.[3] Em setembro de 1227, Abul Alá Idris Almamune, irmão de Adil e governador do Alandalus em seu nome, decidiu se rebelar e se declarar califa.[4] No caos que se seguiu, Abu Zacarias se aliou ao rebelde, enquanto seu irmão Abdalá manteve-se leal a Adil.[3] Em 5 de outubro, Adil foi assassinado em Marraquexe e foi sucedido por Iáia Almotácime.[4]

Referências

  1. Shatzmiller 1993, p. 802-803.
  2. Bennison 2016, p. 115.
  3. a b Abun-Nasr 1987, p. 119.
  4. a b Buresi 2012, p. 75.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Abun-Nasr, Jamil M. (1987). A History of the Maghrib in the Islamic Period. Cambrígia: Cambridge University Press 
  • Bennison, Amira K. (2016). Almoravid and Almohad Empires. Edimburgo: Edinburgh University Press. ISBN 0748646825 
  • Buresi, Pascal; El Aallaoui, Hicham (2012). Governing the Empire: Provincial Administration in the Almohad Caliphate (1224-1269) : Critical Edition, Translation, and Study of Manuscript 4752 of the Hasaniyya Library in Rabat Containing 77 Taqādīm ("appointments"). Leida: Brill 
  • Shatzmiller, M. (1993). «al-Muwaḥḥidūn». In: Bosworth, C. E.; Donzel, E. van; Heinrichs, W.P.; Pellat, Ch. The Encyclopaedia of Islam Vol. VII Mif-Naz. Leida e Nova Iorque: Brill