Anacoreta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde setembro de 2012). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Os anacoretas (feminino: anchoress; adj. anchoritic; do grego antigo: ἀναχωρητής, anachōrētḗs, "aquele que se retirou do mundo"[1][2], do verbo ἀναχωρέω, anachōréō, significando "retirar", "se aposentar"[3]) eram monges cristãos ou eremitas que viveram em retiro, solitariamente, especialmente nos primórdios do cristianismo, dedicando-se à oração e à produção de textos litúrgicos, a fim de alcançar um estado de graça e pureza de alma pela contemplação.

O termo anacoreta também é utilizado para denominar um penitente que se afastou do convívio humano para viver em solidão, procurando expiar seus pecados pela meditação.

Como exemplos de anacoretas reconhecidos pela Igreja Católica podem ser citados Santo Antão do Deserto e Santo Afraates, da Igreja Siríaca.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «anchorite | Origin and meaning of anchorite by Online Etymology Dictionary». www.etymonline.com (em inglês). Consultado em 11 de junho de 2019 
  2. J., J.; Robert-Scott; Liddell, Henry George; Jones, Henry Stuart (1940). «A Greek-English Lexicon». The Classical Weekly. 34 (8). 86 páginas. ISSN 1940-641X. doi:10.2307/4341055 
  3. «Henry George Liddell, Robert Scott, A Greek-English Lexicon, ἀναχωρ-έω». www.perseus.tufts.edu. Consultado em 11 de junho de 2019