Anfeque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Outubro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Anfeque (do grego ἀμφηκή, 'lâmina-dupla'), é um termo criado por Charles Sanders Peirce para designar qualquer uma das duas operações muitas vezes referidas como Conectivo de Sheffer, Flecha de Peirce, ou NAND e NOR. Cada um desses operadores lógicos são denominados operador auto-suficiente, pois derivam ou generalizam todas os outros operadores lógicos, o que denota completude funcional.

Por exemplo, significa que x é falso e y é falso. Então , significará que z é falso, porém essa indicação é falsa e x é falso e y também o é.

Conseqüentemente, o valor de é o mesmo do ; e o valor de é falso, porque x é necessariamente falso; enquanto que o valor de não é o caso se é verdadeiro; e é necessariamente verdadeiro apenas quando valor de x é verdadeiro.

Com estes dois sinais, o vinculum (que equivale aos parênteses, colchetes, chaves, etc.) e o será chamado anfeque, e todas as afirmações a respeito dos valores das quantidades podem ser expressos. (C.S. Peirce, CP 4.264).

Na passagem citada, Peirce introduz o termo anfeque para os operadores lógicos binários que são atualmente chamados de negação conjunta em lógica, o operador NOR na ciência computacional, ou ainda pela expressão “nenhum dos dois" na linguagem natural. Para esta operação, emprega-se o símbolo tipográfico representado pela inversão do símbolo do zodíaco de Áries. Este mesmo símbolo também pode denotar o conectivo ou operador que é conhecido como negação alternativa, ou operador NAND para a ciência da computação, ou ainda como "não … e" também na linguagem natural.

Ver também[editar | editar código-fonte]