Ardina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Estátua de um ardina no Porto, Portugal (obra de Manoel Dias)[1]
Vendedores de jornal no Rio de Janeiro, Brasil. Foto de 1899 por Marc Ferrez

O ardina é um vendedor de jornais de rua[2] que apregoando a notícia chama a atenção do potencial cliente. Figura muito retratada por artistas e muito popular pela sua exposição publica, a sua origem perde-se nos tempos e remete à "notícia" que corria de boca em boca. O ardina difere do atual distribuidor de jornais gratuitos.

Preteridos pelo aparecimento de quiosques e outros meios de distribuição, já raramente se encontram ardinas pelas ruas de Lisboa,[3] que apregoavam a manchete do dia, e a informação fonte do seu sustento.

Referências

  1. «Turismo do Porto - Portal Oficial - Visitar - O Ardina». www.visitporto.travel. Consultado em 10 de julho de 2019 
  2. «Ardina». Dicio. Consultado em 10 de julho de 2019 
  3. Vieira, André Borges. «Estátua d' O Ardina no Porto não resistiu a sessão de fotos de turistas». PÚBLICO. Consultado em 10 de julho de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ardina