Avenida Ayrton Senna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura avenida de mesmo nome, veja Avenida Ayrton Senna (Angra dos Reis).
Disambig grey.svg Nota: Se procura avenida de mesmo nome, veja Avenida Ayrton Senna da Silva.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Vista da avenida Ayrton Senna

Avenida Ayrton Senna é um logradouro da Zona Oeste do Rio de Janeiro que liga a Barra da Tijuca ao Gardênia Azul, atravessando Jacarepaguá, cruza a avenida das Américas e termina na avenida Sernambetiba, junto à praia.

O projeto da avenida estava no Plano Piloto para Urbanização da Barra da Tijuca, Pontal de Sernambetiba e de Jacarepaguá, elaborado por Lucio Costa, o mesmo arquiteto e urbanista que elaborou o mais conhecido Plano Piloto de Brasília.

Antes de ser rebatizada em 1994, era chamada de Avenida Alvorada, ou Via Onze. Faz a importante ligação da Barra da Tijuca com a Linha Amarela, uma via expressa pedagiada que liga os bairros da Zona Oeste aos da Zona Norte, ao Centro e ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro.

Na Avenida Ayrton Senna se localizam a Subprefeitura da Barra e Jacarepaguá, o Aeroporto de Jacarepaguá e o Via Parque Shopping, fora dezenas de outros empreendimentos comerciais.

Avenida Ayrton Senna no Jacarepaguá

Problemas[editar | editar código-fonte]

Um grande trecho da Avenida Ayrton Senna, principalmente o localizado próximo à Vila Pan-Americana, foi construído em solo que possui uma base muito precária, feita de turfa. Com isso, a avenida vinha literalmente entortando e afundando ao longo dos anos, devido ao peso dos veículos, e se encontrava em péssimo estado de conservação.[1] No mesmo trecho, a avenida tinha constantes problemas de alagamento, que chegaram a causar a retenção total da Linha Amarela por algumas vezes [2]. Após a realização de obras por mais de um ano, entre 2010 e 2011, o trecho mais problemático da avenida foi reconstruído de forma a não mais afundar nem alagar, e também duplicado.

Hoje, o principal problema são os engarrafamentos constantes em ambos os sentidos, devido ao excesso de crescimento da Barra da Tijuca; a inexistência de transporte coletivo eficiente na região da Barra, além de um trecho da Ayrton Senna mais próximo à Linha Amarela, em Gardênia Azul que possui apenas 3 pistas no sentido Barra.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Rio de Janeiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.