Bactéria magnetotática

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bactéria Magnetospirillum magnetotacticum com cadeias de magnetossomos visíveis

As bactérias magnetotáticas, descobertas por Richard P. Blakemore em 1970, se comportam como dipolos magnéticos permanentes e se orientam ao longo das linhas do campo magnético terrestre. Assim, podem ser controladas por meio de um terceiro campo magnético. Esta particularidade biológica é chamada magnetotaxia e estas bactérias formam o grupo das bactérias magnetotáticas. Os magnetossomos são organelas de cadeias de grânulos de óxidos metálicos (magnetita ou greigita, na maioria das vezes), presentes nos citoplasmas das bactérias magnetotáticas. Os magnetossomos são geralmente de tamanho uniforme e alinhados ao longo da célula.[1]

Referências