Batalha de Anquíalo (763)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Batalha de Anquialo (763))
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Anquíalo
Parte da Guerras bizantino-búlgaras
Data 30 de junho de 763
Local Perto de Pomorie, Bulgária
Desfecho Vitória bizantina
Combatentes
Primeiro Império Búlgaro Primeiro Império Búlgaro Império Bizantino
Principais líderes
Primeiro Império Búlgaro Telec Império Bizantino Constantino V
Forças
Desconhecida 9 600 na cavalaria
Infantaria de tamanho ignorado
800 embarcações
Vítimas
Pesadas Pesadas

A Batalha de Anquíalo (em búlgaro: Битката при Анхиало) ocorreu em 763 perto da cidade homônima (atualmente Pomorie), na costa búlgara do mar Negro entre forças bizantinas e do búlgaras, resultando numa vitória bizantina.

Origem do conflito[editar | editar código-fonte]

Após a vitória na Batalha do Passo de Rishki em 759, o búlgaro Vineh demonstrou uma surpreendente falta de ação e um desejo de paz que custou-lhe o trono e sua vida. O novo governante, Telec, era um feroz patrocinador de mais ações militares contra os bizantinos. Com sua cavalaria pesada, ele saqueou as regiões fronteiriças do Império Bizantino e, em 16 de junho de 763, Constantino V deixou Constantinopla à frente de um grande exército e de uma frota de 800 navios com doze cavaleiros cada.

A batalha[editar | editar código-fonte]

O energético cã búlgaro barrou os passos de montanha e se colocou em posições elevadas perto de Anquíalo, mas sua auto-confiança e impaciência acabaram por incitá-lo a descer para a planície e atacar frontalmente o inimigo. A batalha começou às dez da manhã e se prolongou até o pôr-do-sol. Foi longa e sangrenta, mas, no final, os bizantinos venceram apesar da enorme perda de soldados, nobres e comandantes. Os búlgaro também enfrentaram pesadas perdas e muitos soldados foram capturados, ao passo que Telec conseguiu escapar.

Resultado[editar | editar código-fonte]

Constantino V retornou à capital com um triunfo, no qual ele assassinou os prisioneiros. O destino de Telec foi parecido: dois anos após a derrota, ele foi assassinado por conta dela. Os bizantinos não conseguiram, contudo, se aproveitar da vantagem estratégica que tinham e as prolongadas guerras do século VIII só terminaram em 792, na Batalha de Marcela, com uma grande vitória búlgara e a restauração do tratado de paz de 718.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Nicephorus. Opuscula historia, p.69-70