Batalha de Mossul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guerra atual
Este artigo ou seção é sobre um conflito armado recente ou ainda em andamento.
A informação apresentada pode mudar rapidamente
Batalha de Mossul
Guerra Civil Iraquiana, Guerra contra o Estado Islâmico
Map of Iraq - Battle of Mosul.png
Mapa mostrando a ofensiva inicial contra Mossul.
Data 16 de outubro de 2016 - presente
Local Norte do Iraque (nas províncias de Arbil e Ninawa)
Desfecho Em andamento
Beligerantes
 Iraque

Seal of Combined Joint Task Force – Operation Inherent Resolve.svg CJTF–OIR:

No god but God.jpg Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL)
Comandantes
Iraque Haidar al-Abadi
Iraque Major-Gen. Najim al-Jubouri
Flag of Kurdistan.png Omer Huseyin[7]
Estados Unidos Ten-Gen Stephen J. Townsend
No god but God.jpg Abu Bakr al-Baghdadi (líder do EIIL)
No god but God.jpg Aziz Ali [8]
(comandante do EIIL em Ninawa)
No god but God.jpg Aymam al-Mosuli [9]
(comandante das forças especiais)
No god but God.jpg Abu Yakoub [10]
(oficial de operações)
Forças
Iraque 56 000 – 60 000 soldados e milicianos[11][12]

Flag of Kurdistan.png 40 000 combatentes Peshmerga[11]


Estados Unidos 500 militares americanos[13]
França 500 militares franceses[14]
Austrália 80 tropas especiais australianas[15]
Canadá 200 soldados das forças especiais canadenses, 60 médicos militares[16]
4 000 – 9 000 militantes[17]
(inicialmente)
Baixas
Flag of Kurdistan.png Iraque ~ 1 000 – 2 000 mortos[18]
Estados Unidos 1 morto[19]
2 000[20] – 4 000 mortos[21]
(estimativa)
~ 1 000 civis mortos
103 872 civis deslocados de suas casas[22][23]
Um tanque americano M109A6 disparando contra Qayyarah, durante a ofensiva, em outubro de 2016.

A Batalha de Mossul (em árabe: معركة الموصل) é uma grande ofensiva militar lançada por forças do governo iraquiano e milícias aliadas, junto com tropas curdas e contando com apoio de forças multi-nacionais (encabeçadas pelos Estados Unidos, França e Reino Unido) com o objetivo de conquistar a cidade de Mossul, a segunda maior cidade do Iraque, que está nas mãos de militantes do grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL).[24][25][26]

As ofensivas para tomar a região começaram em 24 de março de 2016 e a campanha terrestre contra a cidade em si foi iniciada formalmente em 16 de outubro.[7][27][28]

A batalha por Mossul é considerada crucial no andamento da guerra contra o Estado Islâmico, após a queda da cidade para os terroristas em junho de 2014.[29] A região é o último grande reduto urbano do EIIL no Iraque, contém várias estradas que interconectam o país a vizinha Síria e é o centro nervoso de operações dos jihadistas na área.[30] Para retomar a região, o governo iraquiano mobilizou a maior força de combate do país desde a invasão americana do país em 2003.[31]

Esta batalha é o desdobramento final de duas grandes ofensivas (uma lançada em 2015 e outra no começo de 2016) lançadas por forças iraquianas. Havia cerca de 1,5 milhões de civis vivendo na cidade no começo da batalha. Pegos no fogo cruzado, a situação humanitária na região se deteriorou.[32] Segundo a liderança curda, as forças do Estado Islâmico estavam sofrendo pesadas baixas enquanto as forças aliadas reportavam vários progressos na sua marcha contra Mossul. Ainda assim, o EIIL estava bem entrincheirado e uma das maiores batalhas da guerra civil iraquiana estava acontecendo.[33]

Enquadramento geral[editar | editar código-fonte]

Mossul é a terceira cidade mais populada do Iraque, apenas atrás de Bagdá e Baçorá. Cerca de 800 militantes do EIIL ocuparam a cidade em junho de 2014 devido à desconfiança da população maioritariamente sunita relativamente ao governo iraquiano xiita e às forças armadas corruptas.[34] Foi na Grande Mesquita de Mossul onde ocorreu o início do califado auto-proclamado que se estendia pelo Iraque e a Síria.[35] A população diminuiu de 2,5 milhões para 1,5 milhões após 2 anos de liderança por parte do Estado Islâmico. A cidade foi outrora extremamente diversa, com minorias como os armênios, yazidis, assírios, turcomanos e shabaks, que sofreram muito sob a liderança do EIIL.[36] Mossul permanece a última fortaleza do Estado Islâmico no Iraque[37] e a ofensiva antecipada para reivindicá-la foi exaltada como a "mãe de todas as batalhas".[38][39][40][41]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Mosul offensive: forces launch mass attack on Iraqi city in bid to oust Isis». the guardian. 17 de outubro de 2016 
  2. «Australia to have role in battle for Mosul» Sky News Australia [S.l.] 17 de outubro de 2016. Consultado em 18 de outubro de 2016 
  3. «Danish soldiers have a role on the attack on Islamic State in Mosul» TV2 Danmark [S.l.] 17 de outubro de 2016 
  4. «Turkey will fight Isis in Mosul, President Erdogan says». The Independent. 17 de outubro de 2016. Consultado em 18 de outubro de 2016 
  5. Arab, The New. «Germany 'will take part in the battle for Mosul'». Al Araby. Consultado em 18 de outubro de 2016 
  6. "Mosul, l’Italia in prima linea: elicotteri da attacco e incursori per i blitz. A 20 km dal fronte i bersaglieri presidiano la diga". Página acessada em 18 de outubro de 2016.
  7. a b Haddad, Tareq (16 de outubro de 2016). «'US military has started shelling Mosul' says Peshmerga commander». International Business Times [S.l.: s.n.] Consultado em 17 de outubro de 2016 
  8. «Airstrike kills senior ISIS leader killed in Tel al-Sheer village, Nineveh» Iraqi News [S.l.] 20 de outubro de 2016. Consultado em 23 de outubro de 2016 
  9. «Report: ISIS 'Rambo' killed in battle south of Mosul» Jerusalem Post [S.l.] 27 de outubro de 2016. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  10. «Senior ISIS official killed in al-Shallalat district of Mosul». Iraqi News [S.l.: s.n.] 1 de novembro de 2016. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  11. a b Walsh, Nick Paton; Blau, Max; Park, Madison; McLaughlin, Eliott C. (17 de outubro de 2016). «Battle for Mosul: Iraqi forces inflict 'heavy losses'» CNN [S.l.] Consultado em 18 de outubro de 2016 
  12. «Mossoul : les forces en présence». Le Figaro (em francês). [S.l.: s.n.] Consultado em 17 de outubro de 2016 
  13. "Battle for Mosul begins with gunfire and car bombs". Página acessada em 19 de outubro de 2016.
  14. «VIDEOS. Irak: les forces françaises dans la bataille de Mossoul». Le Parisien [S.l.: s.n.] Consultado em 18 de outubro de 2016 
  15. Greene, Andrew. «Islamic State: Australia's special forces to assist Iraq military in battle for Mosul». ABC News. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  16. Chase, Steven. «Canadian forces providing crucial support in battle to recapture Mosul». The Globe and Mail. Consultado em 18 de outubro de 2016 
  17. «Irak : l'opération pour reprendre Mossoul des mains de l'EI est lancée». Le Monde (em francês). [S.l.: s.n.] Consultado em 17 de outubro de 2016 
  18. "Mosul: Thousands killed since Iraq launched assault". Página acessada em 13 de dezembro de 2016.
  19. «First US Service Member Killed In Mosul Offensive» [S.l.: s.n.] Military.com. 20 de outubro de 2016. Consultado em 21 de outubro de 2016 
  20. «US says 2,000 IS fighters killed, gravely wounded in Mosul». Yahoo News. Consultado em 11 de dezembro de 2016 
  21. 4000 ISIS killed since start of Mosul operations: commander
  22. «Two months into fight for Mosul, more than 100,000 flee the Iraqi city». USA Today [S.l.: s.n.] 22 de dezembro de 2016 
  23. «Mosul Iraq Situation Flash Update» (PDF). United Nations High Commissioner for Refugees. 6 de novembro de 2016. Consultado em 22 de dezembro de 2016 
  24. Dunford, Daniel. «Battle for Mosul: UN prepares for aftermath 'chaos'». BBC News [S.l.: s.n.] Consultado em 15 de outubro de 2016 
  25. «The Coming Battle for Mosul». The New York Times [S.l.: s.n.] 14 de outubro de 2016. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  26. von Hein, Matthias (14 de outubro de 2016). «Interview: Battle for Mosul likely to lead to power struggle». Deutsche Welle [S.l.: s.n.] Consultado em 17 de outubro de 2016 
  27. «Battle for Mosul: Iraq and Kurdish troops make gains». BBC News [S.l.: s.n.] 17 de outubro de 2016. Consultado em 18 de outubro de 2016 
  28. Blau, Max; Park, Madison; McLaughlin, Eliott C.. «Battle for Mosul: Iraqi forces close in» CNN [S.l.] Consultado em 17 de outubro de 2016 
  29. Yan, Holly; Muaddi, Nadeem. «Why the battle for Mosul matters in the fight against ISIS». CNN [S.l.: s.n.] Consultado em 17 de outubro de 2016 
  30. "Why the Battle for Mosul Is Important". Página acessada em 22 de outubro de 2016.
  31. «What is the battle for Mosul? Everything you need to know about the fight to liberate Isil's last bastion of power in Iraq». The Daily Telegraph [S.l.: s.n.] Consultado em 17 de outubro de 2016 
  32. «Battle for Mosul sparks fears of humanitarian crisis». Times LIVE [S.l.: s.n.] Agence France Press. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  33. "Estado Islâmico sofreu 'pesadas perdas', diz líder curdo no Iraque". Página acessada em 18 de outubro de 2016
  34. (14 de dezembro de 2016) "Irak : l’opération pour reprendre Mossoul des mains de l’EI est lancée" (em fr). Le Monde.fr. ISSN 1950-6244.
  35. "Factbox: Once-tolerant Mosul site of Iraq push against Islamic State".
  36. «The battle in Iraq that could turn the tide against Islamic State: The fight for Mosul is about to begin». latimes.com. Consultado em 14 de dezembro de 2016 
  37. Gordon, Michael R.; Tim. (14 de dezembro de 2016). "East of Mosul, Kurdish Troops Advance on ISIS-Held Villages". The New York Times. ISSN 0362-4331.
  38. «Iraqi army begins 'mother of all battles' to reclaim Mosul». www.msn.com. Consultado em 14 de dezembro de 2016 
  39. Hughes, Chris. (14 de dezembro de 2016). "ISIS under devastating attack as 'mother of all battles' begins in Mosul". mirror.
  40. «Will ISIS be pushed easily from Mosul?». CNN. Consultado em 2016-12-14 
  41. "Isil 'launches suicide attacks' on Kurdish forces in Mosul as bloody battle to retake terror group's Iraq stronghold begins". The Telegraph.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Batalha de Mossul
Ícone de esboço Este artigo sobre um conflito armado é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.