Berhane Asfaw

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Berhane Asfaw
Nascimento 22 de agosto de 1954 (64 anos)
Etiópia
Residência Adis Abeba
Cidadania Etiópia
Alma mater Universidade de Addis Ababa, Universidade da Califórnia em Berkeley
Ocupação antropólogo, paleontólogo, arqueólogo, pré-historiador, paleoantropólogo
Empregador Universidade de Addis Ababa

Berhane Asfaw (amárico: በርሃነ አስፋው) (Gondar, Etiópia, 22 de agosto de 1954), é um paleoantropólogo etíope. É reconhecido pela comunidade académica por sua participação no descobrimento de vários fósseis de hominídios.

Distinguiu-se na investigação do vale de Awash, na depressão de Afar. Foi o autor da descrição do Australopithecus garhi;[1] e dirigiu o grupo que descobriu o crânio de Bodo[2]. É coautor das descrições do Chororapithecus abyssinicus e do Ardipithecus ramidus.

Obteve o bacharelado em Geologia na Universidade de Adis Abeba, em 1980; o mestrado de Antropologia na Universidade da Califórnia em Berkeley, em 1983, e na mesma universidade o doutorado, em 1988.

Em 1988 retornou à Etiópia, onde desde 1982 as autoridades tinham decretado uma moratória para os investigadores estrangeiros, com o objetivo de proteger a herança cultural do país. Asfaw recebeu autorização especial para explorar sítios promissores para a Paleoantropologia.

A partir de 1988 orientou programas na qualidade de diretor do Museu Nacional Etíope, onde estão depositados, entre outros, os restos de Lucy.

Em 1992, o seu grupo descobriu as mais antigas ferramentas de pedra da Cultura Acheuliana, achado apresentado na capa da revista Nature.[3]

Entre 1994 e 1995 foi professor da Universidade de Rutgers em Nova Jersey. Desde 1997 trabalhou no Serviço de Investigação do Vale do Rift, em Adis Abeba. É co-diretor do Projeto de Investigação do Awash Médio, onde tem colaborado com Tim D. White. Em 1997 a sua equipa descobriu o Australopithecus garhi.[1] Com Tim White participou no descobrimento dos restos de um dos humanos moderno mais antigo conhecidos até agora, o Homo sapiens idaltu.[4][5] Ao longo dos anos, as suas escavações prosseguiram até encontrar fósseis do Australopithecus anamensis no deserto de Afar.[6]

Os trabalhos de Asfaw tem contribuído para elucidar o caminho evolutivo desde o Homo erectus até ao Homo sapiens,[7] permitindo conhecer melhor as origens da humanidade e a demonstrar que a África é o seu berço.

Referências

  1. a b Asfaw, Berhane; Tim White, Owen Lovejoy, Bruce Latimer, Scott Simpson, Gen Suwa (1999). "Australopithecus garhi: A New Species of Hominid From Ethiopia"; Science 284: 629–635. doi:10.1126/science.284.5414.629
  2. Asfaw, Berhane (1983). "A new hominid parietal from Bodo, middle Awash Valley, Ethiopia". American Journal of Physical Anthropology 61 (3): 367-371.
  3. Berhane Asfaw; Beyene, Yonas; Suwa, Gen; Walter, Robert C.; White, Tim D.; WoldeGabriel. Gigai & Yemane. Tesfaye (31 December, 1992) "The earliest Acheulean from Konso-Gardula". Nature 360: 732–735. doi:10.1038/360732a0
  4. Tim D. White, Berhane Asfaw, David DeGusta, Henry Gilbert, Gary D. Richards, Gen Suwa, F. Clark Howell (2003). "Pleistocene Homo sapiens from Middle Awash, Ethiopia"; Nature 423: 742–747, doi:10.1038/nature01669
  5. John Desmond Clark u.a.: "Stratigraphic, chronological and behavioural contexts of Pleistocene Homo sapiens from Middle Awash, Ethiopia". Nature 423, 2003, S. 747–752, doi:10.1038/nature01670
  6. White, Tim D.; WoldeGabriel, Giday; Asfaw, Berhane; Ambrose, Stan; Beyene, Yonas; Bernor, Raymond L.; Boisserie, Jean-Renaud; Currie, Brian; Gilbert, Henry; Haile-Selassie, Yohannes; Hart, William K.; Hlusko, Leslea J.; Howell, F. Clark; Kono, Reiko T.; Lehmann, Thomas; Louchart, Antoine; Lovejoy, C. Owen; Renne, Paul R.; Saegusa, Hauro; Vrba, Elisabeth S.; Wesselman, Hank; Suwa, Gen (13 April 2006). "Asa Issie, Aramis and the origin of Australopithecus". Nature 440 (7086): 883889. doi:10.1038/nature04629
  7. Berhane Asfaw u.a. (2002). "Remains of Homo erectus from Bouri, Middle Awash, Ethiopia"; Nature 416: 317–320, doi:10.1038/416317a