Borda de grão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Superfície galvanizada com grãos de zinco visíveis.

A borda, fronteira, ou limite de grão é a superfície de separação entre dois cristais de um mesmo grão policristal. Surge como consequência do mecanismo do crescimento de grão, ou cristalização, quando dois cristais que têm crescido a partir de núcleos diferentes se "encontram". Apesar de ter a mesma estrutura cristalina, as orientações, devido à casualidade, serão diferentes e uns cristais compensarão aos outros: os policristais costumam ser isótropos.

Algumas propriedades[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • FJ Humphreys, M Hatherly (2004). Recrystallisation and related anealing phenomena. [S.l.]: Elsevier 
  • AP Sutton, RW Balluffi (1987). «Overview no. 61: On geometric criteria for low interfacial energy». Acta Metallurgica. 35 (9): 2177–2201. doi:10.1016/0001-6160(87)90067-8 

Mais leitura[editar | editar código-fonte]

  • RD Doherty; DA Hughes; FJ Humphreys; JJ Jonas; D Juul Jenson; et al. (1997). «Current Issues In Recrystallisation: A Review». Materials Science and Engineering A. 238 (2): 219–274. doi:10.1016/S0921-5093(97)00424-3 
  • G Gottstein, LS Shvindlerman (2009). Grain Boundary Migration in Metals: Thermodynamics, Kinetics, Applications, 2nd Edition. [S.l.]: CRC Press