Cabo Alava

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cabo Alava e ilha Ozette.

O cabo Alava é um cabo no condado de Clallam, Washington, Estados Unidos da América. É o ponto mais ocidental dos 48 estados contíguos, à longitude de 124°44'11.8"W (durante a maré baixa e caminhando para a zona oeste da ilha Tskawahyah). O ponto mais ocidental fica no Parque Nacional Olympic e na Reserva Índia Ozette. O cabo Alava é acessível através de um caminho de 5 km com passadeiras de madeira a partir de um posto de guardas florestais do parque.

Devido à erosão e às diferenças nas formas de medição, há controvérsia sobre qual é o ponto mais ocidental, se o Alava ou o Cabo Branco, no Oregon. Esta medição é difícil de justificar, já que o cabo Branco está mais de 10 minutos de grau de arco a leste do cabo Alava. Outro motivo para a polémica deve-se a que durante a maré alta o cabo Alava está quase tão a oeste como o cabo Flattery.

Petróglifos en Wedding Rocks, aproximadamente a 1 km a sul do cabo Alava.

O cabo recebeu o nome em homenagem ao espanhol D. José Manuel de Álava (nascido em Vitória, em 1743) pelo seu papel como comissário para a solução do conflito de Nutka em 1794.[1]

No início de 1834 um navio japonês, o Hojun Maru, atracou no cabo Alava depois de 14 meses de deriva pelo Oceano Pacífico. Enquanto realizava uma viagem de transporte de arroz para Edo, viu-se arrastado por uma tormenta. No momento da chegada ao cabo Alava, só três dos seus tripulantes estavam vivos. Foram escravizados e cuidados por breve tempo pelos índios Makah. Otokichi foi um dos náufragos japoneses que posteriormente adquiriu certa relevância.

Referências

  1. James W. Phillips (1971). Washington State Place Names (em inglês) University of Washington Press [S.l.] ISBN 0-295-95158-3.