Carcinoma de células escamosas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carcinoma de células escamosas
O carcinoma de células escamosas de pele tende a surgir a partir de lesões pré-malignas, queratoses actínicas; a superfície é, geralmente, escamosa e frequentemente produz ulcerações (como visto aqui).
Classificação e recursos externos
CID-10 C44
CID-9 199
MedlinePlus 000829
eMedicine derm/401
MeSH D002294
Star of life caution.svg Aviso médico

O carcinoma de células escamosas é um tumor maligno de um tipo de célula epitelial, as células escamosas. Essas células representam a parte principal da epiderme que compõe a pele e esta doença é uma das formas majoritárias de câncer de pele. Porém, as células escamosas também ocorrem no revestimento do trato digestório, dos pulmões e de outras áreas do corpo. O carcinoma de células escamosas ocorre, como uma forma de câncer, em diversos tecidos, incluindo os lábios, a boca, o esôfago, a bexiga urinária, a próstata, os pulmões, a vagina, o colo do útero, dentre outros. Apesar de compartilhar o nome "carcinoma de células escamosas" em diferentes partes do corpo, as patologias podem apresentar grandes diferenças de sintomas apresentados, história natural, prognóstico e resposta ao tratamento.[1]

O carcinoma de células escamosas é uma forma de câncer histologicamente distinta. Ele surge da multiplicação descontrolada de células do epitélio ou de células que apresentam características citológicas ou arquitetura tecidual particulares de diferenciação de células escamosas, tais como a presença de queratina, tramas de tonofilamentos ou desmossomos.

Referências

  1. Kumar, Vinay; et. al. Robbins & Cotran Pathologic Basis of Disease. 8 ed. Philadelphia: Saunders Elsevier, 2009.
Ícone de esboço Este artigo sobre Patologia (doença) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.