Casal do Abade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fonte velha

Casal de Abade é o nome de uma pequena aldeia situada na fronteira entre os concelhos de Tábua e Oliveira do Hospital, Distrito de Coimbra.

Pertence à freguesia de Lourosa (concelho de Oliveira do Hospital), onde se incluem também as aldeias Cabeçadas, Campo, Digueifel, Pinheirinho, Pombal, Quintas da Meda, Quinta do Outeiro, Quinta da Galvã e Venda da Esperança.

Casal de Abade tem cerca de 100 habitantes residentes mas muitos mais se deslocam a essa localidade nas alturas festivas do Natal e Páscoa, bem como nas férias de verão.

O principal atractivo desta aldeia e o seu Ex-libris é a Fonte Velha, (características romanas), cujo ícone está no símbolo da Associação de Melhoramentos Cultural e Recreativa, cujo edifício sede é na mesma rua chamada de Fonte Velha. Nesta mesma rua situa-se a "Capela de St.ª Apolónia (exterior simples, com sineira lateral. Na verga da porta, a data de (17)54 ANNOS. "Esculturas de pedra, de Santa Apolónia, do séc. XVII e de S Nicolau com mitra e báculo (menino na celha) do séc. XVI, renascença." In: Inventário Artístico de Portugal/Academia das belas Artes". Lisboa 1953. pág, 176). O povo da aldeia, comemora como seu padroeiro, São Nicolau. Ao cimo do povo, no inicio da rua Principal, existe o tanque comunitário, onde em tempos idos, as mulheres da aldeia lavavam a roupa. Encostado aos mesmos (no exterior, existia a "pia dos bois", que servia de bebedouro aos mesmos, quando por ali passavam puxando o "carro de eixo". De reminiscência senhorial/feudatário, está a "Capela das Alminhas", onde em tempos passados, o povo lançava através de uma pequena grade, as moedas que julgavam ajudar a libertar as almas do "purgatório". Apesar de esta pequena capela, estar em plena na via pública, diz-se de propriedade privada. O Saneamento Básico, só chegou à aldeia em 2010. Até esta data, a aldeia, era abastecida por nascente própria, sendo a água distribuída por cinco chafarizes, aos quais foi vedada a àgua, após o saneamento, mas que irão perdurar no tempo, pois são igualmente documentos/fontes que ajudam a compreender a história da aldeia.

Nos finais da década de 30 do século XX existia uma taverna/mercearia conhecia por "Toninho dos Ovos" ou a da "Cininha", cujo estabelecimento encerrou nos finais dos anos 70. Em contemporaneidade existiu o café do "Sr. Ferreira", estabelecimento que deu a conhecer o que era a televisão a quase todos os conterrâneos, no início da década de 60. A célebre série de o "BONANZA" atraía àquele estabelecimento quase toda a população da aldeia. Uma data (agosto de 1966) que marcou o "café" foi o dia da inauguração da Ponte Salazar, hoje, Ponte de 25 de Abril, a pequena sala não conseguiu albergar as gentes da aldeia e de aldeias vizinhas. Visionava-se de vez à vez. O aparelho (televisor) era accionado através da energia eléctrica produzida a motor (gerador), pois, a electricidade viria a chegar à aldeia no ano de 1978. Posteriormente, na rua da Pisserra, inaugurou-se um café, que sempre se denominou por o "Café do Rogério", estabelecimento com características dos anos 80. Posteriormente ao falecimento do proprietário o estabelecimento tem sido alugado a vários sublocatários, mas por razões várias, nem sempre os mesmos lhe têm dado continuidade. O mais recente sublocatário terminou a actividade comercial no final do ano transacto (2015). Este último sublocatário denominou o estabelecimento por: "Café e Mini-Mercado Bucha e Pinga".

Em 1991 através da angariação de fundos foi inaugurada a Associação de Melhoramentos, Cultural e Recreativa de Casal de Abade e Anexas (Quinta da Galvã; Quinta do Outeiro; Quinta do Vale Salgueiro e Quinta da Boiça). Esta Associação comemora o seu aniversário a 21 de maio e realiza as festas da aldeia sempre no 3.º fim-de-semana de agosto.**

**Actualização de A. B. Oliveira (professor de História).

Lenda da origem do Casal de Abade[editar | editar código-fonte]