Pomacentridae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Castanheta)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma caixa taxonómicaPomacentridae
Chromis notatus

Chromis notatus
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Perciformes
Família: Pomacentridae
Géneros
Ver texto.
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Pomacentridae

Pomacentridae é uma família de peixes perciformes da subordem Labroidei.

O grupo inclui 385 espécies, classificadas em 29 gêneros de pequenos peixes de ambiente marinho, incluindo peixes-donzela e peixes-palhaço. A grande maioria de espécies vive somente em ambientes de água salgada, raramente em ambiente salobro e se conhecem apenas quatro espécies que podem sobreviver em ambientes de água doce. Os pomacentrídeos são geralmente muito coloridos, resistentes, diversos, territoriais e apreciados como peixes de aquário. O grupo surgiu no período Eocénico.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome da família é derivado do grego antigo. As palavras "Poma" e "Kentron" podem ser traduzidas literalmente como "cobertura", que neste caso seria um dos opérculos e "espinho ou ferrão" respectivamente, em alusão aos pequenos espinhos ou serrilhas presentes nos ossos operculares dos membros desta família.

Distribuição e Habitat[editar | editar código-fonte]

Os peixes da família Pomacentridae são encontrados geralmente em recifes de corais e fundos rochosos dos mares tropicais e subtropicais do mundo. Algumas poucas espécies toleram ambientes de água salobra ou água doce. A grande maioria das espécies é encontrada em recifes de coral em grande parte do Oceano Índico, em especial na região que compreende as costas da África Oriental e Península Arábica e Oceano Pacífico ocidental até os recifes das ilhas da Oceania. Os recifes de coral da região entre as Filipinas até a Austrália concentram o maior número de espécies. As demais espécies habitam o Oceano Atlântico, em especial nas regiões costeiras e da América Central, Caribe e nas areas de clima tropical da América do Sul.

A maioria das espécies habita as águas rasas, que variam entre 1 e 15 metros, já outros habitam zonas mais profundas até 100 metros ou mais. Como exemplo está o Chromis abyssus, que pode ser encontrado em recifes de águas profundas. Muitos são especialistas, habitando apenas determinadas regiões dos recifes como paredões de coral, lagunas pouco profundas, fundos arenosos ou rochosos. Outros vivem entre os braços dos corais do gênero Acropora, abrigando-se ao menor sinal de perigo, e apenas sobrevivem se estes corais estão presentes e saudáveis. Alguns vivem em grandes cardumes ao redor dos corais e outros são pelágicos.

As espécies que habitam a zona bentônica são altamente territoriais e cultivam pequenas fazendas de algas, as quais defendem com bravura contra qualquer invasor, sejam peixes da mesma espécie, peixes maiores e até mesmo chegam a atacar mergulhadores que invadem seus territórios.

Géneros[editar | editar código-fonte]

Abudefduf
Acanthochromis
Altrichthys
Amblyglyphidodon
Amblypomacentrus
Amphiprion
Azurina
Amphiprion
Cheiloprion
Chromis
Chrysiptera
Dascyllus
Dischistodus
Hemiglyphidodon
Hypsypops
Labrodascyllus
Lepidozygus
Mecaenichthys
Microspathodon
Neoglyphidodon
Neopomacentrus
Nexilosus
Parma
Plectroglyphidodon
Pomacentrus
Pomachromis
Premnas
Pristotis
Lilium
Stegastes
Teixeirichthys

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre peixes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.