Caverna de Las Chimeneas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pix.gif Caverna de Altamira e arte rupestre paleolítica do Norte de Espanha *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Cueva de Chimeneas (ciervo).png
Cervo pintado na caverna de Las Chimeneas.
País Espanha
Critérios N (i) (iii)
Referência 310 en fr es
Histórico de inscrição
Inscrição 1985  (9.ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

A Caverna de Las Chimeneas é um sítio arqueológico enquadrado dentro do complexo Cavernas do Monte Castillo, situada em Puente Viesgo (Cantábria, Espanha). É incluída na lista do Patrimônio da Humanidade da UNESCO desde Julho de 2008, dentro do sítio "Caverna de Altamira e arte rupestre paleolítica do Norte da Espanha" (em inglês, Cave of Altamira and Paleolithic Cave Art of Northern Spain).

É uma cavidade com dois andares, comunicados pela formação de chaminés cársticas, que dão nome à caverna. O interesse arqueológico encontra-se no andar inferior, já que a parte superior da caverna é simplesmente um labirinto estéril.

Foi descoberta em 1953 pela mesma equipa de caminheiros da Deputação Regional que descobre a Caverna de Las Monedas, sendo três anos depois que Joaquín González Echegaray publicou um estudo no qual relatava a aparição de restos de sílex, inumações de Pré-História recente e diferentes gravuras na caverna.

Tudo o conjunto enquadrar-se-ia dentro do "estilo III" de Leroi-Gourhan, ou seja, da época do Solutreano. Contudo, as datações realizadas em Carbono 14 indicam que os restos são Magdalenianos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.


O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Caverna de Las Chimeneas