Conrado, Duque da Turíngia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Conrado
Duque da Turíngia
Duque da Turíngia
Reinado 892-893
Antecessor(a) Egino da Turíngia
Sucessor(a) Conrado, o Jovem
 
Descendência
Dinastia Conradinos
Pai Udão da Nêustria
Mãe Desconhecida

Conrado (?- 27 de fevereiro de 906), chamado o Velho ou o Ancião, foi, por um breve período, Duque da Turíngia entre 892-93. Através do seu nome ficou conhecida a sua família: os Conradinos. Era filho de Udo de Neustria e, provavelmente, da filha de Conrado I de Logenahe (832-860). Conrado foi conde de Oberlahngau (886), Hessengau (897), Gotzfeldgau (903), Wetterau (905), e Wormsgau (906). Ele uniu o povo de Hesse sob o seu domínio e, sob o controle de seus herdeiros esse território tornou-se o Ducado da Francónia.[1]

Logo no início de sua carreira, Conrado esteve em conflito com Henrique da Francónia e Adalberto ambos da Casa de Babenberg. A residência oficial de Conrado situava-se em Friedeslar, Hesse. Ele era um comes (conde) e ministerialis de Arnulf da Alemanha em 891. Em 892, o Duque Poppo foi deposto de suas atividades e substituído na Turíngia e na Marca Sorbiana (Frância Oriental) por Conrado. Ele governou o ducado brevemente antes de ser substituído por Burchard. A razão para a sua nomeação, provavelmente, representa uma mudança na política de Arnulf em favor dos Conradinos em oposição aos Babenbergs; mas o curto mandato de Conrado pode refletir a falta de apoio na Turíngia ou uma falta de vontade de sua parte de permanecer lá.[1]

Por volta de 880, Conrado casou-se com Glismod (também escrito Glismuot ou Glismut). Glismod seria uma filha de Arnulf de Caríntia, ou então um parente de duques turingianos anteriores (talvez filha de Thachulf), dando assim ao seu marido uma reivindicação hereditária sobre a Turíngia. Eles tiveram quatro filhos: Conrado, o Jovem, futuro rei da Germânia; Eberhard, futuro duque de Nuremberg; Otto (também Udo ou Odo), futuro conde no Ruhrgau e no Lahn, que morreu em 918; e uma filha, de nome desconhecido.[1]

Em 906, como resultado de conflitos com os Babenbergs, Conrado foi morto em batalha perto de Fritzlar, e foi sepultado na igreja de Saint Martin em Weilburg. Seu primogênito também era velho demais para participar desta guerra. Sua viúva, Glismod, morreu em 26 de abril de 924 e foi enterrada ao lado dele.[1]

Referências

  1. a b c d Reuter 1991, p. 123.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]