Dalal Achcar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Dalal Achcar
Nascimento Rio de Janeiro
Ocupação coreógrafo(a)
Prêmios

Dalal Achcar é uma bailarina brasileira. Nasceu no Rio de Janeiro, aprimorando seus conhecimentos em Paris, Nova Iorque e Londres.

Um dos maiores nomes do ballet nacional, Dalal Achcar revolucionou a história da dança no Brasil.

Dalal Achcar trouxe para o Brasil o melhor da arte do ballet, fundando escolas, ajudando jovens alunos, trazendo os melhores bailarinos do mundo para dançar ao lado dos brasileiros, dando oportunidade a todos, artistas e público, de obterem maior conhecimento, maior cultura e melhor compreensão do que é boa qualidade na arte da dança.

Margot Fonteyn


Trajetória artística:


ASSOCIAÇÃO DE BALLET DO RIO DE JANEIRO

COMPANHIA DE  BALLET DO RIO DE JANEIRO

1960

  • Fundação da Associação de Ballet do Rio de Janeiro, entidade sem fins lucrativos para promover o Ballet e a Dança em Geral, oferecendo oportunidades a jovens bailarinos.
  • Criação da Companhia de Ballet do Rio de Janeiro e sua primeira apresentação no Theatro Municipal do Rio de Janeiro conta com os primeiros bailarinos do London Festival Ballet: Daphne Dale e Nicholas Polajenko.

1961

  • Junto com um grupo dos maiores expoentes artísticos culturais do país, prepara um repertório para a Companhia de Ballet do Rio de Janeiro com temas brasileiros; Concerto Brasileiro, O Garatuja, Morte de um Pássaro e Zuimaaluiti com:
  • Libretos de Vinicius de Morais e Manuel Bandeira
  • Músicas de Villa-Lobos, Cláudio Santoro e Alberto Nepomuceno, Heckel Tavares
  • Coreografias de Maryla Gremo, Dennis Gray, Ismael Guiser e Nina Verchinina
  • Cenários de Burle Marx, Nilson Penna, Fernando Pamplona e Di Cavalcanti.
  • Apresentações no Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Curitiba (PR), Petrópolis (RJ) e Belo Horizonte (MG).
  • Convite para se apresentar na Gala da Royal Academy of Dance, em Londres no Drury Lane Theatre, com a presença da Família Real e convidados. No programa Zuimaaluiti com regência de Cláudio Santoro
  • Após a Gala a companhia é convidada para participar no Queens Matinée Gala Childrens Fund Royal Opera House, tendo como patronesse a Rainha Elizabeth II e presença da Família Real Britânica. No programa O Garatuja com regência de Henrique Morelenbaum.
  • Diante o sucesso e repercussão na imprensa, realiza uma Tournée Internacional com 90 apresentações na Itália (Roma, Florença),  Reino Unido ( Newcastle-on-Tyne, Glasgow, Liverpool), Espanha (Madrid, Badajoz) e Portugal (Lisboa, Coimbra, Porto).

1962

  • Tournée do Ballet do Rio de Janeiro no Nordeste do Brasil, com apresentações gratuitas para o público em geral, entidades culturais e estudantes.

1967

  • Traz ao Brasil Margot Fonteyn e Rudolf Nureyev, para se apresentarem com o Ballet do Rio de Janeiro, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.
  • Fonteyn e Nureyev estavam no auge da fama e sua presença no Brasil foi fundamental para aumentar o prestígio do ballet no país.
  • Espetáculo popular no Maracanãzinho com a participação de um corpo de baile composto de 90 figuras, das quais 24 bolsistas da Associação de Ballet do Rio de Janeiro.
  • É a primeira vez no mundo que um espetáculo de ballet clássico é apresentando num estádio.

1974

  • Associação de Ballet do Rio de Janeiro é considerada de utilidade Pública Federal pelo Decreto 73.481 de 16 de janeiro de 1974.

1978

  • A mais arrojada realização da Associação de Ballet do Rio de Janeiro foi a apresentação na Semana Carioca de Turismo (RJ) dos dois espetáculos na enseada da Praia de Botafogo, no Rio de Janeiro: Primavera à Noite e a versão completa do ballet Romeu e Julieta, música pop de Alec Costandinos, mais de 80 bailarinos e assistido por 70 mil pessoas, e Ana Botafogo no papel de Julieta. Foi a primeira vez que um espetáculo de ballet clássico era apresentado na praia.


ESCOLA DE BALLET DO TEATRO CASTRO ALVES - EBATECA

1962

  • Fundação junto com Maria Augusta Morgenroth, da Escola de Ballet do Teatro Castro Alves (EBATECA), em Salvador, ocupando pela primeira vez o cargo de Diretora Artística.
  • Oferece professores e assistência técnica e artística, possibilitando futuramente a criação do Ballet Brasileiro da Bahia, primeira companhia profissional de alto nível do Estado da Bahia.

1968

  • Após seis anos da fundação da EBATECA é criado o Ballet Brasileiro da Bahia. Dalal se torna coreógrafa residente e diretora artística. No repertório, música e a dança do Brasil: Hoje... Amanhã... Ontem..., Concerto e Festa Nordestina.


MÉTODO DA ROYAL ACADEMY OF DANCE DE LONDRES

ROYAL BALLET DE LONDRES

1963

  • Traz o Curso de Especialização para professores de ballet, nível superior, com o método da Royal Academy of Dance de Londres, entidade internacionalmente reconhecida.
  • Oferece bolsas de estudo de aprimoramento técnico para professores de vários estados do Brasil ministrado pela professora Valerie Taylor.
  • Participação no 2º Encontro de Escolas de Dança do Brasil, na Universidade de Brasília.

1969

  • Lançamento do programa Ballet na Educação da Royal Academy of Dance de Londres, realizando convênio especial e inédito no país, com escolas de ballet de todo o Brasil para cursos de atualização de professores, dentro dos mais expressivos métodos mundiais.

1970

  • Subsidia a vinda de profissionais da Royal Academy of Dance para a realização de cursos de formação de professores. As aulas são ministradas por todo Brasil e visam implantar uma metodologia de ensino nos padrões internacionais. Esta iniciativa tem extrema relevância na formação e aprimoramento de professores e escolas que passam a seguir um método de ensino que é referência mundial.

1971

  • Dinamização do Curso da Royal Academy de formação de professores, com aumento apreciável de escolas de ballet por todo Brasil.

1973

  • Promove em parceria com Dante Viggiani e Marcia Kubitschek a vinda ao Brasil, pela primeira vez, do Royal Ballet de Londres – na época a companhia de maior renome internacional - com a participação de Margot Fonteyn.
  • Foi considerado o mais importante acontecimento artístico do país. Ao longo de seis semanas a companhia se apresentou no Rio, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e Brasília onde inaugurou o Estádio Medici. Quase 100 mil pessoas assistiram aos espetáculos.

1998

  • Primeira personalidade não inglesa convidada pela Royal Academy of Dance para participar como Member of the Executive and Artistic Committee.


THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

1968

  • Convidada para ser Diretora do Corpo de Baile do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, produziu Os Inconfidentes de Cecília Meirelles, com música de Chico Buarque e direção de Flávio Rangel. Participam do espetáculo Chico Buarque, Nara Leão, Dina Sfat, Paulo José, coro e orquestra do Theatro Municipal.

1981

  • É nomeada para a Direção do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e após completa reformulação do Corpo de Baile, cria categorias artísticas e forma a Companhia de Ballet do TMRJ com 70 bailarinos e 10 estagiários.
  • Abre a temporada com o ballet Coppélia, apresentado pela primeira vez no Brasil em sua versão completa, alcançando sucesso inédito de bilheteria e crítica.
  • Em seguida,  Giselle de Peter Wright, Romeu e Julieta de John Cranko, Diversions de Jean Paul Commelin, Opus I de John Cranko, Cantabile de Oscar Araiz e Something Special de Dalal Achcar. Artistas convidados: Natalia Makarova, Fernando Bujones, Marcia Haydée, Richard Cragun, Stephen Jefferies, Thomas Nicholson, entre outros.

1983

  • Realiza o ballet Gabriela, de Jorge Amado com música de Edu Lobo, coreografia de Gilberto Motta e cenário e figurinos de Caribé.

1984

  • É nomeada Diretora Geral do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, até o princípio de 1987.
  • Funda e preside a Associação dos Amigos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, entidade criada para dar apoio às produções do Theatro Municipal. O formato pioneiro da associação serviu de modelo para as associações de amigos de instituições culturais de todo o País.

1985

  • Inicia o projeto Pacote Cultural, que permite a alunos das escolas públicas e privadas assistirem a espetáculos gratuitamente no Theatro Municipal, levando mais de 30 mil crianças, adolescentes e universitários aos espetáculos de ballet. Os alunos em agradecimento enviavam trabalhos relacionados à experiência sob diferentes formas, desenhos, poesias, redações. Uma exposição foi organizada com a presença do Presidente José Sarney que na ocasião também assistiu ao O Quebra-Nozes.

1986

  • Como diretora do Theatro Municipal organiza o II Festival Internacional de Dança do Rio de Janeiro. Companhias convidadas:
  • Maurice Béjart
  • Stuttgart Ballet
  • Sadler’s Wells Royal Ballet
  • Pilobolus, Kabuki
  • Balé Nacional de Cuba
  • Balé do Teatro Colón de Buenos Aires
  • Twyla Tharp
  • Ballet do Theatro Municipal
  • Grupo Corpo
  • Ballet do Teatro Guaíra, entre outros

1991

  • Recebe a Princesa de Gales, Diana – Lady Di, enquanto Presidente do Theatro Municipal, para um espetáculo do Grupo Corpo.

1999

  • Assume, pela segunda vez a Presidência da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro e encerra esta gestão com o espetáculo Romeo e Julieta, regido por Mstislav Rostropovich em 2002, batendo recordes históricos de apresentações de espetáculos da casa e de frequência de público.
  • A comemoração dos 90 anos do Theatro Municipal é festejada com uma belíssima exposição organizada por Maristela Kubitschek Lopes com dois dias consecutivos de portas abertas com espetáculos contínuos de música, ballet e ópera. O evento atraiu cerca de 30 mil pessoas ao Theatro.

2000

  • Projeto Educação com Arte – Theatro Municipal do Rio de Janeiro
  • Idealizado por Dalal Achcar, possibilitou o acesso de estudantes e professores, em especial da Rede Pública e do Ensino Médio e Fundamental, a espetáculos de grande porte e qualidade no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Com o intuito de potencializar o valor educativo e formativo da apreciação de espetáculos, ampliando as perspectivas culturais e artísticas dos alunos e incentivando a mentalidade crítica e ética, fundamental ao exercício da cidadania. Foi distribuído um programa em forma de guia de estudos especialmente elaborado contendo informações multi-referenciais, curiosidades e atividades lúdicas, visando assimilação do conteúdo direto e indireto de cada espetáculo.

2001/2002

Durante sua gestão no Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresentou espetáculos de cunho internacional e nacional, diversificando a programação e oferecendo oportunidade a jovens artistas, tais como:

Apresentou espetáculos de cunho internacional e nacional, diversificando a programação e oferecendo oportunidade a jovens artistas, tais como:

Algumas obras apresentadas durante sua última gestão (1999-2002)

⋅ La Bayadère (ballet com direção, concepção e coreografia de Natalia Makarova)

⋅ O Lago dos Cisnes (ballet com direção, concepção e coreografia de Natalia Makarova)

⋅ O Quebra Nozes (ballet de Dalal Achcar)

⋅ Don Quixote (ballet de Dalal Achcar)

⋅ Carmen (ópera)

⋅ Romeu e Julieta (ballet)

⋅ A Floresta Amazônica (ballet de Dalal Achcar - segunda versão já em dois atos)

⋅ La Sonnambula – (ópera em dois atos - Vincenzo Bellini)

⋅ La Traviata – (ópera em quatro atos - Giuseppe Verdi)

⋅ O Quebra-Nozes – (ballet de Dalal Achcar)

⋅ Tannhäuser de Wagner (com direção de Werner Herzog)

Foram também criados os espetáculos:

⋅ Concertos no Foyer (música de câmera usando o foyer como palco)

⋅ Ópera ao Meio-Dia (projeto inédito realizado na hora do almoço nas escadarias internas do teatro, apresentando os mais conhecidos trechos de ópera, com duração de 40 minutos como forma de introdução. O Café Palheta oferecia um sanduíche e café).

  • Preocupada com a ausência da memória histórica, organiza a Série Memória do Theatro Municipal com biografias de artistas que fizeram a história do teatro nas áreas de música, ópera, dança e coreografia. Lança os 11 primeiros volumes em 2001 e posteriormente outros 39 volumes.
  • Deixa a Presidência do Theatro Municipal, porém continua sua colaboração como Conselheira

2007

  • Monta o ballet O Quebra Nozes para o Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

2009

  • Monta para o Theatro Municipal do Rio de Janeiro uma versão reduzida da A Floresta Amazônica para apresentações em Belo Horizonte; Recife; Salvador
  • Monta sua produção completa do O Quebra Nozes para apresentações em São Paulo.
  • Participa dos festejos dos 100 Anos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro com sua coreografia Grand Finale, dançada pelo corpo de baile do teatro

2010

  • Com a reabertura do Theatro Municipal do Rio de Janeiro monta sua versão do ballet Don Quixote com a participação de Dorothé Gilbert, estrela da Ópera de Paris e Marcelo Gomes, estrela do American Ballet Theatre e Cyril Atanassoff, ex-estrela de ballet e mâitre da Ópera de Paris no papel de Don Quixote, com apresentações lotadas e espetáculos extra.

2011

  • Monta O Quebra Nozes para O Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

2014 - 2016

  • Por três anos consecutivos monta O Quebra Nozes para o Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

2019

  • Monta para o Theatro Municipal do Rio de Janeiro o Ballet Coppelia que tem a participação da Companhia Jovem de Ballet, com dez espetáculos de casa lotada.


CENTRO DE ARTE E CULTURA BALLET DALAL ACHCAR

1971

  • Com Maria Luisa Noronha, funda o Centro de Arte e Cultura Ballet Dalal Achcar, uma escola que atua no ensino de ballet para crianças e profissionais. Oferece orientação e estágio técnico e artístico a professores e um programa de inserção social através de bolsas de estudo.

1972

  • Apresenta com a Associação de Ballet do Rio de Janeiro e alunos do Ballet Dalal Achcar, uma série de espetáculos em praças públicas dando início a um novo enfoque de espetáculos artísticos para o grande público.

1981

  • Em 05 de outubro de 1981 o Ballet Dalal Achcar tornou-se a 1ª escola particular do país a ter seu currículo aprovado pelo Conselho Estadual de Educação podendo desde então diplomar seus alunos como bailarinos profissionais à nível de 2º Grau.

2013

  • Dá continuidade ao Projeto Ballet Dalal Achcar e Associação de Ballet do Rio de Janeiro para a Comunidade na Igreja da Ressurreição – Copacabana iniciado dez anos antes.


JORNAL DA DANÇA

1972

  • Criação do Jornal Dança, o primeiro dedicado ao tema no Brasil, em parceria com Márcia Kubitschek.
  • Jornal de divulgação do ensino da dança no Brasil, distribuído gratuitamente a 6 mil estabelecimentos, em universidades, conservatórios de música, escolas de teatro, órgãos governamentais e estaduais e entidades privadas culturais em todo o País.
  • O Jornal Dança encontra-se no arquivo da Biblioteca de Washington nos Estados Unidos.


RECONHECIMENTO DA PROFISSÃO

1º CURSO PROFISSIONALIZANTE EDUCAÇÃO

1974

  • Com a reforma de ensino de 2º grau, Dalal propõe e aprova o reconhecimento da profissão através do primeiro curso profissionalizante para a formação dos seguintes profissionais: Professor Auxiliar de Danças, Professor Auxiliar de Danças Regionais, Recreação Coreográfica Infanto-Juvenil, Técnico em Recuperação Psicomotora e Terapia através da Dança. O Ballet Dalal Achcar foi a primeira escola autorizada a adotar o curso.

1975

  • Instaurou o primeiro concurso de composição musical especialmente para ballet.

1984

  • Preocupada com a situação dos professores de dança, consegue com a assistência de Gilberto Mota, Carlota Portella e a orientação da Professora Edilia Coelho Garcia na ocasião sua assistente, criar um curso e obter a aprovação pelo Conselho Federal de Educação do seu currículo de 3º Grau – Licenciatura Plena em Curso de Dança – com formação em 04 anos de estudos para universitários, professores e coreógrafos.

1985

  • Criação do primeiro Curso Superior de Formação de Professores de Dança do País, na Faculdade da Cidade (UniverCidade) no Rio de Janeiro, onde foi Professora Titular.

1992

  • Traz pela primeira vez ao Brasil com o apoio da Prefeitura de Niterói toda a Escola Nacional de Ballet de Cuba. Seus professores e artistas ministraram por um mês diversos cursos e montaram espetáculos reunindo artistas cubanos e alunos participantes, em uma série de espetáculos populares apresentados com grande sucesso no Teatro Municipal de Niterói.


BALLET ÓPERA DE PARIS

1974

  • Promove uma grande temporada do Ballet da Ópera de Paris, que, semelhante a do Royal Ballet, alcançou sucesso absoluto. A temporada trouxe para o Rio de Janeiro e São Paulo ballets completos jamais vistos no Brasil como Notre Dame de Paris e A Sagração da Primavera. Foi a primeira tournée internacional com a companhia completa.


COREOGRAFIAS

1968

  • A pedido do Itamaraty, Dalal criou um ballet,  Dança para Indira , em homenagem à visita da Sra. Primeira-ministra da Índia, Indira Ghandi, ao Brasil. O espetáculo foi apresentado no Palácio dos Arcos, em Brasília, com o Ballet Brasileiro da Bahia.

1974

  • Cria e produz sua concepção e coreografia para O Quebra-Nozes, de Tchaikowsky.
  • Apresentada no Theatro Municipal pelo Ballet do Rio de Janeiro e com direção musical de Henrique Morelembaum e participação de grandes primeiros bailarinos do ballet internacional: Doreen Wells e Georgina Parkinson, do Royal Ballet de Londres, Cyril Atanassoff, da Ópera de Paris e Alphonse Poulin, do Boston Ballet, além do corpo de baile composto por artistas brasileiros.
  • O sucesso das apresentações fez do espetáculo uma programação anual, e posteriormente esta montagem foi reconhecida mundialmente como uma das melhores já feitas deste ballet.

1975

  • É convidada para montar o seu pas de deux do ballet Com Amor, criado na ocasião do I Festival de Inverno de Dança, para Anne Marie de Angelo no Joffrey Ballet de N.Y.
  • A Floresta Amazônica de Villa-Lobos, especialmente criada para Margot Fonteyn

1976

  • Something Special - Sua coreografia, criada especialmente para Natalia Makarova e Anthony Dowell, com música de Ernesto Nazareth e figurinos de Nilson Penna, estréia em São Paulo, e em 1977 é apresentada em Los Angeles, São Francisco, Washington e outras cidades, com grande sucesso. Anos depois o Pas de Deux é dançado por Marcia Haydée em diversos festivais.
  • Ballet Cenas Brasileiras que conta a história de uma jovem menina que se apaixona por um feirante, na época do Brasil-colônia. Dalal surpreende com uma estilização do ballet clássico, introduzindo coreografias de capoeira e maculelê para representar os festejos populares

1979

  • Monta o Musical Ballet Cinderela, com música de Donna Sommers para Ana Botafogo , Alain Leroy e o Ballet do Rio de Janeiro no Teatro BNH com 55 espetáculos lotados.

1980

  • Monta seu segundo Musical Ballet, Sonho de uma Noite de Carnaval com Ana Botafogo no Teatro BNH, e músicas populares brasileiras.

1981

  • Monta o Musical Ballet Infantil Branca de Neve no Teatro do BNH.

1982

  • Monta pela primeira vez no Brasil o ballet completo Don Quixote em 3 atos recebendo o Prêmio Ibéria/Espanha por sua concepção e coreografia.

1986

  • Seu Ballet O Quebra Nozes é classificado em 1º lugar na pesquisa da revista Newsweek entre 1000 outros Quebra Nozes apresentados em todo mundo

1997

  • Cria a coreografia Cardinal a convite de Jean Yves Lormeau, diretor do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com música de Johann Sebastian Bach e figurinos de João Américo de Souza tendo Rosana Lanzelotte ao cravo.

2006

  • Cria o ballet Um Conto de Natal apresentado em grande temporada popular no Teatro João Caetano pela Companhia El Paso de Dança.


CONDECORAÇÕES

1975

  • Condecorada pela Rainha Elizabeth II, com a Ordem do Império Britânico , O.B.E. (Honorary Officer)

1976

  • É Condecorada pelo Ministro da Cultura da França como Chevalier de L’Ordre des Arts et des Lettres.

1982

  • Recebe da Royal Academy of Dance o título de Friend of the Royal Academy of Dance – FRAD, como membro da Academia.
  • É nomeada vice presidente do Conselho Ibero Americano de dança ligado a Organização dos Estados Americanos com sede em Washington.

1987

  • É condecorada pelo Governador do Distrito Federal com a Medalha do Mérito da Alvorada.
  • É condecorada pelo Presidente da República do Brasil com Ordem do Rio Branco no grau de Oficial.

1997

  • É elevada ao grau de Officier de L’Ordre des Arts et des Lettres pelo Ministro da Cultura da França.

1998

  • É homenageada pelo Conselho Brasileiro da Dança da UNESCO com a Medalha do Mérito Artístico da Dança

2000

  • Homenageada pelo Presidente Fernando Henrique Cardoso com a Medalha da Ordem do Mérito Cultural na classe de Comendador.
  • Homenageada pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra.
  • Recebe do Reitor Profº Antônio Celso Alves Pereira a Medalha Ordem do Mérito José Bonifácio no grau de Grão Oficial pela ? Universidade do Rio de Janeiro -UERJ.

2001

  • Recebe o Diploma da Ordem do Mérito do Livro, do Ministério da Cultura e Fundação Biblioteca Nacional.

2004

  • Recebe Diploma Construtores da Dança, em Pernambuco do Conselho Brasileiro da Dança da UNESCO.

I FESTIVAL DE INVERNO DE DANÇA

1975

  • Promoveu o I Festival de Inverno de Dança, que teve entre outras criações, a primeira versão de A Floresta Amazônica de Villa-Lobos, especialmente criada para Margot Fonteyn e apresentada nas cidades do Rio de Janeiro, Recife, Curitiba, Porto Alegre, São Paulo, Brasília e Manaus.
  • Congregou astros de diversas nacionalidades e ofereceu oportunidades para que novas criações coreográficas pudessem ser apresentadas ao público.


II FESTIVAL DE INVERNO DE DANÇA

1976

II Festival de Inverno de Dança

  • A Associação de Ballet do Rio de Janeiro promove o II Festival de Inverno de Dança no Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre e São Paulo, apresentando, como no ano anterior, artistas de fama internacional como Natália Makarova, Merle Park, Fernando Bujones e Anthony Dowell e criações inéditas de Dalal Achcar como o Ballet Cenas Brasileiras, Dalal surpreende com uma estilização do ballet clássico, introduzindo coreografias de capoeira e maculelê para representar os festejos populares. Embalado pela música de Francisco Mignone e pela magia da dupla Fernando Bujones e Merle Park, este espetáculo representou um dos maiores sucessos do II Festival de Inverno de Dança.


LIVROS

1980

  • Publica o livro Ballet – Arte, Técnica e Interpretação, pela Companhia Brasileira de Artes Gráficas. O sucesso do livro resultou em 6 edições.

1998

  • Publica seu livro Balé uma Arte, pela Editora Ediouro.

2010

  • Lança em parceria com Katia Mindlin Leite Barbosa o livro-guia Istambul uma Cidade Fascinante, pela Editora Addresses, que foi finalista do Prêmio Jabuti


AÇÕES VARIADAS

1971

  • Gala no Teatro do Hotel Nacional com os bailarinos Ana Botafogo e Fernando Bujones.

1982

  • Realiza palestras em diversos países da América do Sul.

1985

Por três anos consecutivos, 1985, 86 e 87, monta espetáculos de ballet e danças brasileiras no Teatro Amazonas para uma plateia internacional da Sun Line Cruises.

1992

  • Realiza espetáculos populares de ballet, concertos sinfônicos e trechos de ópera em parceria com o jornal O Dia. O cupom do jornal era trocado por ingressos gratuitos..

1996

  • Traz para o Brasil junto com Maria Rita Stump o American Ballet Theatre, de Nova York.

Gala no Teatro do Hotel Nacional com os bailarinos Ana Botafogo e Fernando Bujones.

2008

  • Com o Theatro Municipal fechado para reforma, monta a convite da presidente Carla Camuratti, para uma temporada no Shopping Rio Sul, o 2º Ato do O Quebra Nozes para o Ballet do Theatro Municipal.

2012

  • Patrocina, participa e divulga diversas ações em prol do ballet e de seus profissionais.
  • Patrocina vários jovens bailarinos para o Concurso de Lausanne.

2015

  • É convidada para montar o ballet Coppelia para o Ballet Nacional do Uruguay no Teatro Sodré. Após a temporada o ballet é também apresentado na Europa com muito sucesso.

2017

  • É convidada para montar o ballet Coppelia para o Teatro Colon de Buenos Aires também com grande sucesso de público.


II CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE A DANÇA

1987

  • Preside o II Congresso Internacional sobre a Dança, no Rio de Janeiro, organizado em colaboração com a Dance Magazine. O congresso reuniu 4000 alunos e os maiores professores internacionais da época, médicos e fisioterapeutas especializados em dança, palestrantes e com a participação de artistas convidados de expressão internacional como Marcia Haydée e Fernando Bujones. Homenagens a figuras da dança como Nina Verchinina e Juliana Yanakiva que receberam como trófeu uma escultura do artista Roberto Moriconi.


PROJETO DANÇA PARA ESCOLAS

1987

  • Inicia o Projeto Dança para Escolas em convênio com a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, com apresentações em vários locais, como o Teatro João Caetano, Lona da Cultura da Ilha do Governador, Sala Cecília Meirelles, Quadra da Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense e Circo Voador, beneficiando mais de 8 mil alunos de escolas da rede pública, municipal e estadual. Durante cinco anos consecutivos, esta parceria possibilitou o acesso do grande público a espetáculos de dança.


BALLET DAS NAÇÕES

1988

  • Com a ajuda do professor especializado em danças populares de diversos países Theo Dantes, monta o espetáculo Ballet das Nações, em uma iniciativa do projeto da ONU – Cooperação Global por um Mundo Melhor – apresentado Teatro João Caetano no Rio de Janeiro.


BI-CENTENÁRIO DA REVOLUÇÃO FRANCESA

1989

  • Convidada para as festividades de comemoração do bi-centenário da Revolução Francesa, montou um espetáculo de ballet assistido por um público superior a 100 mil pessoas no Aterro do Flamengo, com a participação do bailarino Jorge Donn - que dançou o Bolero de Ravel com coreografia de Maurice Béjart.


CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO MEIO AMBIENTE / ECO - 92

1992

  • Preocupada com a imagem do Brasil no exterior concebe e dirige por ocasião da 1ª Conferência Internacional sobre o Meio Ambiente (ECO - 92), um espetáculo intitulado Concerto para o Planeta Terra (Concert for Planet Earth) com a participação de artistas convidados dos cinco continentes, representando a diversidade de raças, continentes e artes: Jeremy Irons - narrador, Plácido Domingo - mestre de cerimônia e tenor, Denyce Graves - soprano, Sarah Chang - violinista, Wynton Marsalis - trompetista, Julio Bocca e Eleonora Cassano - bailarinos, Tom Jobim (Brasil), Gal Costa (Brasil) e Coro e Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.
  • Este espetáculo foi irradiado ao vivo pela BBC de Londres e posteriormente lançado um DVD pela Sony Music.


UM NATAL BEM BRASILEIRO

1996

  • Concebeu a convite da Bradesco Seguros, o espetáculo Um Natal bem Brasileiro.
  • Realizado com a Associação de Ballet do Rio de Janeiro e o Ballet Dalal Achcar, foi encenado consecutivamente de 1996 a 1999, junto à Árvore de Natal, na Lagoa Rodrigo de Freitas (RJ).


PROJETO UMA CHANCE PARA DANÇAR

2000 - 2004

  • Realizado pela Associação de Ballet do Rio de Janeiro, no Ballet Dalal Achcar, unidade Madureira. Por meio de bolsas, o projeto preparava tecnicamente, ao longo de quatro anos de estudo, adolescentes entre 13 e 16 anos, moradores de áreas de risco das redondezas, como recreadores infanto-juvenis e técnicos de recuperação psicomotora.


COMPANHIA JOVEM DE BALLET DO RIO DE JANEIRO

COMPANHIA DE BALLET DALA ACHCAR

2000

  • Criada por Dalal Achcar, em conjunto entre o Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), o Conselho Brasileiro da Dança (UNESCO), a Associação de Ballet do Rio de Janeiro e das escolas Profissionalizantes: Centro de Dança Rio, Ballet Dalal Achcar e Escola Estadual de Dança Maria Olenewa
  • Companhia Jovem de Ballet do Rio de Janeiro é um projeto pioneiro para profissionalização desses jovens.

2001/2002

  • Apresentações da Companhia Jovem de Ballet do Rio de Janeiro no Circuito SESC (Barra Mansa, São Gonçalo, São João de Meriti, Teresópolis e Nova Iguaçu); Teatro da UERJ, II Bienal da União Nacional de Estudantes (UNE) representando o Rio de Janeiro, na Série Ballet para a Juventude no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e convidada especial em Festivais de Santos (SP), Belém (PA),
  • Alegrete e Porto Alegre (RS) e também em Aracaju (SE) e Fortaleza (CE).
  • Série Ballet para a Juventude apresentada pela Companhia Jovem de Ballet do Rio de Janeiro

Direcionada a crianças e jovens alunos das escolas municipais e estaduais e ONGs, abrangendo também crianças da educação especial.

2004

  • Com a obtenção do patrocínio da El Paso, a Companhia de Ballet do Rio de Janeiro transforma-se em Companhia Jovem EL PASO de Dança, reunindo um conjunto formado por 12 bailarinas e 10 bailarinos na faixa etária de 17 a 24 anos, dirigidos e orientados por Dalal Achcar e Mariza Estrella, A Companhia estreia o espetáculo Superbacana – Dançando a Tropicália, no Teatro Villa-Lobos, com músicas de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Torquato Neto, Capinan, Tom Zé, Rogério Duprat, Jorge Benjor e outros compositores emblemáticos do tropicalismo.

2005

  • Companhia El Paso de Dança se apresenta por vários festivais no Brasil.

2006

Cria o ballet Um Conto de Natal apresentado em grande temporada popular no Teatro João Caetano pela Companhia El Paso de Dança.

2008

  • Com a Companhia Jovem do Ballet do Rio de Janeiro (o nome é retomado após a partida da El Paso do país) apresenta o Conto de Natal no Teatro João Caetano e.

2011

  • Apresenta a Companhia Jovem de Ballet do Rio de Janeiro em espetáculos no Theatro Municipal no programa do governo “Theatro Municipal à R$ 1,00”, acompanhando o programa de comemoração dos 35 anos de palco de Ana Botafogo.
  • A Companhia se apresenta em vários outros espetáculos ao longo do ano no próprio Municipal e outros teatros do Brasil

2014

  • Apresenta a Companhia Jovem de Ballet do Rio de Janeiro em temporadas no Imperator – Centro Cultural João Nogueira e no Teatro Riachuelo.

2018

  • Realiza temporada com a Companhia Jovem de Ballet do Rio de Janeiro nos teatros Riachuelo e Imperator – Centro Cultural João Nogueira.

2019

  • Monta para o Theatro Municipal do Rio de Janeiro o Ballet Coppelia que tem a participação da Companhia Jovem de Ballet, com dez espetáculos de casa lotada.
  • A Companhia Jovem de Ballet do Rio de Janeiro se apresenta em temporada no Teatro Prudential com o novo repertório também apresentado para diferentes comunidades.
  • A Companhia Jovem de Ballet do Rio de Janeiro abre e encerra o 26 º FIDA – Festival Internacional de Dança da Amazônia em Belém do Pará, onde se apresentou com grande sucesso por cinco espetáculos no Teatro da Paz.
  • Apresenta o já clássico espetáculo Conto de Natal no Teatro Riachuelo com a Companhia Jovem de Ballet do Rio de Janeiro

2020

  • A Companhia Jovem do Rio de Janeiro é elevada ao nível de uma companhia profissional, integrada ao Ballet do Rio de Janeiro
  • Durante a Pandemia a Companhia realizou o espetáculo Baile de Máscaras no Teatro Prudential, no Rio de Janeiro ao ar livre.

2021

Com a aprovação de seu projeto “Dança como Poder de Transformação” pelo Instituto Cultural Vale do Rio Doce a Associação de Ballet do Rio de Janeiro

a Cia retorna com espetáculos no Rio de Janeiro e Belo Horizonte e termina o ano apresentando o “Conto de Natal” no Teatro Riachuelo.

2022

  • A Companhia Jovem do Rio de Janeiro passa a se chamar Companhia de Ballet Dalal Achcar
  • Apresenta o espetáculo inédito “TAL VEZ” com coreografias de Alex Neoral em temporada no Teatro Riachuelo, com enorme sucesso de público e crítica.