Decapitação de João Batista (Caravaggio)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Decapitação de João Batista
Decollazione di san Giovanni Battista
Autor Caravaggio
Data 1608
Técnica Óleo sobre tela
Dimensões 361  × 520 
Localização Co-Catedral de S. João, Valeta,  Malta

A Decapitação de João Batista ou Decapitação de São João Batista é uma pintura a óleo do pintor italiano Caravaggio, realizada em 1608. A pintura, criada quando Caravaggio estava sob a proteção dos Cavaleiros de Malta, é considerada a obra-prima do pintor e "uma das obras mais importantes da pintura ocidental".[1]

Composição[editar | editar código-fonte]

A obra retrata a execução de João Batista, onde próximo a ele se encontra Salomé com a bandeja de ouro que se prepara para receber a sua cabeça. Outra mulher, que foi identificada como sendo Herodias ou apenas um assistente que ali entende o erro da execução,[2][3] encontra-se em estado de choque, enquanto um carcereiro comente o ato e o carrasco inflige com a sua adaga o pescoço da vítima terminando por decapitá-la. A cena, bastante popular dos artístas italianos assim como do próprio Caravaggio, não foi inspirada directamente da Bíblia, mas antes de um conto relacionado com a Lenda Dourada.[4]

Trata-se da única obra de Caravaggio por ele assinada, cuja subscrição foi colocada no sangue derramado da garganta de Batista.[5] Existe um considerável espaço vazio na imagem, e pelas grandes dimensões da tela, as figuras configurma um tamanho próximo ao natural.[6]

De acordo com John Varriano em Caravaggio: the Art of Realism (2006), Caravaggio desenhou o fundo da sua obra com base na representação de uma prisão alicercada no código penal dos Cavaleiros de Malta.[7]

Referências

  1. Pomella, Andrea (2005). Caravaggio: an artist through images. [S.l.]: ATS Italia Editrice. p. 106. ISBN 978-88-88536-62-0. Consultado em 28 de junho de 2010. 
  2. Harris, Ann Sutherland (2005). Seventeenth-century art & architecture. [S.l.]: Laurence King Publishing. p. 48. ISBN 978-1-85669-415-5. Consultado em 28 de junho de 2010. 
  3. Gaul, Simon (1 de outubro de 2007). Malta Gozo & Comino, 4th. [S.l.]: New Holland Publishers. p. 109. ISBN 978-1-86011-365-9. Consultado em 28 de junho de 2010. 
  4. Hibbard, Howard (5 de março de 1985). Caravaggio. [S.l.]: Westview Press. p. 228. ISBN 978-0-06-430128-2. Consultado em 28 de junho de 2010. 
  5. Rowland, Ingrid Drake (2005). From heaven to Arcadia: the sacred and the profane in the Renaissance. [S.l.]: New York Review of Books. p. 163. ISBN 978-1-59017-123-3. Consultado em 28 de junho de 2010. 
  6. Hibbard (1985), 232.
  7. Varriano, John L. (2006). Caravaggio: the art of realism. [S.l.]: Penn State Press. p. 116. ISBN 978-0-271-02717-3. Consultado em 28 de junho de 2010.