Declaração da independencia (Uruguai)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bandeira dos Trinta e três Orientais

Em Uruguai, a expressão Declaratoria da independência refere ao ato realizado o 25 de agosto de 1825 pelo Congresso da Flórida, integrado por representantes dos cabildos dos povos da Província Oriental. Por médio deste, a Província Oriental proclamava sua independência do Império do Brasil e se declarava parte das Províncias Unidas do Rio da Prata; pelo mesmo, não se tratou de uma declaração de independência de uma nação autónoma, ainda que expressava sua soberania.[1]

As deliberaçõe tiveram lugar no lugar conhecido como Pedra Alta, próximo da cidade de Flórida, a 98 km da capital Montevideo. Esta declaração também é conhecida como «da Flórida» ou «da Pedra Alta». Suas três leis também recebem o nome de «Leis da Flórida» ou «Leis fundamentais de 1825».

Foi a continuação do processo histórico iniciado com o desembarco da cruzada libertadora o 19 de abril de 1825, conhecido como desembarco de Trinta e três Orientais, comandados por Juan Antonio Lavalleja e um dos pontos álgidos do processo independentista oriental que culminou na Jura da Constituição em 1830.

O 25 de agosto de 1825 declararam-se três leis:

  • Lei de Pavilhão: que estabeleceu como pavilhão da Província Oriental a tricolor: «celeste, branca e punzó».

A assembleia do 25 de agosto de 1825 esteve presidida pelo presbítero Juan Francisco Larrobla.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]