Discussão:Astroquímica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Melhorias ao artigo

A Astroquímica é uma ciência recente, que mescla Astronomia, Física e, principalmente, Química. Possui como principais objetos de estudo a formação, destruição e abundância de moléculas no meio interestelar.

A astroquímica pode ser dividida em três grandes áreas de estudo: astroquímica observacional, teórica e experimental.


Astroquímica observacional

Esta subárea da astroquímica trata de analisar as informações astroquímicas obtidas por meio de diversas técnicas (interferômetro, por exemplo). Ou seja, é a análise de dados por meio da observação, uma vez que pode-se observar as moléculas do meio interestelar através dos comprimentos de ondas de rádio e infravermelho.


Astroquímica teórica

Subárea que tem como objetivo desenvolver modelos para descrever diferentes cenários químicos do meio interestelar. Trabalha com modelos descritivos e leis matemáticas que tratam das mais amplas questões, como o ciclo de vida das estrelas (nascimento, desenvolvimento e morte).


Astroquímica experimental

O caráter experimental desta subárea da astroquímica baseia-se na investigação acerca da presença, formação e sobrevivência de moléculas em diversos ambientes. Por exemplo, a partir do processamento de moléculas como N2, H2O, CO, NH3, formam-se moléculas orgânicas tais como o aminoácido glicina (C2H5NO2) e a base adenina (C5H5N5). Além disso, a quiímica orgância prebiótica é um ramo da astrofísica muito discutida atualmente, que tenta explicar os meios para a origem da vida na Terra.

Referências:

Plano Nacional de Astronomia: White paper. Disponível em: http://www.sab-astro.org.br/cea/white_papers/WP-Astroquimica.pdf Acesso em 13/11/13.