Discussão:Fado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

De onde é esse retrato?--24.15.4.45 05:35, 4 Abril 2006 (UTC)

Esse retrato é d'"O Faia", casa de fado onde cantam Anita Guerreiro, Lenita Gentil e Débora Rodrigues. --Ibérico 11:32, 16 Setembro 2006 (UTC)

Origens Brasileiras[editar código-fonte]

As origens não se resumem à Universidade de Coimbra, onde alunos brasileiros estudavam, mas à própria cultura afro-brasileira:

"O Fado: Da Dança Afro-Brasileira à Saudade Portuguesa

A história do Fado português é um longo processo de trocas interculturais, No contexto multicultural do Brasil colonial os ritmos e os padrões de dança africanos combinam-se com as harmonias e as formas europeias para gera uma dança cantada de forte sensualidade que atravessa o Atlântico para se implantar nos bairros populares do porto de Lisboa. A interacção entre o modelo brasileiro e as tradições locais da canção portuguesa leva gradualmente a um desaparecimento do elemento de dança e à atenuação do ritmo sincopado original, que dão agora lugar a uma atmosfera nostálgica e lamentatória, com um forte rubato na declamação do poema. Quando a aristocracia boémia e as classe médias urbanas “redescobrem” este género, nas décadas de 1860 e 70, o Fado passa a ter lugar no teatro musical ligeiro, começa a ser publicado em edições de folhetos para uso doméstico e acabará por se tornar num favorito da indústria discográfica nascente. Mas ao mesmo tempo, no seu contexto original operário, é usado como uma canção de luta associada ao arranque do movimento sindical e socialista."

Fonte: Professor e musicólogo português Dr. Rui Vieira Nery, em conferência na Embaixada de Portugal, Brasília, agosto de 2006

Qulquer dia sugere-se que nem português é! Que idiotice.... Lopium 02:28, 8 Novembro 2006 (UTC)

Não! Pelo que eu entendi, a palestra do pesquisador português Dr. Rui Vieira Nery, na Embaixada Portuguesa aqui em Brasília, mostrou que o Fado é português, isso não se questiona. A surpresa, contudo, é um lado que poucos conhecem nas origens do Fado, com forte influência africana e brasileira. Pense no Rock ou no Blues. São ritmos genuinamente norte-americanos, mas há alguém que nega a influência africana? Ricærdø 17:58, 18 Novembro 2006 (UTC)

A tese defendida pelo Dr. Rui Vieira Nery é comummente aceite, na óptica de que o Fado de Lisboa se trata de um género musical essencialmente português que colheu influências dos territórios até onde chegou o colonialismo português. Por outro lado, tem-se apontado uma génese algo diferente no caso do Fado de Coimbra, sendo que a tese mais comum aponta para uma recolha de temas populares (portugueses) em todo o país, que foram gradualmente adaptados a uma estética musical diferente, aglutinadora do repertório serenil, das técnicas mais arcaicas do Fado de Lisboa e da conjuntura própria das cidades onde havia largos estratos estudantis.


"O Fado, ensina o mestre Luiz da Camara Cascudo ("Dicionário do Folclore Brasileiro" volume I, página 363, edição INL/MEC, 1972), é uma canção popular portuguesa, especialmente cantada em Lisboa e Coimbra, de origem brasileira, vinda do Lundu, já divulgada entre o povo, quando a corte portuguesa se estabeleceu no Brasil, em 1808. No romance "Memórias de um Sargento de Milícias", Manuel Antonio de Almeida, embora em 1854/55, evoca o Rio de Janeiro no tempo de Dom João, príncipe e regente e depois (1815), primeiro e último rei do Brasil. Descrevendo uma festa de batizado, urgem legitimamente português, o desafio, a dança brasileira, o fado. "Já se sabe que houve nesse dia de função; os convidados da comadre que eram todos da terra, dançaram o fado" (descrição de Mário de Andrade, em "Música Doce Música", São Paulo, 1934). E assim legitima a afirmação de que o Fado é uma música de origens brasileiras, embora os lusitanos praticamente tenham se apropriado dela, a partir de 1840 e transformando na [música] nacional de Portugal.

Artigo de Aramis Millarch originalmente publicado em 12 de julho de 1974

Josboroliv 21:20, 6 Maio 2012(UTC)

Nunca li tanta estupidez junta, como é que pessoas que falam de absurdos destes se formam? Já pensaram que se formos por ai o Fado vem de Angola, já que as raízes culturais brasileiras vieram desse país? Além do mais que eu saiba, já antes de existirem os descobrimentos, se cantava o fado nas vielas de Lisboa... Francamente aparece cada uma... Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 13h59min de 7 de maio de 2012 (UTC)

“Coimbra é uma canção” é... uma canção, não um fado![editar código-fonte]

Se ninguém se opuser, reescreverei o parágrafo em que é feita aquela afirmação, cuja inverdade pode ser vista, por exemplo, aqui.
Ficou famosa, deu volta ao mundo, foi interpretada por muitos grandes nomes da canção, mas é uma canção e não um fado – e muito menos fado de Coimbra. – Cadum 22:46, 6 Setembro 2006 (UTC)

É Coimbra é uma lição! --Ibérico 11:34, 16 Setembro 2006 (UTC)

Fado de Coimbra?[editar código-fonte]

Creio que a nomenclatura "Fado de Coimbra" é uma fabricação do Estado Novo: nunca foi considerada como "Fado" pelos seus autores ou intérpretes, e não apresenta nenhuma relação com o Fado praticado em Lisboa: o único ponto de contacto é o uso da Guitarra Portuguesa e, mesmo assim, não se trata exactamente do mesmo instrumento. A tradição musical, o tipo de composição, a natureza erudita e os temas são visceralmente diferentes.

O termo "Canção de Coimbra" é o mais usado pelos autores e intérpretes contemporâneos em Coimbra. Sugiro, portanto, a alteração do texto de forma a ir de encontro a esta realidade.




Independentemente de ter ou não surgido como "fabricação do Estado Novo" (???) o FADO DE COIMRBA ganhou um enorme estatuto no fado do País! É absolutamente ultrajante sequer SUGERIR tal coisa. Completamente falso!

Lopium 02:25, 8 Novembro 2006 (UTC)

Carlos Paredes[editar código-fonte]

Acho abusivo (e uma imprecisão grotesta) incluir Carlos Paredes na tradição do Fado de Lisboa: a sua tradição musical provém do pai Artur Paredes, avô Gonçalo Paredes, bisavô José Paredes, tetra-avô, vários tios, etc. todos inscritos na tradição Coimbrã. O instrumento que Carlos Paredes toca é a Guitarra de Coimbra. E a natureza das suas composições não podia estar mais longe do Fado Castiço de Lisboa. Para além disso, esse facto é sustentado pela página de Carlos Paredes aqui na Wikipédia.

Se não se opuserem, procedo à alteração.

Fado de Coimbra? + Carlos Paredes[editar código-fonte]

Caro colega Tiagodovale, comento a um tempo as duas questões que pôs – e que acho pertinentes.
Quanto ao fado de Coimbra, talvez seja uma "invenção" do Estado Novo, mas até o Zeca Afonso lhe chamava assim – e assim é hoje conhecido. Até para distinguir de outras formas de canção académica, como o folclore e a balada. O José Afonso não pode, como sabe, ser acusado de fazer fretes ao Estado Novo e tem um disco (eu tenho em vinil...) chamado "Fados de Coimbra e outras canções".
Não sou, contudo, autoridade nenhuma para atestar estas questões – usei apenas a informação "generalista" para tentar completar um pouco mais o verbete do fado (que, depois de desenvolvido, se deveria até, penso eu, dividir em dois – Lisboa e Coimbra, se se decidir manter este último como fado. No verbete do fado de Lisboa deveriam ser referidos alguns subgéneros, como o fado do Ribatejo, do Porto, do Alentejo – todos eles com características distintivas em relação uns aos outros e em relação ao de Lisboa).
Quanto ao Carlos Paredes no fado de Lisboa, que eu saiba ele fez o acompanhamento à guitarra num único disco de fado (“Um Homem no País”, de Carlos do Carmo) e de uma única música para fado que compôs e foi cantado nesse mesmo disco: "Fado moliceiro".
Mas – e volto a repetir que não tenho conhecimentos especiais – parece-me que a influência de Carlos Paredes no fado de Lisboa vai para além do que compôs ou do que acompanhamento que (não) fez – tem a ver com a influência que teve em Alain Oulman e, principalmente, na influência que teve numa geração de guitarristas que começaram a "atacar" a guitarra de outra forma, mais "à Carlos Paredes". Alguns deles, aliás, dizem-no explicitamente.
Esta considerações são de um perfeito amador. Calculo que você terá conhecimentos mais profundos sobre estes temas. Portanto, fico agradecido por os aplicar para melhorar o verbete. Saudações. – Cadum 13:59, 6 Novembro 2006 (UTC)

Carlos Paredes.[editar código-fonte]

Não duvido que Carlos Paredes teve uma grande influência no Fado de Lisboa... E não apenas nessa forma musical... Com o Charlie Haden, era Fado? O próprio Santana é um admirador de Carlos Paredes: isso faz dele um fadista?

O que eu quero dizer é que se, por exemplo, os Queen se deixaram influenciar pelo universo da Ópera, não quer dizer que a Ópera seja uma forma de rock, na mesma medida em que o facto do Fado de Lisboa ter sido influenciado pelo Carlos Paredes, não faz do Carlos Paredes um guitarrista de Fado de Lisboa.

Caro Tiagodovale (está a esquecer a assinatura dos comentários...), fui eu quem colocou o Carlos Paredes, não só pela influência mas por ter composto e acompanhado um fado de Lisboa, como digo acima. Exagero meu – se calhar era o desejo de elevar ainda um pouco mais o nível que o fado de Lisboa já atingiu...
Esteja à vontade para retirar o nome dele da lista. Um abraço e um obrigado por cuidar do rigor da informação. – Cadum 22:53, 19 Novembro 2006 (UTC)

Eugénia Lima[editar código-fonte]

Fadista Eugénia Lima? Alguém pode argumentar isso? --Ibérico 17:56, 6 Março 2007 (UTC)

Temas em MP3[editar código-fonte]

Estou a promover um duo Concentus Duo de guitarristas que está a oferecer uns temas em MP3 no seu site. Apesar de não ser um grupo só de fado tem pelo menos um tema do género em oferta. Pretende mantêr apenas direitos de registo em disco, e o direito de reclamaçao de autoria, permitindo qualquer outro uso publico, comercial ou privado. Será que a wikipedia pode usar este tema? Obrigado pela ajuda, principalmente dos mais experientes na Wikipedia.--A.M.C.G. Tavares (discussão) 23h03min de 27 de Janeiro de 2008 (UTC)

Acredito qwue não atende a GPL, mas poderia verificar isso no commons. Adailton msg 23h12min de 27 de Janeiro de 2008 (UTC)

Fado de Coimbra[editar código-fonte]

Desde há alguns anos que o fado de Coimbra já não é cantado exclusivamente por homens. Uma das vozes femininas mais famosas é Luz Sá da Bandeira. Trebaruna (discussão) 02h19min de 17 de Março de 2008 (UTC)

Secção Fado de Lisboa[editar código-fonte]

Essa seção possui parágrafos com listas enormes. Elas atrapalham a leitura do texto, lhes faltam verificabilidade e imparcialidade. Além disso, pelo tamanho e pela quantidade de ligações vermelhas, parece-me que estão ali para promover ou criar afluentes artificiais para artistas não notórios. Lechatjaune msg 19h20min de 5 de abril de 2009 (UTC)

Caro Lechatjaune:
Já que retirou a lista seria de bom tom, creio, que deixasse a ligação para aceder a ela.
Quanto às ligações vermelhas deve ter em conta que o fado é, apesar de ser estar a mudar, um género apreciado em Portugal sobretudo por pessoas já com uma idade mais avançada. Como de certo deve ter conhecimento, estas pessoas não dispõe de conhecimentos informáticos para contribuir para este espaço. Por outro lado, a informação disponível na internet não é muita, por este motivo e porque o fado (talvez devido à grandeza da Amália Rodrigues ou talvez pela ligação ao regime ditatorial de Salazar, ou pela sua própria característica "underground" ou "caseira") ficou um pouco ao lado do circuito comercial, escapando apenas alguns nomes. : Neste momento vivi-se uma nova vaga! Não se preocupe que, muitos dos artistas que considera "não notórios" vão ter a sua página ou então serão eliminados, podendo ficar a certeza que essa lista peca por defeito.
Grato
NelsonCM (discussão) 19h46min de 5 de abril de 2009 (UTC)
Acho que ficou boa a ligação para o anexo. Realmente o artigo ficou mais limpo. Quanto à relevância, com o tempo ela será comprovada, ou não, como disse o Nelson. FlaviaC 23h17min de 7 de abril de 2009 (UTC)

Não deturpem o que está investigado! Nunca houve fado em Coimbra![editar código-fonte]

Aconselha-se a quem escreve que comece a ter cautelas. Primeiro: o Fado pode ser cantado por mais do que uma única pessoa! Segundo: em Coimbra há canções, não há Fados!

Tal absurdismo, bem como outros em relação ao Fado de Coimbra aqui expostos, só demonstram a completa ignorância cultural de quem fez estas brilhantes e ignorantes afirmações. O Fado de Coimbra tem o nome de Fado Canção e é um tipo especifico de Fado, não existe apenas o Fado Lisboeta, de facto nem existe Fado Lisboeta, existe Fado de Alfama, Corrido, Castiço, etc, etc, etc, existem imensas formas de fado, muitas das quais nem constam do artigo, o de Coimbra é apenas mais uma das muitas variantes. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 14h07min de 7 de maio de 2012 (UTC)

Cautela com as afirmações sobre a história do Fado[editar código-fonte]

Muitos continuam erradamente a confundir Fado com Canção, e Lisboa com Coimbra; a esquecer-se da migração dos minhotos (apelidados de galegos) para a capital e onde eram produzidas as Guitarras Inglesas que estiveram na origem da Guitarra Portuguesa. Ainda por cima, esta coisa de os editores da Wikipédia serem brasileiros continua a truncar tudo e a aceitar como verdades o que não existe e ainda por cima cortam as edições ainda mal uma pessoa não acabou a edição. Parabéns Wiki Foundation. É preciso mudar este estado de coisas...

Caro IP tal afirmação só demonstra a sua total ignorância sobre o projecto Wikipédia que é um projecto lusófono e não brasileiro e com muitos editores portugueses e de outros países lusófonos além do Brasil, se em vez de ficar a mandar bocas foleiras, participa-se do projecto e colaborasse, fazia bem melhor. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 14h13min de 7 de maio de 2012 (UTC)