Discussão:Quimioterapia

    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    A ansiedade não é um efeito colateral da quimioterapia e devia ser retirada dessa lista. É verdade que os pacientes, em geral, após um diagnóstico de cãncer, podem ter níveis de ansiedade elevados porém não causados pelo tratamento quimioterápico. O ganho de peso também não é um efeito secundário da quimioterapia. Creio que tem de ser revisto.

    Na realidade o artigo está, na minha opinião, muito mal escrito. Por exemplo, nem todos agentes quimioterápicos causam dano aos rins (nefrotoxicidade), pois nem todos esses agentes são eliminados por via renal.

    Este artigo, deveria ser reescrito por um grupo de pessoas que tenham maior conhecimento de causa. Alguns pacientes certamente estão lendo esse artigo e tomando ao pé-da-letra essas informações que estão equivocadas.

    Também não vejo o porquê do link para a ONG Brasileira.

    TCTH e DM1[editar código-fonte]

    Retirei a seguinte entrada "No diabetes (especificamente o diabetes tipo 1) é realizado um tratamento que incluiu altas doses de quimioterapia e o transplante de células-tronco próprias (originárias de suas próprias medulas ósseas) que pode curar a doença detectada nos primeiros meses.".

    Justificativas:

    1- Não cabe no verbete de quimioterapia 2- A referência é um link para um blog pessoal - nenhum artigo científico citado no corpo do texto aqui na wikipédia 3- Colocar uma afirmação destas no início do artigo é um erro. O tratamento com transplante autólogo de células tronco hematopoiéticas para o tratamento de DM1 ainda se encontra em fase experimental, necessitando de mais estudos que comprovem sua eficácia. Além disso, a sua indicação é controversa, o que pode confundir pacientes que lêem este verbete.

    Gusloureiro (discussão) 13h12min de 18 de janeiro de 2011 (UTC)Responder[responder]