Dzo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaDzo
Zokyo loaded with bags.jpg

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Bovidae
Género: Bos
Espécie: Bos grunniens × Bos primigenius

O dzo é um animal híbrido entre o yak e uma vaca. A palavra DZO tecnicamente refere-se a um híbrido do sexo masculino, enquanto que uma fêmea é conhecido como um dzomo ou zhom. Romanizations alternativas dos nomes tibetanos incluem dzho, zho e zo. Em mongol é chamado khainag (хайнаг). Há também o idioma Inglês termo maleta do yakow; uma combinação de palavras de iaque e vaca, embora isso raramente é usada.

Dzomo são férteis (ou, fecundo), enquanto dzo são estéreis. Como eles são um produto do fenômeno genético híbrido da heterose (vigor híbrido), eles são maiores e mais fortes do que yak ou gado da região.[1] Na Mongólia e Tibete, khainags são pensados ​​para ser mais produtivo do que o gado ou yaks em termos de produção de leite e carne.[2][3]

Dzomo pode ser atravessado de volta. Como resultado, muitos iaques ou puros gado supostamente puros provavelmente transportar material genético de cada um. Na Mongólia e Tibete, o resultado de uma khainag cruzou com qualquer um touro doméstico ou yak touro é chamado ortoom (três quartos de raça) e um ortoom cruzada com um touro ou touro yak domésticos resulta em uma usan güzee.[3][4]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Madsen, D.B.; et al. «Late Quaternary Climate Change and Human Adaptation in Arid China». Consultado em 17 de junho de 2015 
  2. BYNIE, Bataagin (2002). «Mongolia: The Country Refort On Animal Genetic Resources» (PDF). Consultado em 17 de junho de 2015 
  3. a b Dalai Lama, My Son. [S.l.: s.n.] 2002. ISBN 0-7865-2260-7  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  4. TAKASE, Hisabumi, et. al. (2002). «Fertility Investigation in Fl HIybrid and Backcross Progeny of Cattle (Bos taurus) and Yak (B. gruniens) in Mongolia. II. Little variatgon in gene products studied in male sterile and fertile animals». Niigata journal of health and welfare. 2 (1): pp. 42-52. Consultado em 17 de junho de 2015