Economia dual

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Economia dual refere-se a coexistência de dois setores econômicos dentro do mesmo espaço, separados por diferentes níveis de desenvolvimento, tecnologia e padrões de demanda. Assim, um setor fará uso intensivo do Capital e será tecnologicamente mais avançado, enquanto outro setor vai empregar intensivamente o trabalho e ser tecnologicamente primitivo [1] O conceito foi criado por Julius Herman Boeke para descrever a presença simultânea de setores tradicionais e modernos em uma economia colonial [2]

Aplicações[editar | editar código-fonte]

Este termo é geralmente aplicado no contexto de países em desenvolvimento,[1] em que um setor é voltado para atender às necessidades locais, enquanto outro é dedicado ao mercado global.

Sir Arthur Lewis usou o conceito de uma economia dual baseado em sua teoria da oferta de trabalho. Lewis distinguiu um setor de subsistência, de baixa renda e da população rural, e um setor urbano capitalista e em expansão. Segundo Lewis, a economia urbana absorveria o trabalho das áreas rurais (mantendo baixo os salários urbanos) até que o excesso de trabalho rural esgotasse.[2]

Em uma economia em desenvolvimento, a economia dupla apresenta o seguinte problema: deve-se alcançar o crescimento econômico através dos sectores tecnológicos (concentrando os recursos) ou bem difundir os recursos de uma economia à todos os setores para alcançar um crescimento mais equilibrado.[1]

Críticas[editar | editar código-fonte]

A comparação feita pelo Banco Mundial sobre o crescimento sectorial na Costa do Marfim, Gana e Zimbabwe desde 1965 trouxe elementos que contrariam a existência de um modelo de economia dual básica. A pesquisa evidenciou uma correlação positiva entre o crescimento indústrial e crescimento da agricultura. Os autores argumentam que para alcançar o crescimento econômico máximo, as políticas devem se concentrar em promover a agricultura e serviços bem como em desenvolver a industria[3]

Referências

  1. a b c «Dual economy». Collins Dictionary of Economics (em inglês). Collins. 2006. Consultado em 26 de octubre de 2011.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. a b Adam Kuper y Jessica Kuper, ed. (1996). «Dual economy». Londres (em inglês). Routledge. p. 202. ISBN 04151207940 Verifique |isbn= (ajuda)  |enciclopédia= e |publicação= redundantes (ajuda); |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  3. Blunch, Niels-Hugo; Verner (1999). Banco Mundial, ed. «Sector growth and the dual economy model - evidence from Cote d'Ivoire, Ghana, and Zimbabwe». Policy Research Working Paper (em inglês). 1 (2175). Consultado em 30 de octubre de 2011.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)