Egípcio médio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Egípcio médio
Falado(a) em: Antigo Egito
Região: Norte de África
Extinção: c. 1350 a.C., quando foi substituído pelo Egípcio tardio
Família: Afro-asiática
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---

Egípcio médio é a forma típica de egípcio escrito de 2000 e 1300 a.C. (após o egípcio antigo e antes do egípcio tardio), durante o Reino Médio e o subsequente Segundo Período Intermediário.[1] Na escrita, faz uso de cerca de 900 hieróglifos. O egípcio médio não é descendente do egípcio antigo, que foi baseado em um dialeto diferente.

Eventualmente, evoluindo em língua egípcia tardia em torno da XVI dinastia a.C., a língua egípcia média permaneceu em uso como uma linguagem literária culta até o século IV d.C.. Como tal, é a variante clássica do egípcio que historicamente atraiu mais atenção da egiptologia. Enquanto a maioria do egípcio médio é visto escrito em monumentos por hieróglifos, também é escrito usando uma variante cursiva, e o hierático relacionado. Como geralmente é a primeira e mais usada forma da língua egípcia, é frequentemente (e incorretamente) referida simplesmente como "Hieróglifos". Egípcio médio é sem dúvida a fase mais documentada da língua egípcia; há muitos recursos disponíveis para ele.[2]

Referências

  1. Woodard, Roger D. (2008). The Ancient Languages of Mesopotamia, Egypt and Aksum (em inglês). Cambridge: Cambridge University Press. p. 154 
  2. Allen 2000, p. x.

Literatura[editar | editar código-fonte]

  • James P. Allen: Middle Egyptian: An Introduction to the Language and Culture of Hieroglyphs. Cambridge: Cambridge Univ. Press, 2000.
  • A. H. Gardiner: Egyptian Grammar, Oxford, 1927, 3rd ed. 1957.
  • Teeter, E. "The Egyptian Language and Its Scripts." Calliope 14.9 (2004): 10-10.
  • Middleton, A. "The geology of the Rosetta Stone." The Journal of Egyptian archaeology 89 (2003): 207-216.
Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.