Epidemia de Risos em Tanganica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A epidemia do riso de Tanganica de 1962 foi um surto de histeria em massa  – ou doença psicogênica em massa (MPI)  – Há rumores de ter ocorrido em ou perto da aldeia de Kashasha, na costa ocidental do Lago Vitória, na moderna nação da Tanzânia (anteriormente era parte da Tanganica antes da união com Zanzibar), perto da fronteira de Uganda.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A epidemia do riso começou em 30 de janeiro de 1962, em um internato administrado por uma missão para meninas em Kashasha. O riso começou com três meninas e se espalhou ao acaso por toda a escola, afetando 95 dos 159 alunos, com idades entre 12 e 18 anos.[2][3] Os sintomas duraram de algumas horas a 16 dias nos afetados. O corpo docente não foi afetado, mas relatou que os alunos não conseguiam se concentrar nas aulas. A escola foi forçada a fechar em 18 de março de 1962.[4]

Depois que a escola foi fechada e os estudantes foram mandados para casa, a epidemia se espalhou para Nshamba, uma vila que abrigava várias meninas.[4] Em abril e maio, 217 pessoas tiveram ataques de rir na aldeia, a maioria deles sendo crianças em idade escolar e jovens adultos. A escola de Kashasha foi reaberta em 21 de maio, mas foi fechada novamente no final de junho. Em junho, a epidemia de risos se espalhou para o colégio feminino de Ramashenye, perto de Bukoba , afetando 48 meninas.[2]

A escola da qual a epidemia surgiu foi processada por permitir que as crianças e seus pais a transmitissem para a área circundante. Outras escolas, a própria Kashasha e outra aldeia, formada por milhares de pessoas, foram todas afetadas em algum grau.[4] De seis a dezoito meses após o início, o fenômeno desapareceu. Os seguintes sintomas foram relatados em escala igualmente maciça como os relatos do próprio riso: dor, desmaios, flatulência, problemas respiratórios, erupções cutâneas, ataques de choro e gritos aleatórios.[5] No total, 14 escolas foram fechadas e 1.000 pessoas foram afetadas.[6]

Causas[editar | editar código-fonte]

Charles F. Hempelmann, da Purdue University , teorizou que o episódio foi induzido por estresse. Em 1962, a Tanganica tinha acabado de ganhar sua independência, ele disse, e os estudantes relataram se sentirem estressados por causa das expectativas mais altas dos professores e pais. O MPI, diz ele, geralmente ocorre em pessoas sem muito poder. "O MPI é o último recurso para pessoas de baixo status. É uma maneira fácil para eles expressarem que algo está errado. " [5]

O sociólogo Robert Bartholomew e o psiquiatra Simon Wessely apresentaram uma hipótese de histeria epidêmica específica à cultura, ressaltando que as ocorrências na África na década de 1960 eram predominantes nas escolas missionárias e a sociedade Tanganyika era governada por anciãos tradicionais rígidos, então a probabilidade é que a histeria fosse uma manifestação da dissonância cultural entre o "conservadorismo tradicional" em casa e as novas idéias desafiando essas crenças na escola, que eles denominaram "reações de conversão".[7]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Jeffries, Stuart (21 de novembro de 2007). «Stuart Jeffries on mass hysteria». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  2. a b «Laughter - American Scientist». Inglaterra. American Scientist (em inglês). 84. Consultado em 8 de janeiro de 2019. Arquivado do original em 29 de maio de 2017 
  3. «An epidemic of laughing in the Bukoba district of Tanganyika». Central African Journal of Medicine. 9. PMID 13973013 
  4. a b c «Radiolab: Podcasts - WNYC Studios - Podcasts». WNYC Studios (em inglês). Consultado em 8 de janeiro de 2019 
  5. a b reporter, Simone Sebastian, Tribune staff. «Examining 1962's 'laughter epidemic'» (em inglês) 
  6. Bartholomew, Robert E. Little Green Men, Meowing Nuns and Head-Hunting Panics: A Study of Mass Psychogenic Illness and Social Delusion. [S.l.: s.n.] ISBN 0-7864-0997-5 
  7. E.,, Bartholomew, Robert; Glenn,, Dawes, (2014). Mass hysteria in schools : a worldwide history since 1566. Jefferson, North Carolina.: [s.n.] ISBN 9780786478880. OCLC 869458396 

links externos[editar | editar código-fonte]