Escravo de Ménon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
O escravo de Ménon recebe uma lição de Sócrates sobre geometria euclidiana.

O escravo de Ménon é um personagem no diálogo de Sócrates, Ménon, escrito por Platão.

Sócrates demonstra o seu método de questionamento e reminiscência, interrogando um rapaz escravo que trabalha na casa de Ménon. Este escravo é ignorante em matérias de geometria. A discussão subsequente mostra que o escravo é capaz de aprender um complexo problema de geometria. Desta forma, Sócrates mostra a Ménon que a aprendizagem é possível.

A discussão[editar | editar código-fonte]

Desenhando figuras geométricas no chão, Sócrates demonstra que o escravo está inicialmente inapto sobre como encontrar o dobro da área de um quadrado.

Sócrates então desenha uma segunda figura quadrada no chão, de tal forma que o escravo possa ver que adicionando linhas horizontais e verticais, tocando os cantos do quadrado, o dobro da sua área é criada. Sócrates leva o escravo a crer que a área é o dobro da do quadrado original e que o escravo recuperou espontaneamente o conhecimento que tinha de uma vida anterior, sem que tivesse sido ensinado.