Frequência (estatística)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Em estatística, a frequência (ou frequência absoluta) de um evento é o número de vezes que o evento ocorreu em um experimento ou estudo.[1]:12-19 Essas frequências são normalmente representadas graficamente em histogramas.

Tipos de frequência[editar | editar código-fonte]

Exemplo: Variável de uma amostra estatística de um conjunto de tamanho 50 (N).

Em estatística pode-se distinguir 4 tipos de frequências:

  • Frequências Absolutas (ni): a frequência absoluta de um evento é o número de vezes que o evento ocorreu em um experimento ou estudo.[1] Em outras palavras, a frequência absoluta (ni) de uma variável estatística Xi, é a quantidade de vezes que esse valor aparece na amostra total. Um tamanho maior da amostra irá aumentar o tamanho da frequência absoluta, pois a soma de todas as frequências absolutas deve dar a amostra total (N).
  • Frequência Relativa (fi): é a razão entre a frequência absoluta (ni) e o tamanho da amostra (N). Decidida como,
    sendo assim fi para todo o conjunto i. Apresenta-se em uma tabela ou nuvem de pontos em uma distribuição de frequência. Se multiplicarmos a frequência relativa por 100 obtemos o percentual de (pi), também chamado de frequência relativa percentual ou porcentagem[2].
  • Frequência Absoluta Acumulada (Ni): é o numero de ni na amostra N.
  • Frequência Relativa Acumulada (Fi): é o coeficiente entre a frequência absoluta acumulada (Ni) e o tamanho da amostra (N). [2]
    Se multiplicarmos a frequência relativa acumulada por 100, obtemos a frequência relativa acumulada percentual (Pi).[2]

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Suponha que uma pontuação de estudantes do ensino médio seja classificada da seguinte forma:

18, 13, 12, 14, 11, 08, 12, 15, 05, 20, 18, 14, 15, 11, 10, 10, 11, 13.

Depois:

  • A frequência absoluta de 11 é 3, pois 11 aparece 3 vezes na amostra.
  • A frequência relativa de 11 é 0.17, corresponde a divisão 3/18, já que 3 é a frequência absoluta e 18 é o número total de observações.

Referências

  1. a b Kenney, J. F.; Keeping, E. S. (1962). Mathematics of Statistics, Part 1 3rd ed. Princeton, NJ: Van Nostrand Reinhold 
  2. a b c Bussab, Wilton de O.; Morettin, Pedro A. (2010). Estatística Básica 6ª ed ed. São Paulo: Saraiva. 540 páginas 

Ver também[editar | editar código-fonte]