Fundação Fernando Leite Couto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A Fundação Fernando Leite Couto na Avenida Kim-Il Sung 961 no bairro Sommerschield de Maputo

A Fundação Fernando Leite Couto é uma fundação e um centro cultural na capital moçambicana Maputo. A fundação, criada em 2015, tem o nome do autor português-moçambicano Fernando Leite Couto e tem a sua sede num édificio projetado por Pancho Guedes na Avenida Kim-Il Sung 961 no bairro Sommerschield.[1]

Em 2015 Mia Couto, um dos autors mais conhecidos de Moçambique, criou a Fundação Fernando Leite Couto com a ideia de promover as artes, a cultura e a literatura de Moçambique e dar-lhes um espaço na capital moçambicana. A sede foi inaugurada no dia 15 de Abril de 2015 pelos filhos de Fernando Leito Couto, Mia, Fernando Amado e Armando Jorge. A fundação não só organiza eventos, mas também planeia de oferecer bolsas e prémios com a ideia de promover jovens escritores moçambicanos.[2][3]

A fundação tem uma pequena biblioteca, um pequeno café e também espaços para eventos como conertos, leituras e exposições. Vários artistas, músicos e fotógrafos moçambicanos já presentaram seus trabalhos nos espaços da fundação. Além disso, por exemplo, o fundador Mia Couto também já presentou as suas novas obras na fundação. Entretanto, a Fundação Fernando Leite Couto já se estabeleceu como um espaço cultural importante na capital moçambicana.[4]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Edifício da Fundação Fernando Leite Couto. Pancho Guedes, o grande arquitecto da zona.». Houses of Maputo. 30 de agosto de 2016. Consultado em 19 de outubro de 2016 
  2. «FUNDAÇÃO FERNANDO LEITE COUTO: A preservação do legado de um poeta multifacetado». Jornal de Notícias. 15 de abril de 2015. Consultado em 19 de outubro de 2016 
  3. «Fundação Fernando Leite Couto nasce em Maputo». Voice of America. 16 de abril de 2015. Consultado em 19 de outubro de 2016 
  4. «Fundação Fernando Leite Couto, uma janela para a cultura». Sapo Viajar. 27 de outubro de 2015. Consultado em 18 de outubro de 2016